Amante Eterno

07 agosto 2019

"E sei que sua voz é o som mais adorável que já escutei" – ele a beijou suavemente.
 Sei tudo sobre você e tudo o que vejo é lindo. E tudo o que vejo é meu."

Este é o segundo volume, da saga da Irmandade da Adaga Negra.

Nele conheceremos o galã e o mais letal dos irmãos. Estou falando, daquele que contém a maldição...

Então, venham comigo descobrir sobre o Hollywood, da Irmandade!!!!!
Rhage, o Hollywood, é o próprio deus da beleza. Contudo, ele possuí um outro lado da moeda ... A besta( uma criatura que vive dentro dele). 

Devido a uma maldição, dada pela Virgem Escriba, devido a erros do passado. R. tem que conviver com a Besta. Sendo que, para domá-la, precisa dosar seu temperamento. Ou seja, toda vez que sente: dor/ ira/ frustração/ raiva, até mesmo em momentos de risco mortal, o dragão se liberta. Logo, o único modo - que ele via - para acalentar a Besta, era por meio de sexo e lutas constantes. 
"Se eu sentisse menos, seria diferente, mais fácil. Mas você provoca algo estranho em meu corpo, por isso, segurar-me totalmente é a única maneira de estar com você. Do contrário, posso me descontrolar e a última coisa que quero é apavorá-la. Ou pior, machucá-la."
Até que, conhece Mary (uma humana). E desenvolve, quase que instantaneamente, o instinto de reivindicá-la como sua companheira, anulando qualquer outra mulher de sua vida. A ponto, de brigar com o Wrath, seu líder, por causa disto. Afinal, uma das leis da "IAN" é: que um humano não pode saber da existência de um vampiro, muito menos, morar com um deles.

Vou simplificar como -  o núcleo de - , Mary chega a ter contato com a Irmandade:
  • Mary, humana , insegurança sobre si mesma. Descobre que está com leucemia, porém, esta situação não destrói a sua gentileza;
  • Bella (Só digo uma coisa: até agora, esta é a melhor personagem feminina da saga. Fantástica), melhor amiga de Mary. Esta é vampira, mas a nossa mocinha não sabe deste pequeno detalhe, sobre sua "best".Observação: São vizinhas;
  • John, o vampiro em pré transformação, entra na vida de Mary. E esta, influenciada por Bella, o ajuda.
É, neste ideia, que a narrativa começa a se desenvolver. 

O enredo inverte a personalidade - que primeiramente nos apresenta - do casal em foco. Rhage, o despreocupado, divertido, pateta, leal, sincero, sarcástico e charmoso (o próprio "Deus grego") se torna mais dramático. Enquanto, Mary, a resiliente e cheia de inseguranças, não sente temor e saí "a mil por hora" - tomando as rédeas da situação - quando descobre sobre este mundo místico. Isto, é lógico, só apaixona mais o protagonista. 

Não podemos negar, a química do casal. Por mais, que em alguns momento os receios e os excessos de cuidados do R. fossem massantes. Todavia, até nesses momentos o enredo justifica o motivo, deste comportamento.

E percebemos, que era a nossa vontade em vê-los juntos,
 querendo atropelar os acontecimentos e o
 desenvolvimento dos personagens, como um par.

Mary é o fogo e a água que controla o Rhage. Por esta razão, ele "abre mão" das vólvulas de escape. Porque decide lutar, para conseguir estar com ela. Mas ...
"Uma magnífica tatuagem, multicoloria, cobria completamente suas costas. O desenho era o de um dragão, uma assustadora criatura com cinco garras e um corpo contorcido e poderoso. Do seu lugar de descanso, a besta a olhava fixamente, como se de fato espreitasse através de seus olhos brancos. E, enquanto Rhage caminhava, a coisa se movia com as ondulações de seus músculos e pele, mudando de posição, agitando-se."
Mas a Besta se agita, toda vez que ele está perto dela. E, logo, percebemos que o dragão também ama a nossa mocinha. Mas como desenvolver essa estória?
Aí que está o "x" da narrativa.
Temos dois seres místicos - o vampiro e o dragão -
 que convivem em um mesmo corpo, amando a mesma mulher.

