A mais pura verdade de Dan Gemeinhart

03 abril 2017


Eu sei que a pergunta que vou fazer é muito esquisita, mas você já se imaginou morrendo? 
Não estou falando de morrendo em um acidente de carro, ou sendo baleado em um assalto. Estou falando de morrendo numa cama de hospital... tendo tempo suficiente para pensar na sua vida... pensar em tudo que você não fez com a sua vida... aturando as caras de pena e compaixão dos enfermeiros e de seus familiares que não podem fazer nada para lhe confortar e muito menos confortarem a si mesmo... pois é... é desesperador, né? 

Agora imaginem quantas pessoas estão passando por tudo isso exatamente agora... pois é...



Mark é um menino com uma doença grave. Desde que ele se entende por gente ele sempre esteve doente. Ele possui algumas lembranças felizes de quando seus pais ainda não haviam sido informados pelos médicos sobre a sua doença, mas essas lembranças são minoria. A maior parte da vida de Mark foi passada em idas e vindas do hospital. 
Houve uma época, em que ele achou que estava ficando bom. Mas não era bem assim...

"De vez em quando, mesmo as respostas certas parecem erradas, se você não gosta da pergunta. Essa é a mais pura verdade." - pág 146

Quando Mark descobre que sua doença voltou, ele decide se aventurar a realizar o maior de seus desejos, cumprindo uma antiga promessa feita a seu avô (que era alpinista) e escalar uma montanha sozinho. Quer dizer.... mais ou menos... afinal, Beau, seu fiel cachorro, estará com ele nessa jornada. 
Contrariando tudo e todos, ele parte nessa jornada deixando pra trás não só seus pais e amigos, como também seu desejo de continuar lutando uma batalha que já parece estar perdida, para finalmente viver a sua vida como ela deveria ser vivida...


"Meu estômago estava se contorcendo como um peixe numa rede. mas nunca me senti mais preparado. Eu já estava farto de tudo. Só queria que tudo isso acabasse logo. Essa é a mais pura verdade." - pág 157


Essa é uma daquelas histórias que criam um nó na sua garganta conforme você vai lendo. 
O livro é narrado por Mark, mas alterna capítulos curtos com a visão de sua melhor amiga Jessie que encontra o bilhete de despedida de Mark e precisa lidar com o dilema de salvar o amigo; ou deixar que ele viva o que resta de sua vida conforme ele planejou. 

"Mesmo a muitos quilômetros de distância, um amigo ainda pode segurar sua mão e estar ao seu lado." - pág 27

Quando se esta doente, temos muito tempo para pensar. Essa é a mais pura verdade. 
E, exatamente por isso, esse livro esta repleto de puras verdades. 
Apesar da idade, Mark tem muitas lições a lhe ensinar e, ele não é o único. Sua amizade com Beau e Jessie vai lhe ensinar qual o sentido da verdadeira amizade e da lealdade. 
Além de fazer você repensar a diferença entre viver e simplesmente sobreviver. 
Esse é um livro que todos deveriam ler. TODOS! 

"Todo mundo deveria ter um cão - ele disse, pensativo, com a mão ainda fazendo carinho em Beau. - Os cães nos ensinam a amar e ser carinhosos. Eles nos fazem lembrar das coisas que realmente importam." - pág 137

"O mundo inteiro é uma tempestade, eu acho, e todos nós nos perdemos em algum momento. Vamos atrás de uma montanha no meio das nuvens para que tudo pareça valer a pena, como se isso tivesse algum significado. E, às vezes, nós as encontramos. E seguimos em frente.
Eu segui em frente." - pág 204


Editora: Novo Conceito
ISBN-10: 8581636330
Ano: 2015
Páginas: 221

25 comentários:

  1. Oi Nat, ainda não tinha lido nenhuma resenha desse livro e achei a sua bem interessante bem como o livro que possui um tema forte, pois se já é difícil se imaginar um adulto nessa situação de ver a vida passar ao ser consumido pela doença, sem que ninguém possa fazer nada, imagina um garoto. Essa deve ser uma história bem marcante e que leva o leitor a refletir sobre diversos pontos de sua vida, ou seja, imperdível rs. Gostei da resenha e da dica do livro ;)

