E o Emmy vai....ops! Não é Emmy não! É o Nobel de Literatura!!

13 outubro 2016

Pois é galera.... a Academia Sueca de Literatura surpreendeu todo mundo ao anunciar que o Nobel de Literatura de 2016 era simplesmente o cantor e compositor Bob Dylan.
Não...você não esta lendo errado.

Se você, assim como eu pensou: "Nossa! O Bob Dylan é escritor e eu nem sabia?", saiba que não...você não é um alienado do mundo literário.
Apesar de o cantor ter livros publicados sim (são bem poucos), ele foi escolhido por sua capacidade poética nas músicas que compõe.

"Literatura é arte e arte é forma, a plataforma na qual está inserida, seja como texto em um livro, seja como canção em um disco, deveria ser uma questão menos relevante. Aliás, em época de livros para colorir e de autobiografias de youtubers de 15 anos, nada mais simbólico do que o Nobel ir para alguém que está distante do mercado editorial; ajuda a deixar claro que livro não significa literatura, ainda que a esmagadora maioria das publicações literárias esteja sim nesses calhamaços de papel – e que há, claro, diversos excelentes escritores que também mereceriam o prêmio". - Rodrigo Casarin (blog Página 5 do site UOL)


Eu concordo com a Academia? Não.
Acho que os músicos já tem muitos prêmios que valorizam a criatividade, o talento e a capacidade poética deles. Prefeririam que o Nobel premiasse autores como o japonês Haruki Murakami, autor de 1Q84, que era cotado para receber o prêmio, mas... eu não faço parte da comissão julgadora, então...só me resta aceitar.

Haruki Murakami

Já que Bob Dylan é nosso mais novo Nobel, vamos conhecer um pouco mais sobre os livros dele?

Bob Dylan dispensa apresentações. Basta dizer que BlowinIn the wind tornou-se hino de toda uma década, e que ao lado dos Beatles e dos Rolling Stones foi a mais importante influencia na musica e no estilo de vida dos jovens nos anos 60. Tarantula, caleidoscópio de prosa e poesia, é sobretudo um exercício de liberdade da imaginação e da fantasia. Repleto de humor e sátira, fala também algumas verdades essenciais, daquelas que incomodam. Escrito em 66, traz tudo aquilo que faz de Dylan o maior poeta da juventude americana. Desde então temos visto autores surgirem e desaparecerem....





Como sua vertiginosa carreira, essa autobiografia - cujos estilhaços de idéias deixam imagens crepusculares silhuetadas no coração e na mente dos leitores - é uma obra tortuosa e fragmentária. Justamente por isso, não apenas é uma criação coerente com a criatura que a forjou como faz todo o sentido. Sentido similar ao que Bob Dylan conseguiu dar a um mundo progressivamente fora de si.' - Eduardo Bueno.









Agora...livros SOBRE  o Dylan são milhares... aqui vão alguns dos mais famosos pra vocês.

Em todo e qualquer período histórico, há sempre um momento-chave a partir do qual os eventos subsequentes mudam seu curso e todos os elementos envolvidos são alterados para sempre. Neste livro, o jornalista Greil Marcus consegue nos levar
ao dia 15 de junho de 1965, quando Bob Dylan gravou “Like a Rolling Stone”, música que melhor iria representá-lo como ícone da contracultura. Fazendo mais do que uma “biografia” da canção sessentista, o autor se aprofunda em uma análise meticulosa do gênio criador de Dylan, tendo como pano de fundo a situação política e cultural dos Estados Unidos. Mas em vez de se encerrar no passado, o referencial narrativo de Marcus está centrado nos dias de hoje. Ele consegue resgatar as raízes da música pop em artistas seminais como Robert Johnson e Hank Williams, atento aos percalços de
como o legado de Dylan sobreviveu ao tempo através de músicos influenciados por ele, como Jimi Hendrix, Frank Zappa,
Village People e até alguns participantes do programa American Idol. Mais do que saudar a estrondosa repercussão do hino de uma geração, Marcus avalia, sob diversos ângulos, por que ela continua atual. Atestando assim, de uma vez por todas,
sua condição de clássico.
Adotando um ponto de vista original, o poeta, dramaturgo e biógrafo Daniel M. Epstein conta, a partir de quatro concertos cruciais de Dylan (em 1963, 1974, 1997 e 2009), como o astro se reinventou diversas vezes ao longo da carreira, mergulhando nas suas variadas personas: o jovem cantor folk, o roqueiro, o recluso hippie rural, o profeta, o pastor evangélico, o decadente e, por fim, o septuagenário reconciliado consigo mesmo. Quatro shows que representam os mais de 1.500 da carreira de Bob Dylan, suas principais canções, seus mais de 50 discos e o legado dessa história para a cultura ocidental. Com uma excelente apresentação de Eduardo Bueno – uma das maiores referências em Dylan no Brasil –, 'A balada de Bob Dylan' vai além de uma simples biografia. Epstein discute cada um dos álbuns, analisa as inigualáveis letras de suas músicas e traz à tona o contexto sociopolítico e musical através das entrevistas com pessoas próximas ao cantor ao longo da carreira. O autor analisa ainda as circunstâncias em que os shows aconteceram, as mudanças no comportamento do público, as evoluções no repertório, as diferenças nos arranjos das músicas mais conhecidas e, por fim, os rumos de uma carreira artística excepcionalmente corajosa.

O perfil de Bob Dylan que Robert Shelton escreveu para o New York Times é creditado como a peça que faltava para que Dylan fosse “descoberto”, em 1961, apenas um ano após Dylan ter chegado a Nova York. Shelton, que acompanhou fielmente a carreira de Dylan, publica o No Directions Home, biografia definitiva do astro de sucessos como Blowing in the wind e Like a rolling stone. Inédita no Brasil, a biografia ganhou informações exclusivas trazidas pelos coautores Elizabeth Thomson e Patrick Humphries. Conheça a magnífica história do homem e do músico, do amante e do explorador, do solitário e do fenômeno Bob Dylan, aclamado por todas as gerações. 





E ai? O que vocês acharam da escolha do Nobel? Já leram algum livro dele ou sobre ele? Eu nunca nem sequer ouvi uma música dele.
Será que se eu escutar uma coletânea do Bob Dylan no Youtube já esta contando pro meu desafio de ler um livro de cada Nobel? Tá, né? Tacando Bob Dylan na pesquisa do Youtube em 3..2..1...

15 comentários:

  1. Não gostei muito, aliás, nunca ouvi falar desse cara...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tinha ouvido falar dele, mas nunca escutei uma música...

      Excluir
  2. Oi??? Também fiquei muito surpresa quando vi isso, e concordo que há muitos outros prêmios para a música, e muitos outros autores poderiam ter sidos contemplados com o Nobel de Literatura sem que isso fizesse a menor falta pro Bob! Acho que pro seu desafio você poderia tranquilamente ignorar que isso aconteceu e partir pro Haruki mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o Haruki não ganhou ainda.
      =(
      Vou ter que esperar pra ler no ano que vem, quando (dessa vez vai!) ele vai ganhar o Nobel.

      Excluir
  3. Também não concordei com essa não!!!!!
    Está virando bagunça!
    OK,tem ótimas músicas. Mas acho que isso não se encaixa em ganhar o Nobel da Literatura.
    Uma pena que o trabalho de muitos escritores,foi esquecido.

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Concordo plenamente com você! Dar oportunidade do prêmio, para um escritor e não para cantores que já tem seus merecidos reconhecimentos. Mas, só resta aceitar. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Também fiquei bem surpresa com essa história, mas depois é que fui ver o porque de ele ter ganhado que entendi. Ah, legal gente. Não esperava, já estava apostando em outros, mas ele tem umas músicas tão bacanas e cada letra! E com esse prêmio é até legal pra gente conhecer um outro lado do artista.

    ResponderExcluir
  6. Não acredito que fizeram isso, tantos autores sonham em ganhar esse prêmio e merecem bem mais, se ele faz música boa deveria ganhar um emmy, grammy... são tantos prêmios possíveis, mas até no espaço literário os famosos cantores estão entrando, triste...

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Confesso que o pensamento "Nossa! O Bob Dylan é escritor e eu nem sabia?" veio em minha cabeça sim.... Concordo com você que os músicos já tem muitos outros prêmios que os valorizam e outros autores poeriam ter ganhado esse prêmio no lugar de Bob Dylan... Se eu fosse você, ouvir uma música dele já é válida para cumprir seu desafio.... rsrs
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente o que pretendo fazer, pois tenho zero interesse em ler biografias de cantores.

      Excluir
  8. Também não concordei não. Ele tem boa músicas? Sim. As letras são tocantes e lindas? Sim. Mas ganhar um Nobel? Não concordo....rs... Mas quem sou eu né?! Vai entender.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    O Bob Dylan recebendo o Nobel de literário me surpreendeu muito, ainda mais sendo pelas musicas dele, pois sempre pensei que se premiaria livros e concordo com você existe vários prêmios para os cantores e acho que deveriam valorizar mais os escritores !!

    ResponderExcluir
  10. Oimiga!!! EU concordo com vc. Não acho que o Dylan devia ter ganho. Tem tanto premio pra musico, deixa os escritores ganharem o premiozinhos deles poxa hahaha Eu sem duvida nao pretendo ler nada desse autor

    ResponderExcluir