Desejo à meia-noite por Lisa Kleypas

08 abril 2018




Há algum tempo eu me apaixonei por romances de época. 
Mas se você esta pensando que mantenho Jane Austen em algum tipo de pedestal das autoras deste gênero, esta redondamente enganado. Eu gosto mesmo é das autoras mais contemporâneas com suas protagonistas fortes, que falam o que pensam, fazem sexo e não dependem de homem nenhum. 

Não me considero uma expert nesse gênero literário (ainda), mas gosto do estilo de Julia Quinn (rainha de todos nós!) e recentemente fui apresentada a Lisa Kleypas e sua série "Os Hathaways". 

Assim como nossa rainha, Lisa Kleypas constroi personagens femininas fortes, que comandam a casa e a vida de todos ao seu redor sem o menor pudor, mas que no fundo ainda sonham com um felizes para sempre digno dos contos de fadas da Disney. Porém, ela incorpora uma cultura bem diferente da inglesa em seus romances e isso é fascinante, pois trata-se de uma cultura pouquíssimo explorada nos livros em geral. 

Em romances de época é comum a protagonista se apaixonar por algum conde... duque.... inglês. Quando o cara não é inglês, ele é um highlander escocês poderoso e temido, que em algum momento da trama, corre o risco de herdar um ducado e virar inglês. 
Rsrsrs

Mas isso não acontece neste livro, pois o nosso galã é um cigano. 
Os ciganos são uma classe às margens da sociedade londrina. Toleráveis quando uteis; tratados como animais quando inconvenientes. 

A família de Amelia Hathaway também poderia ter essa mesma definição, já que seu irmão mais velho e o herdeiro do título de visconde esta mais interessado em arruinar a própria vida, do que em se portar como um lorde e cuidar de suas irmãs. 
Mas isso não é nada. Muitas famílias inglesas nesse tipo de livro tem um depravado. É quase um artigo de luxo que todas as familias nobres devem ter... 
Só que pra completar, eles fincar o pé da família Hathaway de vez às margens da sociedade londrina, eles são pobres (só tem o título de nobreza mesmo e olhe lá...) e ainda por cima adotaram um romani (cigano) como membro da família há muito tempo atrás. 

Dessa forma, não é de se espantar que ao contrário das frageis donzelas inglesas, quando Amelia precisa caçar o irmão por metade de Londres, ela não fique aterrorizada ao receber a ajuda de um romani na tarefa. 
Um encontro que deveria durar apenas uma noite, à procura de um nobre bêbado, acaba se desenrolando e o resto você encontra no livro. 

Não posso afirmar que esse é o melhor livro de romance de época que já li na vida, mas pelo fato de ter introduzido uma cultura totalmente diferente e pouquíssimo abordada, ele ganhou muitos pontos comigo. 
Veremos com o resto da história se desenrola nos próximos livros da série. E, é claro, se a autora seguirá essa linha de raciocínio, ou se vai arrumar uma desculpa pra transformar os ciganos em lordes ingleses em algum momento da trama...

Série: Os Hathaways - 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411492
Ano: 2013
Páginas: 272

0 comentários:

Postar um comentário