    ResponderExcluir
  2. É desesperador mesmo ter tempo de pensar sobre sua morte.
    Essa história parece ser daquelas que fazem seu coração doer e muito né?
    Confesso que não faz muito o meu tipo de leitura, mas parece ser uma obra e tanto.
    Bem emocionante e envolvente! E com muitas lições!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. A história desse livro parece linda. E é por dar esse negócio na gente, de ler e ficar angustiado, que achei tão boa. É triste a situação, mas acho que o livro deixa essa mensagem de valorizar as coisas e dar valor as coisas certas...viver...é legal isso. Ele parece cheio de lições e puras verdades mesmo.
    Gostaria de ler pra ver o que acho também, mas penso que iria adorar.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nati. Como vai?
    Posso afirmar que A Mais Pura Verdade foi uma das melhores histórias que li na vida. Senti uma afeição intensa por Mark e seu cachorrinho, me embarquei em suas aventuras e quis colocá-lo em um potinho para guardar para sempre. Jamais me envolvi tanto em uma história. E também digo que é um livro que todos deveriam ler <3 Maravilhoso!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Nat!
    Já tive oportunidade de ler esse livro e fiquei bem emocionada, tanto com a força de vontade de Mark, como de sua amizade com Beau, que para mim foi protagonista, tanto quanto Mark, juntos passaram por muitas aventuras...
    O único porém para mim é que ele é muito jovem para empreender a façanha narrada durante todo enredo, por´me, como é ficção, aceitei...
    Desejo um mês repleto de realizações e uma semana de luz e paz!
    “ Eu creio que um dos princípios essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.” (Maquiavel)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  6. A maioria das vezes me imagino morrendo com algo que me deixe como uma pessoa da qual as outras irão sentir falta, acho que é uma forma de me sentir bem com a solidão que sinto vez ou outra! Falando sério esses dois últimos post que li foram bem pra baixo!

    ResponderExcluir
  7. Percebi que a mensagem por trás da obra, A mais pura verdade é real e tocante, contudo a narrativa é fluída e simples, comovendo o leitor da maneira certa. Adoraria conhecer mais da história que tanto te tocou.
    Resenha adorável!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Nati...
    Tenho muita vontade de ler esse livro... E realmente quando estamos em uma cama é o momento em que mais refletimos nas mais diversas situações da vida e damos valor a tudo, né... Aposto que é um livro que vai mexer muito comigo e me levar às lágrimas e a muitas reflexões... Espero poder ler esse livro em breve...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  9. Não tinha me imaginando morrendo, mas agora até que imaginei, é uma situação difícil e trite para o personagem saber que devido sua doença vai morrer, acho que faria o mesmo que ele e iria querer aproveitar os últimos momentos fazendo coisas que queria, situação difícil a da amiga dele em decidir o que fazer em relação ao bilhete. Parece ser muito comovente e reflexiva a historia. Gostaria de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  10. Oi,o Mark preferiu viver e não somente sobreviver,não é?!
    Pelo menos no tempo que resta.
    Nossa,que situação difícil essa!
    Passar boa parte da vida sofrendo e já sabendo que é um tempo perdido. E o pior é imaginar que várias pessoas estão na mesma situação do personagem...Na vida "real".

    Esse livro parece ser muito bom. Mas confesso que no momento ando fugindo de leituras como essa.
    Sei que a leitura é ideal para refletir e repensar sobre nossas vidas. Mas é que essa história vai mexer demais comigo. :/

    Adorei todas as fotos. Ficaram delicadas!


    ResponderExcluir
  11. Eu já tinha ouvido falar nesse livro porém ainda não o li, a historia parece bem impactante. Eu estou curiosa para saber mais sobre Mark e admiro essa coragem dele de ir atras do que quer.

    ResponderExcluir
  12. Essa é a primeira resenha que leio desse livro. Não consigo me imaginar morrendo, mas sei que assim como estamos vivos agora, daqui apouco as coisas podem mudar e não estarmos mais. Então imagina a situação de Mark que vive sob a iminência da morte desde sempre. Gosto de livros que trazem essas lições, que nos fazem refletir sobre vida, morte, amizade, lealdade... Mas se eu tiver oportunidade de ler, sei que terei que providenciar uma caixinha de lenços também.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Nossa ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre ele!
    Confesso que gostei.
    Não sou muito acostumada a ler livros assim!
    Sou mais louca por romances!

