Bidu: Caminhos & Bidu: Juntos de Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho

16 janeiro 2017


Eu não sei você, mas a minha infância inteira eu passei lendo Turma da Mônica.
Quando as pessoas me perguntam qual autor(a) criou a minha paixão por ler, eu normalmente respondo Agatha Christie (minha avó lia Agatha pra mim), mas se pararmos pra analisar...isso não é verdade. O autor que despertou meu gosto por leitura foi Maurício de Souza!!!


Meus pais não tinham o costume de viajar nas férias, logo, eu passei todas as minhas férias na companhia do Almanacão! (Se você não sabe o que é isso, bota no Google. Não precisa me humilhar, me lembrando de que sou velha...)
Então, sim, sou apaixonada por essa turminha, e como amo cachorros, obviamente, sou apaixonada pelo Bidu.

Vale ressaltar que apesar de se tratar de uma história no universo da Turma da Mônica, o roteiro não é do Maurício de Souza. O trabalho gráfico e o roteiro foram produzidos pelo Eduardo Damasceno e Luis Felipe Garrocho, que também são os desenhistas desta publicação. Ao Maurício coube a aprovação e supervisão do projeto.


Em Bidu: Caminhos, nós vamos descobrir como o Franjinha e o Bidu se encontraram. É uma história linda! Sério. Se você é amante dos animais como eu, terá partes de cortar seu coração. Partes em que você gostaria de entrar nas páginas da graphic, pegar o Bidu e levar ele pra casa. Partes que farão você pensar:

"Nossa. Existem milhares de cãezinhos como o Bidu que passam por isso todos os dias..."

E você vai querer adotar um cão assim que terminar de ler esta história. Um cisco caiu no meu olho durante a leitura dessa graphic, mas a Malévola passa bem e já se livrou dele.


Já em Bidu: Juntos, a segunda graphic, nós vamos acompanhar a dificuldade de entrosamento entre o Franjinha e o Bidu. Como educar um cão? Você é realmente o dono dele, ou vocês são amigos e companheiros?




Ao passar rapidamente pela história, ela pode parecer fofinha, mas bobinha, Destinada as crianças menores, pois tem poucos diálogos (já que o personagem principal é um cão!), mas não se engane. Você termina as duas leituras se questionando sobre muita coisa.

No final, ainda tem vários extras mostrando como foi a confecção da graphic novel e curiosidades sobre o surgimento dos personagens nas histórias originais do Maurício de Souza.



Eu dei minha primeira graphic para a filha de um amigo do trabalho, pois ela esta na idade de aprender a ler (olha a Malévola incentivando uma criança!!) e eu espero que com a leitura dessa história ela aprenda a importância que é ter o amor de um amigo de quatro patinhas.
Eu não tenho filhos, mas dizem que o maior amor do mundo é o de uma mãe por seu filho.
Bem...eu amo meu filho de 4 patas. Amo muitoo! De chorar quando ele fica doente e tudo. Eu trato ele como se fosse uma criança mesmo e ai de quem disser que ele não é meu filho.

Mas sinceramente? Acho que o amor dele por mim é muitooooo maior. Pois vejam bem... eu tenho meus amigos...meu marido...minha família.... mas ele... ele só tem a mim.

E vocês? O que acham dessa mensagem maravilhosa de amor e dessas graphics novels cheias de sabedoria?
E ah! Cachorrinhos também podem ler! (Ou pedir para seus pais humanos lerem para eles...rsrsrs)
=) 


17 comentários:

  1. Assim como você também sempre gostei muito da Turma da Mônica.
    E meus personagens favoritos sempre foram a Mônica, Pipa ,Tina e o Rolo.

    Bem,fico aqui imaginando sua alegria em ler esses dois livros(gibis),com seu personagem favorito.
    O amor entre o Bidu e Franjinha é lindo mesmo!

    Ah,gostei de conhecer o seu amiguinho.
    Aqui em casa tenho três cachorros e uma calopsita louca!

    E desconfio que o amor deles por nós é maior do que o nosso por eles. Tem razão!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu queria dar um irmão para o meu cão, mas vivendo em apartamento é complicado...

      Excluir
  2. Que fofo seu cachorrinho, Nat!
    Sou outra que passei minha infância lendo Turma da Mônica, até hoje quando encontro uma revistinha não perco tempo para ler.
    A história do Bidu junto com o Franjinha é tão encantadora, além de mostrar um dos maiores e verdadeiros sentimentos que existem, do cão e seu dono.
    O livro apresenta um design gráfico muito bonito, além dos quadrinhos serem perfeitinhos. O único problema é o preço que ainda está um pouquinho salgado rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É linda a história, se você tiver a oportunidade de conferir essa graphic, faça-o!

      Excluir
  3. Nossaaa, que amorzinho! Eu acho que é um clássico essa leituras ne ? Toda criança deve começar com algo leve assim e que ao mesmo tempo traz um ensinamento tão bom.
    Eu queria ter um cachorrinho, mas meu pai não é muito afim. Uma pena ne?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente uma pena. Mas nunca é tarde pra adotar um companheiro. Talvez seu pai um dia mude de ideia, ou quando você tiver a sua casa, você adote um pra si.
      =)
      Tudo ao seu tempo...

