Calma: The School of Life

12 dezembro 2018

PARE. RESPIRE. SE ACALME. 


Uma das características mais valorizadas hoje em dia é a resiliência ou calma. 
Resiliência no trabalho. 
Resiliência no relacionamento. 
Parece que o mundo tornou-se tão agitado; tão insuportávelmente sobrecarregado de coisas estressantes, que para você ser uma pessoa calma (ou resiliente) é preciso virar um monge budista. 

Se você (assim como eu) tem problemas em manter a calma no dia-a-dia, a School of Life, uma empresa que oferece cursos de desenvolvimento pessoal, lançou uma coleção de livros contendo os ensinamentos deles. 
E um desses livros tem como tema a calma.  

Então vamos desbravar os mistérios de como adquirir mais resiliência em todas as áreas da nossa vida...

Calma nos Relacionamentos

Manter um relacionamento não é fácil. 
Como já dizia o meu avô: "Se fosse fácil, ao casarmos não tinhamos que assinar um contrato, não é mesmo?"

Porém, independente de se o seu relacionamento é recente, ou se vocês já estão juntos há muitos anos, uma coisa é certa: na hora da briga perdemos a calma e falamos coisas que não gostaríamos ou falaríamos em uma situação normal.

Você já reparou que as maiores atrocidades são ditas as pessoas que mais amamos? 

"Raramente somos mais desprezíveis do que com as pessoas com quem concordamos em dividir a vida. No trabalho e entre amigos, somos sempre gentis e bem-educados. Mas, quando estamos perto da pessoa amada, aquela entre toda a população do planeta com quem assumimos o maior compromisso - a que esta no nosso testamento e tem direito sobre todas as nossas posses - mostramos um mau humor do qual os outros nem imaginam que somos capazes. (...) Podemos nos dar ao luxo de ser amistosos com os meramente conhecidos por uma razão muito simples: porque não ligamos tanto para eles." 

Ao contrário do que muita gente acha, um bom relacionamento não esta baseado na concordância absoluta com o companheiro (a), mas sim em encontrar um equilíbrio entre as prioridades e desejos de cada um. 

"Quando duas pessoas permanecem juntas, é inevitável que encontrem áreas de série divergência. Longe de ser prova de que o amor esta fracassando, o mapeamento das zonas de discordância é um sinal de que o amor prosperou e os dois estão passando do terreno da fantasia instável para o da realidade de bases sólidas e nobres." 
Além disso, com frequência o companheiro esta estressado com preocupações próprias, que nada tem a ver conosco, mas a tendência do ser humano é sempre levar para o lado pessoal o distanciamento do outro ao invés de respeitar que todos nós, às vezes, queremos ficar apenas com os nossos pensamentos.
"Portanto, o caminho para um relacionamento mais calmo não é remover os pontos de conflito. Em vez disso, o importante é saber que eles vão surgir e que exigirão muito tempo e reflexão para serem resolvidos. "
Conforme o relacionamento evolui, passamos a focar mais nos pontos fracos do outro. Mas isso é irônico, pois o que mais nos irrita hoje é provavelmente o que mais nos atraia no início do relacionamento. Deveríamos fazer uma lista de tudo que nos incomoda no outro e se perguntar:
"A que qualidade essa característica difícil esta ligada?" 

Ex:. Sou uma pessoa extremamente impulsiva. Sou elogiada por ser uma pessoa que resolve tudo, mas também que não tenho paciência. Ambas são pontos fracos e fortes da mesma característica.

Calma com o Outro 

Existem pessoas que vivem para importunar e serem rudes com o outro, concorda?
Mas e se eu lhe dissesse que não existem pessoas más? O filósofo francês Auguste Chartier (conhecido como Alain) pedia que não julgassemos que uma pessoa era simplemente má, mas sim, que procurassemos o alfinete que estava espetando um local delicado naquela pessoa. As pessoas não são más porque nasceram assim, mas sim porque estão lidando com dores que não sabem explicar e nem superar.
Merecem nossa pena... nossa empatia... não nosso ódio.


Calma no Trabalho

Passamos a maior parte da nossa vida trabalhando. Então, é lógico que nos importamos muito com nosso trabalho e a construção de uma carreira. Mas os temores não estão relacionamos apenas ao dinheiro. Trata-se de um medo de não encontrar a melhor aplicação para os seus talentos e de não constribuir para a comunidade.

A famosa geração Y (sim, esta pessoa se inclui nessa geração), que vem tomando conta do mercado de trabalho atualmente é formada por impacientes. Essa impaciência tende a estar relacionada com o fato de que as coisas levam muito tempo para acontecer, e a sensação de que elas estão levando muito mais tempo do que deveriam.
E quando ficamos frustrados com nossa carreira, a tendência é culparmos as pessoas com as quais trabalhamos. EStamos cercados de incompetentes e preguiçosos.
Mas, na verdade, trata-se de uma dificuldade nossa de trabalhar em conjunto com outras pessoas. E existe uma explicação para isso:
Seus colegas de trabalho não são você!

Você exige dos outros o que exige de si mesmo. Mas eles, não são você. 
Quando trabalhamos em conjunto, precisamo aprender o tempo todo a fazer concessões e perceber que no que você é ótimo, outra pessoa pode ter dificuldade e que isso não faz dela incompetente.
Deixe de ser um chefe delegando tarefas para todos e torne-se um líder avaliando seus colegas os pontos fortes e fracos, e trabalhando com eles para aperfeiçoar os pontos fracos.

"Manter a calma não siginifica pensar que a situação é boa, agradável ou interessante. Significa apenas saber que bufar e espumar de raiva só tornam o problema ainda maior."
"Ficar calmo não siginifica, de modo algum, pensar que tudo sempre dará certo. Significa apenas manter um estado de espírito mais adequado para lidar com os desafios da vida."

E aí? sente-se mais preparado para desenvolver a resiliência nessas três áreas da sua vida? Quais as técnicas que você utiliza para se manter calmo em momentos de tensão? Conte pra mim nos comentários. 

Editora: Sextante
ISBN: 9788543104256
Ano: 2018
Páginas: 144

10 comentários:

  1. Eu bem que tento ser calma. Mas a minha vida anda tão confusa e bagunçada, que só com uma ajuda divina,eu me tornaria uma pessoa resiliente .
    Divergências existem,e tento não me importar tanto com o que vejo e escuto,mas percebo que quando tento ser assim,eu meio que adoeço...
    Sério!!!!
    Na idade em que estou,o que era suportável,já se torna um fardo grande demais!
    É cansaço mesmo.

    Mas achei a dica desses livros preciosa. Talvez eu precise lê-los em outro momento,mas nesse momento eu não conseguiria.


    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que a forma que encontrei para me ajudar a manter a calma foi ligar o foda-se pra tudo e todos. Inclusive, recomendo FORTEMENTE que você leia "A sutil arte de lugar o foda-se". Acredito que será libertadora a leitura para você.
      Tem resenha no canal, depois dá uma olhada. Assim como você, eu também me sentia muito mal por ter que manter a paz, traqnuilidade e ficar calada engolindo sapo quando queria mandar todo mundo pro inferno. O foda-se foi a solução.

      Excluir
  2. Adorei o seu post!
    Parece que cada vez mais você precisa pensar duas vezes antes de tomar qualquer atitude para não causar nenhum estresse. Acho que a minha maior dificuldade nas três áreas são as outras pessoas, por mais que você se esforce para manter o equilíbrio, você também depende das pessoas a sua volta para não se deixar abalar com tudo. Para mim, essa tem sido a pior parte...

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoas são muito difícies. Eu, particularmente, tenho uma dificuldade enorme em lidar com pessoas. Por isso fiz comunicação social na faculdade! Hahahahahahaha
      Pra aprender a ser mais SOCIÁVEL! E não tenho muita paciência...sabe o sr. Saraiva? É meu tio! Hahahahahahahaha. Por isso esta sendo tão importante aprender a gerenciar melhor a minha personalidade e desenvolver a resiliência.

      Excluir
  3. Eu sou assim como você rsrs Mas confesso que de uns tempos para cá tenho exercitado a prática de autocontrole e manter a calma em situações que antes eu estouraria facilmente. Um dos motivos que me incentivaram pra isso foi justamente perceber que cada um é cada um com suas qualidades e defeitos, e que nem tudo é regido pelo meu ângulo de visão. Adorei a sugestão da coleção. É mesmo importante trabalhar certas atitudes em nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estou tentando aceitar que cada um é de uma forma e que preciso respeitar isso. Mas a minha impaciência maior é em relação a coisas que não posso controlar.

      Excluir
  4. Lembro da época em que eu era elogiado por minha calma, hoje em dia as coisas se tornaram totalmente contrárias, vivo estressado. Gostei bastante da ideia do autor sobre o livro, os quotes citados me empolgaram bastante com a leitura, me fez refletir com as poucas palavras, imagino com o livro completo. Gostei!

    ResponderExcluir
  5. Oi Nat,
    Que bacana os cursos! Confesso que é algo que eu preciso já que sou extremamente agitada, bocuda e nada calma, rs.
    Bem, em questão de relacionamento, aprendi a melhorar em quase 90%, ainda tenho o que aprender, mas acredito que mantendo o mantra eu consiga... já fui muito nervosa, hoje tento raciocinar antes de perder a calma.
    O que mais me incomoda hoje é como perco a paciência no trabalho, quando se trabalha com pessoas o dia todo, cada uma diferente da outra, e você tendo que manter o sorrido o dia todo, bem, não é fácil...
    O jeito é aceitar, tentar sempre melhorar e seguir em frente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que hoje em dia esse livro se aplica para tudo porque até mesmo para tomar uma xícara de café tem que se conhecer duas vezes porque cada ação gera uma consequência que pode gerar consequências das pessoas e assim sucessivamente o livro interessante porém não é muito Meu gênero

    ResponderExcluir
  7. Hahaha, amei esse "dizer" do seu avô. Ele está certíssimo!!!
    Eu nunca li verdades tão verdadeiras quanto a do primeiro quadrinho azul. Eu nunca estive em um relacionamento romântico, contudo, creio que esse comportamento possa ser estendido pelas diversas relações que temos ao longo da vida, inclusive com nossos pais e amigos mais próximos.
    Infelizmente, me vejo enquadrada nesse ponto e, embora eu tente me corrigir (principalmente nos últimos meses), ainda me pego sendo completamente antipática com meus pais em alguns momentos, o que é terrível, pois eles estão sempre fazendo o melhor por mim.
    Opa, têm alguns livros que afirmam que algumas pessoas nascem más sim, todavia, não vou dar uma de filósofa de "o homem é o lobo do próprio homem", acho que as pessoas podem mudarem, independente de como nascem, seja para melhor ou para pior. E acredito totalmente que mostrar empatia pode sempre ajudar o próximo.
    Eu tenho dificuldade em trabalhar em grupo, contudo, sou incrivelmente calma no meu estágio, talvez porque o trabalho não é tão pesado nem tenha tanta cobrança por lá. Não tenho muita experiência nesse campo para dar uma opinião mais aprofundada.
    Ter resiliência é incrivelmente difícil, ser paciente exige treino e tempo, mas eu realmente estou tentando melhorar nesses pontos da minha vida. Obrigada pelas dicas <3!!!

    ResponderExcluir