A verdade sobre essa tal de perfeição

02 outubro 2017

Sejamos todos (Im)perfeitos

Na newsletter do canal eu perguntei aos leitores se eles já haviam se auto sabotado hoje, e expliquei a minha tese (nossa, me senti muito importante agora. Quase uma Doutora no assunto) de que o ser humano vive se auto sabotando porque pensamos demais. Passamos tanto tempo pesando os prós e contras, que perdemos oportunidades e depois ficamos chorando pitangas por aí. 

Porém, depois eu li uma matéria na revista "Vida Simples" e me dei conta que esse fenômeno pode ter um nome. E que eu tenho um exemplo disso dentro de casa. Uma cobaia perfeita para minha tese (olha eu dando uma de Doutora de novo!) 

O nome é perfeccionismo. 
Vou contar uma história pra vocês. Meu marido sempre quis juntar uma galera pra debater sobre Carnaval (ele é tão louco por isso, quanto eu sou por livros. Cada um com seus problemas...), e depois de muito procrastinar, ele finalmente tomou coragem e chamou os amigos pra fazer uma live no Youtube. Isso, é claro, depois de me perguntar umas trocentas vezes se deveria fazer isso ou não. E de eu responder trocentas vezes que sim! 

Com o tempo, ele acabou virando referência no assunto Carnaval. A reunião com os amigos pra tomar cerveja aqui em casa, virou um programa. O canal cresceu e outros programas foram criados, mas o "carro chefe" sempre foi a "reunião com os amigos pra bater papo sobre Carnaval".
E com o crescimento vieram os gastos com equipamento...melhorias na qualidade...edição... blá blá blá. 

Até que ocorreu um problema numa placa de vídeo que usamos pra transmitir o programa dele ao vivo no Youtube com a nossa câmera. Eu argumentei que poderíamos pegar o nosso celular (um top de linha da Samsung) e usar como câmera. O problema estava resolvido e a transmissão do programa salva. 
Sabe o que ele fez? 
Se recusou a fazer o programa. 
Por que? 
Porque ele é perfeccionista. 

Enquanto eu pensei: "Foda-se que a qualidade do vídeo não será a mesma! O importante é não frustar as pessoas que estão esperando a semana inteira pelo bate papo!"
Ele pensou: 
"Ou fica como eu quero, ou não serve. Tudo tem que estar perfeito! Meu Deus, que vergonha."

E ele faz isso em tudo na vida dele. Se as coisas não forem exatamente do jeito que ele planejou ou quer, ele fica frustado, triste, com raiva e diz que vai desistir de tudo... não sou médica, mas isso não é muito saudável, né? 

"Na verdade, perfeccionismo não é se dedicar com empenho para fazer o melhor trabalho. Não tem a ver com o aperfeiçoamento nem é o segredo do resultado perfeito. Por definição, tarta-se de um medo excessivo de cometer erros. De ter qualquer ação que possa estar aquém do esperado segundo algum critério. O que o perfeccionista faz, no fundo, é evitar de muitas maneiras a chance de falhar, de receber uma crítica de si ou dos outros." - Vida Simples pág 23 ed. Agosto/2017

Aonde eu quero chegar com isso? 
Nós precisamos acolher a ideia de que não somos perfeitos e que a perfeição é impossível. Essa procura excessiva pela perfeição só traz estresse e frustração. Ele querer desistir de tudo a cada problema que enfrentamos em relação ao canal dele, é só o medo dele de ser criticado tomando conta.
Perdemos grandes oportunidades pelo simples fato de termos medo de começar a tentar, já com medo de falhar. Ou seja, exatamente o que falei na newsletter!!! 

"O estado natural do perfeccionista é a insatisfação. Que no fundo é dele com ele mesmo." - Vida Simples pág 25 ed. Agosto/2017

Então, da mesma forma que fiz na newsletter, eu convido todos vocês a refletirem sobre duas coisas: 
1. Você já se auto sabotou hoje? 
2. Você tem medo de ser imperfeito? 