      Excluir
  4. Olá Nat! Enquanto lia sua resenha me bateu uma imensa nostalgia. Eu aprendi a ler antes de ir para o jardim por conta das revistinhas da Turma da Mônica, ganhei a primeira quando tinha apenas dois anos. E claro, até por volta dos dez, onze anos, todas as férias eu passava lendo as histórias e colorindo os desenhos que vinham no miolo do Almanacão de Férias (será que eles ainda são publicados?). Achei uma gracinha as Graphic Novels do Bidu. O traço parece bem diferente das revistas da Turma da Mônica que estamos acostumadas, mais ainda sim interessantes. Fiquei com muita vontade de conhecer a história do encontro entre o Franjinha e o Bidu e a adaptação entre eles, além de toda a mensagem que a histórinha passa.
    Seu cachorrinho é mesmo muito fofo! Será que país humanos podem ler as Grafics também para seus filhos gatinhos? Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu li essa Garpic eu também fiquei com a maior vontade de comprar um almanacão novamente, mas eu acho que não vendem mais. =(
      E é claro que pais humanos podem ler Graphics para gatinhos!!

      Excluir
  5. Nat!
    Concordo com você... minhas filhotinhas de 4 patas tem os mesmos privilégios da filhotas humanas..kkkkk
    Sou ainda mais velha que você e amava muito a turma da Mônica. Era totalmente encantada pelo Bidu, tanto que aprendi a pintar camisetas e vendi muitas no início da adolescência, principalmente com o Bidu e o Bugu, eram os preferidos dos clientes.
    Agora entendi porque os traços da GN são diferentes, não são os do Maurício, o que não quer dizer que são menos bonitos.
    Gostei demais dos dois enredos.
    “Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Eu tinha a primeira edição o Caminhos e achei lindínea demais, mas como você fez eu também fiz um pouco: incentivar uma criança a ler e dei a minha edição de presente á uma coleguinha de minha filha e ela simplesmente adorou. Mas o melhor é que eu fiquei com aquela sensação gostosa de repartir momentos bons que tive com a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é?! Livros são feitos para circular. Eles perdem sua função se ficam acumulando poeira nas estantes. É muito bom fazer a alegria de outra pessoa com um gesto tão simples, não é?

      Excluir
  7. Eu nunca fui muito de ler os almanaques ou gibis da turma da Mônica, mas sei que muitos amam mesmo.
    Que fofinho deve ser essa história de como o Franjinha encontrou Bidu e de como eles começaram a se tornar amigos e conviver juntos.
    Parecem livros fofos!

    ResponderExcluir
  8. Eu também sou da época do almanacão. Era uma paixão ficar todos os dias das férias pintando e lendo! Eu de quebra ainda lia muitos gibis da turma da mônica. Hoje em dia não tenho lido tantos gibis mas adoro os personagens. Fiquei bem animada em voltar a ler os gibis, ou até os livros mesmo começando por esse pra saber mais da história do Bidu e Franjinha.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Também sou dessa época, pura adoração pela turma da Mônica e Tio Patinhas também! Minha paixão por leitura também começou assim.
    Então, não tem como não ter curiosidade e querer na estante, essa preciosidade.
    Não tenho filhos e nem cachorro, mas tenho uma gatinha, que é meu grande amor e faz parte da família! É lindo esse respeito e amor aos animais. Que bom que todas as pessoas pensassem assim, mas infelizmente essa não é uma realidade.
    Adorei a indicação.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi!!

    Primeiro, vc nem tá tão velha assim, pq eu tbm passei muitas férias com o Almanacao e se vc for velha eu tbm sou hahahaha
    Segundo, eu ainda não tinha ouvido falar dessas graphic novels, mas achei muito legal a idéia. Espero poder ler logo!

    bjbj

    ResponderExcluir
  11. a geração de hoje não sabe o que é ser feliz, os almanaques era tudo de bom!
    pois eu admito logo que aprendi a ler e gosta de ler por causa da turma
    eu adoro o cebolinha com os planos dele, ah só para semear a discordia eu preferia o floquinho =) e o mingau ^^
    eu tenho uma dessas graphics e o meu sonho é conseguir ler/ter todas é ótimo ver seus personagens com um traço diferente

    ResponderExcluir
  12. AI MEU DEUS QUE COISA LINDAAA
    Também acredito que foi o Maurício que me "Iniciou" no mundo da leitura. Minha infância pode ser resumida em gibis e almanacões (acho que ainda existem!)
    Não conhecia esses dois livros, de fato os traços são bem diferentes dos originais mas isso não tira a essência da história e os ensinamentos que ele traz. Vou procurar comprar pro meu pequeno ♥ quero que ele cresça rodeado por histórias, como eu cresci.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir