Como enfrentar a violência verbal de Patricia Evans

29 maio 2017


Eu pensei muito se deveria fazer a resenha deste livro ou não. Mas ai eu percebi que não fazer a resenha seria muito egoísmo da minha parte, pois poderiam existir outras pessoas que estivessem passando pela mesma coisa e poderiam encontrar nesse livro, a força e a orientação de que precisam.
Então, percebi que esse post é quase uma utilidade pública.



Primeiramente eu preciso dizer que esse livro é muito sério. Eu vi um comentário no skoob de uma pessoa dizendo que a capa do livro era sexista e que por isso ela se recusava a ler.
Antes de criticar a capa de um livro, leiam!!!!
A capa não é sexista, é totalmente condizente com o conteúdo do livro e vocês vão entender por quê.

O livro foi escrito por uma psicóloga que atendia mulheres (homens também, mas a grande maioria dos pacientes eram mulheres. Ela inclusive diz que se você for homem e estiver lendo o livro é só substituir ela por ele) que sofriam abuso verbal dos companheiros e em alguns casos filhos que sofriam abuso dos pais. O abuso esta sempre presente em relações em que uma pessoa quer dominar ou subjulgar a outra, por isso é mais comum entre casais e pais com filhos.

Ela começa o livro lhe ajudando a identificar se você esta sendo vítima de abuso verbal, com vários questionários. Vou deixar um dos questionários aqui para vocês. Se você marcar duas ou mais afirmações, este livro/resenha pode lhe ajudar.


"Muitas me disseram algo como: Eu sabia que algo estava  errado; só não sabia o quê. Agora eu tenho um nome para o que sofri". - pág 8

Ela  também explica por quê algumas pessoas praticam o abuso, às vezes sem nem mesmo se dar conta.
A partir do momento que você percebe que esta sendo vítima, ela se propõe a explicar psicologicamente por que esse tipo de situação ocorre e como você pode enfrentar isso. As dicas dela não são como os de outros livros de autoajuda, onde eles apenas te incentivam a mudar... te incentivam a tomar as rédeas da situação, etc...
ELA REALMENTE PEDE PRA VOCÊ PROCURAR AJUDA PROFISSIONAL!!!

A partir daí, o diálogo é como se você estivesse em uma consulta psiquiátrica, onde ela guia você para que perceba que a culpa não é sua; que você precisa de ajuda para enfrentar essa situação; que isso abala o seu sistema nervoso como se fosse qualquer outro abuso; que ele é mais difícil de perceber pois ocorre a portas fechadas, e ela é muito sincera com você ao dizer que pode não ser possível mudar a situação e talvez você precise sair de perto de tudo que está lhe causando essa violência.

Ou seja, não tem aquela conversa de que com amor e compreensão é possível mudar tudo. Ela é direta! Pode ser que não tenha jeito! E ela pede que você nunca... jamais... enfrente o abuso sozinha, para que ele não passe de um abuso para uma agressão física, que é a evolução do abuso verbal.

Esse livro é para as vítimas. Para você aprender a se defender e criar estratégias para fugir caso seja necessário. Aprender que pode compartilhar o que esta passando com outras pessoas e pedir ajuda. E o mais importante: você não é responsável pela violência e não precisa suportar isso calada. 
Segue abaixo o depoimento de uma das vítimas, expressando como funciona a violência verbal.


Trata-se de um trabalho de pesquisa realizado durante anos que se transformou em livro e que fala de um assunto muito sério! As pessoas não têm noção do poder das palavras e como elas podem ser destruidoras. Milhares de pessoas sofrem bullying (um tipo de violência verbal, pois existem outros) no trabalho, na escola, em casa... todos os dias... e isso irá se refletir na vida delas e nas personalidades delas para sempre. Imagine você sofrer violência verbal durante anos do seu companheiro ou dos seus pais. O que isso faria com você? Imagine uma criança que presencia isso? Será que ela não vai se espelhar nos pais e repetir a violência verbal quando for adulto na esposa e nos próprios filhos?
É um ciclo vicioso de raiva...
O foco do livro é nas relações de casais, pois a grande maioria esmagadora de pacientes dela eram mulheres que sofriam violência do companheiro, mas se você analisar com calma, perceberá que o que essas mulheres relatam podem se enquadrados em qualquer tipo de relacionamento mais familiar.


Por isso, se você se identificou com o questionário no início desta resenha... se você se identificou com a história acima ou os quotes, por favor: procure ajuda!
Isso é sério!

E se você não se identificou com o livro, por favor pare e pense: existe alguém que você conheça que possa estar passando por isso? Se sim, chame essa pessoa para conversar. Pode ser que ela não se abra com você, mas será muito importante para ela saber que pode contar com seu apoio. Pode ser que em algum momento ela mude de opinião e lhe procure.

Se você é médico, psicólogo, psiquiatra, pedagogo, assistente social, ou seja, se trabalha na área de saúde ou ajudando as pessoas, essa leitura é essencial pra você.



Editora: Sextante
ISBN-10: 8543101735
Ano: 2015
Páginas: 256

5 comentários:

  1. Eu não conhecia este livro, mas sem dúvidas realmente é um assunto muito sério, achei muito interessante e utilitário no começo do livro ter um questionário para identificar se a pessoa está sendo vítima de abuso verbal, achei este livro muito bom e acho que é muito interessante as pessoas lerem, pois as vezes você está sendo vítima desta violência verbal sem ao menos perceber, eu sem dúvidas pretendo ler este livro.

    ResponderExcluir
  2. Nat!
    O livro é bem como falou: de utilidade pública para quem sofre tal abuso.
    O fato de poder identifiar se está havendo ou não o tal abusivo, é importante demais.
    Como psicóloga, é um livro que quero ler.
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sim. Esse assunto é muito sério mesmo!
    E é importante falar sobre isso.
    Li o formulário com atenção, e felizmente não me encaixo em nenhuma das opções... Aliás, na última sim.
    Acho que meu ex marido nunca me enxergou como uma pessoa independente. Pois tive que ficar em casa para cuidar do meu filho mais velho que precisa de cuidados especiais..

    Bem, é um assunto que tem que ser debatido. Afinal, muitas mulheres(principalmente), passam por essa situação.

    ResponderExcluir
  4. Esse livro pra caiu como uma luva, preciso conhecer mais sobre ele e pôr em prática as dicas q trás...
    Vai pra minha lista!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Natália (depois de meses escrevendo teu nome com h estou acertando), esse livro é sim um alerta, uma luz vermelha piscando para que possamos ver o outro e ajudá-lo no que for possível para que não passe por isso. Meu esposo é psicanalista e atende diversas pessoas que sofrem todo o tipo de agressão verbal e é muito, muito legal ter um livro que atente para isso!

    ResponderExcluir