É arrebatador e angustiante, como tudo acontece. 

Gente, é sensacional como a escritora os amadurece, neste relacionamento. A paciência, lealdade, união e amor que se mostram mais fortes, do que os obstáculos que aparecem. E que tentam enfraquecer a estrutura que está se formando. 
“- Não sou sua – sussurrou ela.
 A rejeição não o desconcertou.
- Bem. Se não posso tê-la, então, eu me dou por inteiro para você. Pegue tudo de mim, uma parte, um pedacinho só, o que quiser. Mas, por favor, fique com alguma coisa.”
Amores, meu personagem preferido, neste livro, é a Besta. O jeito que Ward, descreve a interação do dragão com eles, é fabuloso.

Sem esquecermos que, simultaneamente, está ocorrendo a guerra. E a ação continua, a cada noite. 
Os personagens secundários, com os seus dilemas, o afeto e o sentimento de família, que estes guerreiros - um pelos outros - fica mais em evidência, neste livro. Ouso em dizer, que percebemos, mais nitidamente, que a aceitação de como é o outro e suas peculiaridades estão em ênfase.
"- Não teme a dor? - perguntou ela
- Não, mas lhe direi o que me assusta como o inferno. Perder você."
Estou gostando, das personalidades complexas - cheias de vida - que a escritora deu aos integrantes ou vinculados da Irmandade da Adaga Negra. Em contrapartida, continuo não gostando do núcleo da Sociedade Redutora. É o momento chato, da leitura. 

Contudo, as reviravoltas, foram boas. A escrita flui muito bem. A dinâmica, dos personagens, foi surpreendente. E o final ... é de aquecer e acelerar o coração.

Curiosidade:
  • Este volume, assim como no primeiro, possui cenas "calientes". Todavia, são "do nada" e nem sem propósito. A harmonia, destes momentos, fluem -plausivelmente - no contexto. Exemplo: No ato sexual, o vampiro consegue criar um vínculo - com uma flagrância - do seu amor. Deixando e evidência, para os demais, que este está comprometido.
Escritora: J. R. WARD
Editora: Universo dos Livros
Série: Irmandade da Adaga Negra
Livro: 02
Páginas:448
Título Original: Lover Eternal
Ano de Lançamento, no Brasil: 2010
Resumão da série:

A saga nos remete a uma guerra, que ocorre no mundo ( No estilo: "Constantine").
Todavia, essa batalha é entre os seres místicos.

  • De um lado, a Irmandade da Adaga Negra com a mãe "Virgem Escriba"( formada pelos vampiros, que possuem estrutura de guerreiro - no início somente com os genitores escolhidos.);
  • Do outro lado, Os Redutores com o pai "Ômega" ( Seres que, anteriormente, eram humanos com má caráter. E, agora, lutam para exterminar os vampiros).
Não seria como DEUS E O DIABO, pois existe um Deus a cima dessas entidades. Afinal, a Virgem Escriba e o Ômega são irmãos.

Cada volume, tem como foco um vampiro que é envolvido com a Irmandade. Com cenas de lutas, amizade, lealdade e "calientes"( digna de uma estória de vampiros).

A Ordem da série (Não coloquei os pares, para o "spoiler" não ser demais Rsrsrs):

Obs.: Depois do 12º livro, estarei incluindo a ordem do Spin Off da Saga  - " Legado da Irmandade da Adaga Negra".

Sobre o J. R. Ward: 

A escritora "Jessica Rowley Pell Bird Blakemore", norte americana, nasceu em , começou a escrever ainda criança , com narrativas curtas. Porém, antes de iniciar a faculdade, escreveu o seu primeiro romance. 

Depois de algum tempo, conquistou duas formações:
  • História e História da Arte - com foco no período Medieval, em Smith College;
  • E em Direito, no Albany Law School.
Todavia, a carreira de escritora, se desenvolveu após o incentivo de seu marido "John Neville Blakemore III". E em 2002, consegue sua primeira publicação com o livro "Leaping Hearts".

