Primeiro livro com a foto real de Machado de Assis

16 junho 2019


Machado de Assis era um homem negro. 
O rascismo o retratou como branco. 
É hora de retratar essa injustiça. 

A Faro Editorial lança em este mês “O homem que odiava Machado de Assis”, do autor vencedor do prêmio Sesc de Literatura e indicado ao Jabuti, José Almeida Junior. O livro é o primeiro publicado no Brasil com a imagem de Machado de Assis negro em sua capa - campanha lançada no dia 3 de maio pela Faculdade Zumbi dos Palmares-, e mistura história e ficção em torno de um dos gênios da nossa literatura, Machado de Assis.



No site da campanha, é possível assinar um abaixo assinado para obrigar as as editoras e livrarias deixem de imprimir, publicar e comercializar livros em que o escritor aparece embranquecido e substitua a imagem pela foto de Machado de Assis real.

Confira a sinopse do livro
Aos seis anos de idade e após a morte de sua mãe, Pedro Junqueira chega ao Morro do Livramento para morar com sua tia materna D. Maria José. Logo o garoto se envolve em desavenças com um agregado chamado Joaquim Maria Machado de Assis. Já em sua juventude, Pedro vai estudar em Portugal, onde conhece Carolina. Depois de um breve relacionamento Carolina fica grávida e Pedro a abandona. Algum tempo depois, ele volta à terra natal e, num Sarau de comemoração à aprovação da Lei do Ventre Livre, Pedro reencontra Carolina, e a descobre casada com seu desafeto de infância, Machado de Assis. O destino não poderia ser mais cruel e injusto do que isto.
O livro traz inúmeras personagens da literatura brasileira, afetos e desafetos de Machado. E recria, a partir de uma extensa pesquisa histórica, cenas da época, e um curioso e intrincado duelo entre dois homens que lutam pelo amor de uma mulher. Em meio a essa briga nascem duas das maiores obras do bruxo do Cosme Velho.

O que acharam da campanha para retratar Machado de Assis de forma correta? Deixem aí nos comentários.

COMPRE O LIVRO 

6 comentários:

  1. Olá! Fico feliz em saber disso, Machado de Assis deve ser retratado com sua aparência real! Li apenas um livro dele e pude constatar a sua genialidade, ele com certeza foi um dos escritores mais renomados do Brasil. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oiii ❤ Ahhh, tô muito feliz que finalmente Machado de Assis vai ser retratado negro, como realmente era. Isso é algo histórico!
    Foi muito errado retratar ele como não era, o que nos faz refletir até onde o racismo chega. Quem fez isso não tem coração mesmo, menosprezar alguém por sua pele e ainda por cima mudar sua cor... É revoltante.
    Espero que a venda de livros onde ele não aparece negro seja mesmo vetada.
    Vou adorar conferir essa obra em breve, vai ser uma experiência legal a história de Machado de Assis ser narrada por um ponto de vista diferente.
    Obrigada pela boa notícia! ❤

    ResponderExcluir
  3. Essa Universidade Zumbi dos Palmares está com uns projetos muito bons e pertinentes. Concordo plenamente que a imagem de MAchado de Assis deva ser revista nos livros, principalmente, nos livros didáticos.

    ResponderExcluir
  4. A universidade está de parabéns, acho muito justo essa correção, fico pensando se ele estivesse vivo o que acharia disso. Li duas obras do autor e gostei muito estou com outra aqui para ler

    ResponderExcluir
  5. Olá! É inacreditável saber que a imagem desse grande autor não é a correta, fica a dúvida “Que país é esse?”, enfim iniciativa maravilhosa essa em retratar de maneira fidedigna o autor. E essa sinopse já aguçou minha curiosidade e fiquem bem empolgada para conferir a história.

    ResponderExcluir
  6. Finge que eu estudei sobre Machado de Assis ensino médio eu fiquei indignada sobre Como o racismo retrator esse grande homem como sendo uma pessoa branca. A ideia de um homem negro ter sido tão importante para a construção desse país e de sua literatura deve ter sido avassaladora a ponto de embranquecer esta figura

    ResponderExcluir