Os livros mais caros (e raros) do mundo

14 novembro 2018


Você sabe qual é o livro mais caro do mundo? 

O Códice Leicester, de Leonardo Da Vinci foi vendido para Bill Gates em novembro de 1994 pelo equivalente atual de $ 30 milhões, é o livro mais caro do mundo. É uma coleção de escritas científicas e estudos entrelaçados entre teorias de astronomia, as propriedades da água, rochas e fósseis, ar e luz celestial. Escrito ao contrário com a ajuda de um espelho, ele encontra-se em exposição em Florença neste momento para as comemorações de 500 anos da morte de Da Vinci, e  reúne boa parte dos seus conhecimentos científicos no livro de 72 páginas e 360 ilustrações e desenhos.



Este documento é o único dos grandes códigos de Da Vinci que não é propriedade do Estado e foi adquirido em um leilão por Gates de seu dono anterior, Armand Hammer. A última vez que esse código de Leonardo Da Vinci foi exibido na Itália foi em Veneza, em 1995, durante a exposição dedicada ao mestre italiano. 

Mas ele não é o único a ultrapassar a casa dos milhões. Conheça outros livros que custaram uma pequena fortuna a seus donos.


 Magna Carta (exemplar original) 
A “Magna Carta”, também conhecida como “Magna Carta Libertatum”, é uma carta redigida pelo arcebispo de Canterbury, e aceite pelo rei João de Inglaterra, para fazer a paz entre ele e um grupo de barões rebeldes. Em 2007, um exemplar original da Magna Carta foi comprado em leilão por 20.1 milhões de euros. Correm rumores de que o comprador foi David Rubenstein.


The Gospels of Henry the Lion
O livro religioso que data de 1188 foi encomendado pelo Duque da Saxônia e da Baviera Henrique, o Leão. A obra composta por 226 folhas de pergaminho foi criada para o altar da Catedral de Brunswick, uma igreja luterana localizada na Alemanha. Por ser considerado um importante documento histórico, a obra foi adquirida pelo governo alemão em 1893, que desembolsou 22 milhões de dólares.



Bay Psalm Book
O “Livro de Salmos da Baía”, em tradução para o português, foi o primeiro impresso em território americano, em 1640. Apenas 11 exemplares são conhecidos. Um deles foi leiloado em 2013 em Nova York e arrematado pelo banqueiro David Rubenstein por 14,2 milhões de dólares. Rubenstein, que estava na Austrália, fez os lances por telefone, e conseguiu comprar a obra rara.


Evangelho de São Cuthbert
Cópia em latim do Evangelho de São João, o “Evangelho de São Cuthbert” data do século 7 e é o manuscrito intacto mais antigo da Europa. A relíquia foi encontrada em 1104 no túmulo do bispo de Lindisfarne, que morreu em 698. Em 2012 ele foi comprado pela British Library por 9 milhões de libras, o equivalente a 14,2 milhões de dólares. A instituição arrecadou metade do valor por meio de doações após uma campanha.



Birds of America, John James Audubon
Outro livro americano raro é extremamente valioso é o “Aves da América”, em tradução livre. Ele foi escrito — ou melhor, ilustrado, já que se trata de um livro de ilustrações — pelo naturalista John James Audubon. As primeiras publicações ocorreram entre 1827 e 1838. Uma de suas cópias, que datam da época, foi vendida em 2010 por 11,5 milhões de dólares. Não há detalhes sobre os compradores.


Os Contos de Cantuária, Geoffrey Chaucer
A primeira obra literária escrita em inglês, por Geoffrey Chaucer, data do fim do século 14. Ela é composta por relatos narrados por um grupo de peregrinos que viaja ao templo de São Tomás Becket, arcebispo da Cantuária, no Reino Unido, entre 1162 e 1170. Em 1998 o livro foi arrematado em um leilão após um lance de 7,5 milhões de dólares.


First Folio, William Shakespeare
A primeira coleção de peças teatrais de Willian Shakespeare, lançada em 1623, foi leiloada em 2001 por 6 milhões de dólares. O comprador foi o cofundador da Microsoft, Paul Allen. Originalmente, as peças eram vendidas pelo dramaturgo ao preço de uma libra. Acredita-se que cerca de 750 cópias foram criadas à época, contudo apenas cerca de 200 delas sobreviveram aos dias atuais.


Bíblia de Gutenberg
A Bíblia do Antigo Testamento impressa por Gutenberg em 1455 na Alemanha marcou o início da produção de livros em massa. Acredita-se que 180 cópias foram produzidas, 45 em pergaminho e 135 em papel. No entanto, apenas 48 sobreviveram à força do tempo. Em 1987 um dos exemplares foi vendido em Nova York por 4,9 milhões de dólares.

Detalhe: Existe um exemplar desta Bíblia no Brasil, na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro! 




Traité Des Arbres Fruitiers, Henri Louis Duhamel du Monceau
“Tratado Sobre Árvores Frutíferas”, em tradução livre, foi escrita pelo botânico Henri Louis Duhamel du Monceau e ilustrada por Pierre Antoine Poiteau e Pierre Jean François Turpin. A obra é composta por cinco volumes escritos em 1750, que retratam 16 espécies de árvores e seus frutos. Em 2006, uma de suas raras cópias foi comprada por 4,5 milhões de dólares.



Bestiário Northumberland 
Escrito na Inglaterra entre os anos 1250 e 1260, o Bestiário Northumberland, como o próprio nome indica, é um livro dedicado a catalogar bestas. A enciclopédia conta com definições e ilustrações de animais ferozes reais e imaginários, que são acompanhadas de fábulas e parábolas dedicadas a transmissão de preceitos morais. Em 1987, a obra foi vendida por 4,4 milhões de dólares.


Pra vocês, qual é o livro mais impressionante? Qual vocês queriam na sua biblioteca particular?
Deixem nos comentários.

Fontes: 
https://www.catawiki.pt/stories/1157-os-10-livros-mais-caros-de-todos-os-tempos
https://www.revistabula.com/13642-os-10-livros-mais-caros-do-mundo/


4 comentários:

  1. Adorei o post e todas as curiosidades que você nos trouxe. São obras realmente caras e algumas raríssimas. Legal ter um exemplar da Bíblia de Gutenberg na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. Ter em casa, acredito que nem nos mais fantásticos dos sonhos rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é muito legal mesmo ter esse livro no Brasil. O único problema é que quando você visita a Biblioteca nacional, eles dizem que possuem um exemplar, mas ele não esta em exposição. =/

      Excluir
  2. Natália, adorei cada obra valiosa que nos mostrou.
    Uma pena que em sua grande maioria não estejam em exposição para que todos tenham uma oportunidade de apreciar de mais perto.
    Eu sinceramente ficaria bem satisfeita se encontrasse uma dessas belezas escondidas entre documentos de família... Ficaria bem rica!
    Brincadeira! ;)

    De todos os livros mais caros e raros que mostrou, achei o
    Evangelho de São Cuthbert mais interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu queria o Codex de Da Vinci... ver como uma mente brilhante funcionava através de seus rabiscos e anotações. Seria fascinante!
      =)

      Excluir