Se você respondeu sim a uma dessas duas perguntas, acho que você precisa ler estes livros: 


Brené Brown ousou tocar em assuntos que costumam ser evitados por causarem grande desconforto. Sua palestra a respeito de vulnerabilidade, medo, vergonha e imperfeição já teve mais de 25 milhões de visualizações.
Viver é experimentar incertezas, riscos e se expor emocionalmente. Mas isso não precisa ser ruim. Como mostra Brené Brown, a vulnerabilidade não é uma medida de fraqueza, mas a melhor definição de coragem.
Quando fugimos de emoções como medo, mágoa e decepção, também nos fechamos para o amor, a aceitação e a criatividade. Por isso, as pessoas que se defendem a todo custo do erro e do fracasso acabam se frustrando e se distanciando das experiências marcantes que dão significado à vida.
Por outro lado, as que se expõem e se abrem para coisas novas são mais autênticas e realizadas, ainda que se tornem alvo de críticas e de inveja. É preciso lidar com os dois lados da moeda para se ter uma vida plena.
Em sua pesquisa pioneira sobre vulnerabilidade, Brené Brown concluiu que fazemos uso de um verdadeiro arsenal contra a vergonha de nos expor e a sensação de não sermos bons o bastante, e que existem estratégias eficazes para serem usadas nesse “desarmamento”.
Neste livro, ela apresenta suas descobertas e estratégias bem-sucedidas, toca em feridas delicadas e provoca grandes insights, desafiando-nos a mudar a maneira como vivemos e nos relacionamos.

 Este importante livro é sobre a jornada de uma vida, deixando de se preocupar com "O que os outros vão pensar?" e acreditando que "Eu sou suficiente".
A habilidade ímpar da autora em misturar pesquisa original com relatos faz com que a leitura de A Arte da Imperfeição pareça uma longa e animadora conversa com uma amiga muito sábia que oferece compaixão, sabedoria e ótimos conselhos.
A cada dia nos deparamos com uma enxurrada de imagens e mensagens da sociedade e da mídia nos dizendo quem, o que e como devemos ser.
Somos levados a acreditar que, se pudéssemos ter um olhar perfeito e levar uma vida perfeita, já não nos sentiríamos inadequados.
E se eu não posso manter todas essas bolas no ar? Por que não é todo mundo que trabalha duro e vive às minhas expectativas? O que as pessoas vão pensar se eu falhar ou desistir? Quando posso parar de provar a mim mesmo?
Em A Arte da Imperfeição, Brené Brown, Ph.D, é uma especialista em vergonha, autenticidade e compartilha a coragem que aprendeu em uma década de pesquisas sobre o poder de viver sinceramente.

 It's only natural to want to avoid making mistakes, but imperfection is a part of being human. And while perfectionists are often praised for their abilities, being constantly anxious about details can hold you back and keep you from reaching your full potential.
In this fully revised and updated second edition of When Perfect Isn't Good Enough, you'll discover the root cause of your perfectionism, explore the impact of perfectionism on your life, and find new, proven-effective coping skills to help you overcome your anxiety about making mistakes. This guide also includes tips for dealing with other perfectionists and discussions about how perfectionism is linked to worry, depression, anger, social anxiety, and body image. As you complete the exercises in this book, you'll find it easier and easier to keep worries at bay and enjoy life — imperfections and all.
This book has been awarded The Association for Behavioral and Cognitive Therapies Self-Help Seal of Merit — an award bestowed on outstanding self-help books that are consistent with cognitive behavioral therapy (CBT) principles and that incorporate scientifically tested strategies for overcoming mental health difficulties. Used alone or in conjunction with therapy, our books offer powerful tools readers can use to jump-start changes in their lives.

Eu falei um pouco mais sobre o assunto lá na newsletter, mas se você não acompanha a news do canal, dá uma conferida no vídeo abaixo.
(Vídeo sobre perfecionismo)

 

0 comentários:

Postar um comentário