Faça boa arte de Neil Gaiman

03 novembro 2017


Faça boa arte 


Acabo de terminar o ebook/discurso de Neil gaiman entitulado "Faça boa arte".

Se não leu, ou não assistiu o discurso no Youtube, eu recomendo que você clique aqui e assista. É bem legal! 

Porém, quando terminei, duas coisas me vieram a mente: 

1. Ler este livro no kindle é uma bosta.
O livro foi todo formatado de forma a ser uma grande obra de arte com uma diagramação inovadora, que muitas vezes, utiliza-se de duas páginas para transmitir uma frase do discurso. E quando você lê isso no kindle, todo esse trabalho gráfico se perde e as letras ficam muitooooo claras, dificultando a leitura. Então, não recomendo. Vá ler o livro original ou assistir no Youtube mesmo! 

2. Qual é a minha arte?
Em seu discurso, o Neil Gaiman afirma que devemos sempre fazer boa arte, ou seja, sejamos inovadores e persistentes no trabalho que acreditamos. 
Inovadores, pois as regras ainda não estão estabelecidas, e dessa forma nós podemos criar nossas próprias regras. 
Persistentes, pois mesmo que algumas pessoas achem que você deveria arrumar um trabalho de verdade, usando gravata e terno, sempre existirão freelances, e com isso, sempre haverá lugar para a arte e os artistas. 
Designers; Escritores; Jornalistas; Pintores; Fotógrafos; somos todos artistas. 

E ai veio o meu questionamento anterior: Qual é a minha arte? No que eu sou realmente boa, sei disso, e deveria persistir? 

A resposta? 
Não sei. 

Eu sou formada em Jornalismo, mas nunca trabalhei em uma redação. Nunca fiz uma matéria além das que produzo pro Perdida na Literatura. Que convenhamos.... se eu mostrar pra algum amigo jornalista do trabalho, eles dirão que não é uma matéria, pois eu não tive que correr atrás de nenhuma fonte... apurar nenhuma informação.... Eu só tive que ter uma ideia, mandar uns emails... e isso qualquer pessoa consegue fazer. 
Pra quem não sabe, eu trabalho na Globonews. 

Eu edito vários vídeos no Adobe Premier pro canal, mas não posso ser considerada uma editora. Afinal, eu aprendi fuxicando o software e os tutoriais do Youtube. Não tenho um certificado e nem me sinto segura o suficiente para pegar um freela como editora. Então, essa também não é a minha arte...
=/

Ah! Já sei! Sou uma ótima produtora de conteúdo! 
Hum... não. Se fosse o caso, meu canal teria muito mais inscritos do que tem hoje, né? 
=/

Ah....só o que falta é um pouco de marketing! 
Hum... então o problema é pior do que imaginava, pois eu fiz Pós Graduação em Mkt. Eu não deveria saber divulgar o meu trabalho melhor então?! E se eu não consigo fazer isso com o meu próprio trabalho, como poderia fazer disso a minha arte e ajudar os outros?
=/ 

Neil Gaiman disse que quando estava começando, imaginava o objetivo dele como sendo uma montanha. E decidia que trabalhos fazer...no que focar... baseado no fato de se isso o levaria mais próximo a montanha ou não. No caso, a montanha dele era escrever um livro; um episódio de Doctor Who e um quadrinho. 

Qual é a minha montanha? 
Qual é a sua montanha? 
O que você esta fazendo para se aproximar da sua montanha? 
A impressão que eu tenho é que estou de frente para uma cordilheira. 


Algumas pessoas, conseguem tem interesses distintos e pegar todos esses interesses, mixar e extrair algo de bom deles. É o caso da autora Victoria Schwab que começou 6 graduações diferentes, e que pegou todo o conhecimento adquirido nessas graduações e criou histórias magníficas. 

Esse não parece ser o meu caso. 
A falta de foco na minha vida esta cobrando seu preço. E esta na hora de repensar as minhas prioridades...
E quem sabe... eu consiga descobrir a minha montanha.
(Ou pelo menos dinamitar algumas partes dessa maldita cordilheira! Rsrsrs) 

0 comentários:

Postar um comentário