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Quando esse livro lançou fiquei muito interessada nessa historia, mas passou um tempo e acabei não lendo a historia, mas lendo a resenha voltei a ficar curiosa para ler esse livro, parece ser uma historia linda, emocionante e que acaba nos trazendo uma grande mensagem, com certeza esse livro acaba nos fazendo muitos questionamentos de como estamos levando nossa vida, se tiver oportunidade quero ler !!

    ResponderExcluir
  15. Esse sem dúvida é um daqueles livros que todos deveriam ler. Todo livro que conta ou é narrado por crianças me chama atenção. Não li, mas entrou pra minha imensa lista de livros que quero lê. O fato do Mark ter um cão e fugir porque deseja "viver" um pouco já deu uma nozinho na garganta. Parabéns pela resenha e pelas fotos, ficaram lindas!

    ResponderExcluir
  16. Oi Nat,
    Quando lançou esse livro fiquei interessada em lê-lo, mas acabei comprando outros livros e deixei o desejo de ler esse livro passar. Tenho certeza que irei sair destroçada dessa leitura, mas preciso conhecer a história do Mark e seu fiel companheiro (Beau), porque "quando se está doente, temos muito tempo para pensar" e essa é uma lição que precisamos aprender.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Só conhecia pela capa, nunca tinha lido nenhuma resenha, gostei bastante do enredo, parece uma ótima leitura, vou anotar a dica!
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Um livro de aparentemente uma temática simples mas bem se mostrou no final, tem um momento que com certeza você vai entender no personagem pois sua vida toda foi em função da doença e acabou que ele deixou de lado a coisa mais simples que é viver e essa é uma das puras verdades do livro. Esse livro veio com certeza com o objetivo de fazer o leitor pensar e quero ler essa obra com certeza.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Natália!
    Confesso que não tenho coragem de ler A mais pura verdade, sou uma manteiga derretida e sempre evito ler histórias que criam um nó na sua garganta conforme você vai lendo, e como você disse que a história do menino Mark é assim dificilmente eu leria esse livro, mas eu amei sua resenha, assim como os quotes que você colocou nela e as fotos, ficaram muito bacana!
    Ps: concordo com você, morrer em uma cama de hospital é mesmo desesperador...

    ResponderExcluir
  20. Credo, podia jurar que tinha lido esse livro em 2014... mas acho que me enganei!
    Enfim, ele é muito bonito e o final me deixou assim :O
    E sim, eu já me imaginei morrendo. E é horrível. Prefiro morrer de uma vez a me ver definhando, que é o que está acontecendo com muitas pessoas nesse momento, inclusive minha avó :/ sei que pode parecer cruel, mas eu preferia que ela morresse logo a ficar sofrendo presa em uma cama sem poder falar, enxergar, nem nada :/
    O livro nos traz belas mensagens e reflexões, lembro que na época me emocionei em diversos momentos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi Naty :D
    Sempre que a vida da gente ou a de alguém que nós amamos está em risco, parece que realmente entremos em modo de reflexão né. Paramos e analisamos o que de fato valeu a pena. Mesmo se você não tivesse falado na resenha, deu para perceber que a história causa aquele nozinho na garganta, ou seja, preciso lê-lo.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  22. oie naty, confesso que estou fugindo de livros que dão nó na garganta
    mas por outro lado acho interessante histórias que nos fazem refletir sobre a vida(ou morte) e ainda mais narrado por uma criança.
    mas assim, como eu acompanhei um amigo meu num drama de passar meses sem saber nem o que ele tinha e agora eu perdi o contato com ele quando ele foi para sampa se tratar, eu prefiro ficar com as lições dele, afinal eu sofri com ele...

    ResponderExcluir
  23. Oi.
    Sua resenha está muito bem elaborada, gostei muito.
    Mas, não pretendo ler esse livro. Parece ser bem reflexivo, mas estou fugindo de temas tristes e que envolvam assuntos como esse.
    Deixo passar a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. Oi, Nat!!
    Que livro mas emocionante!! E difícil ler livros assim contados por uma criança que sabe que tem uma doença grave!! Mesmo assim espero ter oportunidade de ler um dia esse livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  25. Oi Nat.
    Esse é o tipo de história que mesmo sem ler eu sei que vou chorar Adorei a premissa não a mente eu não leio livros que são narrados por crianças porque raramente consigo me apegar e entender o que eles estão passando mas nesse caso eu não poderia deixar de conferir essa linda história.
    Bjs.

    ResponderExcluir