Jéssica escreve com dois pseudônimos:
  • Como "Jessica Bird " - Romances Contemporâneos;
  • Como "JR Ward" - Romance Paranormal.
Em 2007 o "The Romance Writers of America" concedeu-lhe o "Prêmio Rita - de Melhor Romance Contemporâneo", pelo romance "From the First" e em 2008 "Prêmio RITA - de Melhor Romance Paranormal" para Amante Revelado. Ela, também, foi a número 2 na lista de best-sellers do New York Times de 2014.

Ficou curioso? Abaixo, está o link para adquirir o exemplar.


COMPRE O LIVRO 

8 comentários:

  1. Quantos livros tem essa série; ainda não li nenhum. Gosto de enredos assim, afinal tem uma boa mistura de ingredientes para nos prender na leitura. Acho legal cada livro focar em um determinado personagem, afinal nos dá a oportunidade de conhecer todos muito bem.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Acabei de descobrir em que livro parei (achei que tinha avançado mais). O bom é que já sei por onde recomeçar (risos). Eu até comecei esse livro, mas meio que a história não estava funcionando (pelo menos naquele momento) e eu o coloquei de volta na fila. Mas depois dessa resenha já bateu aquela vontade de conhecer melhor o nosso protagonista que promete arrancar muitos suspiros hein.

    ResponderExcluir
  3. Olá! ♡ Nossa, quanto mais eu descubro sobre essa série, mais minha vontade de ler ela aumenta! Estou cada vez mais fascinada pelo universo que Ward criou.
    Adorei a premissa do primeiro livro, mas a deste segundo me conquistou!
    Estou muito animada para ver a relação de Rhage e Mary desenvolver. Confesso que adoro romances entre humanos e seres sobrenaturais kkkk.
    Quero muito saber mais sobre a maldição de Rhage e sobre o dragão também.
    O final parece ser surpreendente.
    Obrigada pela indicação!
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  4. Nossa,esse segundo livro da série,pelo que li da sua resenha,promete um romance ainda mais arrebatador que o primeiro.Assim como também mais interessante.
    Já que dois seres totalmente distintos se apaixonam pela mesma mulher, mesmo "habitando" o mesmo corpo .

    Bem, preciso prosseguir com a série, pois só li o primeiro .

    Eu gostei!

    ResponderExcluir
  5. Olha, estou começando a gostar ainda mais dessa série. Principalmente depois dessa resenha, e agora estou louca para conhecer os dois lados do Rhage com até a Besta gostando da Mary, que inclusive me parece uma mocinha encantadora. Pobre Rhage que não pode sentir as emoções por causa de uma maldição, deve ser bem sufocante. Esse segundo livro me deixou mais curiosa que o primeiro.

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho uma amiga que fala sempre para mim que eu preciso ler essa série porque vou gostar demais (ela já leu todos eles). Agora, lendo as suas resenhas sobre a série sinto que realmente posso gostar desse mundo criado pela Ward.
    Aliás, a Besta parece sensacional. Quero muito conhecer esse personagem, ao mesmo tempo parece ser mocinho e vilão.

    ResponderExcluir
  7. Esse é o meu livro preferido da série, por causa do Raghe é o amor da minha vida rsrs. Acho que por causa do dragão sou fascinada por eles. Gostei muito da Mary também, mas não tem como não se apaixonar pelo Raghe ele é tudo de bom, lendo a resenha me deu saudades e vontade de ler de novo rs. Esse romance dos dois é muito fofo, mas também não vai ser fácil, por ela ser humana e estar doente.

    ResponderExcluir
  8. Oiii ❤ Se na resenha sobre Amante Sombrio já fiquei curiosa e fascinada por IAN, agora estou muito mais. Esse casal chamou ainda mais atenção do que o do livro anterior.
    Deve ser interessante ver como a maldição de Rhage funciona, como é o Dragão, como funciona isso de ambos gostarem de Mary, etc. Tem muita coisa que eu quero descobrir sobre esse livro.
    Quero ver como o romance entre Mary e Rhage vai se desenvolvendo e quero que ele quebre a maldição.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir