Como procurar um cachorro perdido por Rosa Howard e Ann M.Martin

27 maio 2017


Você já leu um livro escrito por alguém que tem Síndrome de Asperg? 
Você já leu um livro escrito por uma criança com autismo? 
Se a sua resposta foi não, eu acho que você deveria ler esta resenha...


Neste livro nós vamos acompanhar a história da Rosa (Roza) um menina de quase 12 anos que ama três coisas: 
  1. Palavras (principalmente homônios, como o nome dela e de sua cachorra Poça/ Possa) 
  2. Regras
  3. Números (principalmente os primos) 
Rosa vive com o pai, pois sua mãe os deixou quando ela era muito pequena. Tudo que ela tem da mãe esta guardado numa caixa que ela olha toda semana de forma ordenada, logo depois de dar comida para a Poça (a cachorra dela) e de verificar a sua lista de homônios. 
Todos os dias o tio dela busca e traz ela da escola pois seu pai esta sempre na oficina mecânica onde trabalha como mecânico ou tomando cerveja no Irlandês Sortudo. 
O mundo de Rosa precisa ser um mundo com regras, e se alguém quebra essas regras ela fica muito nervosa e começa a recitar todos os números primos de forma crescente. Sua acompanhante na escola, uma professora auxiliar, sempre pergunta se ela precisa ir no corredor se acalmar quando isso acontece. 
A Poça sempre ajuda Rosa a se acalmar, mas ela esta perdida. 
Tudo porque o pai de dela deixou a Poça sair de casa no meio da tempestade para fazer xixi de madrugada e não ficou esperando a Poça voltar pra fechar a porta. A Poça tem um focinho muito bom, ela sempre acha a Rosa. Mas e se ela tiver caído no rio, que antes era apenas um riacho, na porta da casa de Rosa. Afinal, era de noite, estava chovendo muito e a Poça pode ter ido pra mais longe do que o focinho dela consegue farejar. 
É por isso que a Rosa esta irritada com o pai dela e decidiu traçar um plano para encontrar a Poça!
 

Essa narrativa é exatamente como a Rosa resumiria o seu livro. Sim, o livro dela! Porque este livro é escrito pela Rosa, como se ela estivesse lhe ensinando como procurar um cachorro perdido. Mas para lhe explicar o plano dela, ela primeiro lhe dará uma introdução de quem é ela, de como encontrou a Poça e como tudo aconteceu, dividindo o livro em quatro partes. 


A leitura é muito fluída e a Rosa é uma criança encantadora. Dá vontade de dar uns bons tapas no pai dela, mas temos um tio amoroso para balancear a história e ao final você terá duas belas lições. 
É um livro para ler em apenas um dia, que irá lhe divertir e emocionar ao mesmo tempo. 
Não é um Passarinha (ed. Valentina) na questão da carga dramática, mas faz com que você tenha algumas reflexões sobre como julgamos as pessoas que precisam lidar com parentes de quem algum grau de autismo; sobre fazer o que é certo, mesmo que isso machuque você; e sobre como existem homônimos neste mundo!!! Rsrsrs
Aproveite sua leitura e apaixone-se por Rosa. 


Editora: Plataforma 21
ISBN-10: 8550700002
Ano: 2016
Páginas: 228

5 comentários:

  1. Ai Nath, amo livros pela visão de crianças e adolescentes, porém odeio livros com animais protagonistas (sou louca?), bom esse livro tem um título lindo e deve trazer mais do que isso, porque as crianças falam de maneira muito doce e delicada despertando dentro de nós sentimentos lindos e suaves, esse deve ser bem isso, cheio de metáforas

    ResponderExcluir
  2. Nat!
    Já li livros coma as doenças, mas não escritos pela própria protagonista.
    Deve ser um livro interessante, porque os autistas vivem dentro de suas regras, porém tem sentimentos que por vezes não são compreendidos por quem convive com ela.
    Adoro livros com animais, são bem terapêuticos e ajudam mesmo a acalmar, sem contar que são amigos fieis.
    Bom final de semana!
    “A solidão é a mãe da sabedoria.” (Laurence Sterne)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  3. Oi Natália, não conhecia o livro e já quero ler.
    Deve ser muito emocionante mesmo. Acho que é uma forma das pessoas terem uma pequena noção do que se passa no " mundo" de alguém com autismo.

    Ando com muita vontade de ler também o livro " O que Me Faz Pular", que foi escrito por um garoto com autismo.
    Me parece que também é muito bom e emocionante! :)

    Boa dica!

    ResponderExcluir
  4. Que livro lindo!
    É a segunda resenha que leio e que me faz encantar ainda mais pela história, já está na listinha, vou tentar acelerar pra ler em breve.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia este livro, mas após ler sua resenha, não tive como não me interessar em ler e adiciona-lo em minha lista de leituras, parece ser um ótimo livro, estou ansiosa para ler Como procurar um cachorro perdido por Rosa Howard e Ann M.Martin.

    ResponderExcluir