Diário de Sobrevivência




Você acha normal acordar todos os dias e se dirigir ao trabalho pedindo para ser demitida, pois assim você estaria livre da empresa em que trabalha e não seria a culpada... a louca... de ter pedido demissão no momento em que milhões de brasileiros estão desempregados?
Eu não acho.
Eu acho que isso é uma ambiente TÓXICO.

Você acha normal rezar para não cometer nenhum erro quando esta fazendo um "favor" para alguém, pois você sabe que se tiver alguma falha... se algo não estiver exatamente como essa pessoa queria, ela irá dar um ataque, e a sensação que você tem é como se ela fosse bater em você? Mesmo ele nunca tendo batido em você?
Eu não acho.
Eu acho que isso é um relacionamento TÓXICO.

Você acha normal que você vá dormir todas as noites querendo acordar em outro lugar, e quando lembra que no dia seguinte irá recomeçar tudo de novo, você quase tem vontade de não acordar?
Eu não acho.
Eu acho que isso é uma ciclo de vida TÓXICA.

Por que então eu continuo fazendo isso TODOS OS DIAS comigo mesma?
Por que eu não consigo me sentir feliz?
Por que eu não consigo me sentir grata pelo que tenho?

Tudo que eu sentia era que estava presa.
Presa num emprego que detestava
Presa num país que odeio
Presa numa vida da qual não me orgulho.

Se eu morresse hoje, teria a sensação de que vivi uma vida bem vivida?
Não.
Se eu morresse hoje, teria orgulho da minha vida?
Não.
Se eu morresse hoje, sentiria falta da minha vida?
Não.

Bem vindo a minha vida. 
Uma vida TÓXICA.

.............................................................................................................................

Senta que lá vem várias lições de vida...

Você sente o peso dessa palavra?
FRACASSO.
FRA-CAS-SO.
fracasso
Não importa a forma como você escreve isso, sempre dói não é mesmo?
E sinto-lhes informar, mas eu fracassei.
E muito!

No ano passado eu anunciei que estava me separando pois não aguentava mais a violência do Brasil após passar por mais um tiroteio. Eu queria ir para a Europa (onde vive a minha família) e meu marido não. Não era falta de amor; apenas objetivos de vida diferentes.

Fiz um planejamento. Eu abriria uma empresa que me garantiria um visto de empreendedora, e ficaria na casa da minha mãe por 1 mês adiantando toda a documentação necessária e procurando um quarto e sala para alugar.
Porém, ai vem a primeira lição: por mais que você se planeje, vai dar merda. 
A questão é se você vai conseguir resolver a merda ou não.
E eu tive que lidar com muitaaaaaa merda.
E não, eu não consegui lidar com todas elas.

Pra começar, abrir uma empresa aqui requer que você tenha um cantador full time desde o primeiro dia. Ou seja: você vai pagar 120 euros pro cara não fazer absolutamente nada, já que sua empresa é pequena... iniciante... e não tem fluxo de caixa pra ter a demanda de um contador. Mas é obrigatório. No Brasil, você pode contratar esse serviço quando chega a época do imposto de renda. Em Portugal não.
Esse foi o início das merdas. Contratei uma advogada que me aconselhou a abrir o MEI português (recibo verde) e assim dar entrada no pedido de residência com isso. Mas eu não poderia voltar pro Brasil.
Oi?!
Eu não estava preparada pra isso!

Quando decidi ir pra Portugal minha vida estava uma merda. E já fazia uns 2 anos que estava assim.
É ilusão achar que você pode mudar sua vida se continuar fazendo as mesmas coisas, por isso, eu sabia que precisava mudar. Há 2 anos tive um tumor na tireóide. Retire e perdi minha voz por 6 meses. Logo depois fui demitida. Na sequência tive apêndicite com complicações sérias no pós operatório; e pra fechar com chave de ouro, eu fiquei num tiroteio na esquina da minha casa com meu cachorro. Eu estava exausta. Uma pilha de nervos. 
E me sentindo completamente fracassada. 

Fracassada por escolher uma carreira que nunca consegui exercer.
Trabalhava numa empresa que é "a meniandos olhos de ouro" de todos, mas eu odiava o meu departamento e meus chefes, logo, consequentemente meu trabalho. (A empresa até que é boa, ok?)
Meu canal nunca me deu alegria. Apenas frustração vendo outros conseguirem bater metas atrás de metas e eu, por mais que me esforçasse, continuava uma blogueirinha de merda.
E para completar, eu sempre tive uma pergunta martelando na minha cabeça: "E se?"

E se eu fosse pra Europa como sempre quis? Seria mais feliz?
E se eu tentasse e voltasse com tudo resolvido? Meu marido iria atrás de mim? Se sentiria mais seguro?
E se eu tivesse seguido o meu caminho quando terminei a faculdade ao invés de seguir o caminho mais fácil pra ganhar dinheiro? Seria feliz profissionalmente?

Eis a segunda lição: Você não consegue seguir sua vida se existe uma pergunta sem resposta a cada esquina. 
Eu naõ podia voltar no tempo, mas podia tentar abrir portas para o meu futuro.
Segui meu coração, que dizia que eu precisava tentar ir atrás do meu sonho. E ignorei minha cabeça que gritava que eu estava jogando fora a minha família. O meu porto seguro.

20 dias. Foi o tempo necessário para eu tomar a minha decisão.
20 dias sem ter que me preocupar com violência ou contas atrasadas.
20 dias para avaliar o que realmente importava e porque eu era tão infeliz no Brasil.
Sabem o que eu descobri? 

Que por mais que eu conseguisse conquistar as coisas que eu queria (e sim, eu abri o MEI portugês, teoricamente, posso trabalhar remotamente para lá, o que já é um ótimo plano B), nada disso valia à pena sem ter meu marido e meu cachorro comemorando ao meu lado.
Porque eles são a família que eu construí ao longo de 11 anos.

Eis a terceira lição: Suas vitórias só são vitórias se você puder compartilhar com as pessoas que ama. Senão, elas se tornam apenas conquistas vazias. 

Com isso, mandei mensagem para meu marido no Ano Novo, lhe pedindo perdão e desejando que em 2019 nós pudessemos resolver as nossas diferenças. E que voltaria para o Brasil no dia 27/01 (data prevista para a volta) para conversarmos. Pois não achei que ficassem bem discutir nosso relacionamento pelo whats app.
Achei que tivesse sido clara: "Me espere. Nós vamos resolver. Estou voltando para você. Me perdoa."

Mas não fui.
E ao chegar ao Brasil, descobri uma traição. Com uma mulher que frequentava a nossa casa. Uma mulher que não teve um pingo de sororidade comigo. Nem 2 meses de separação, e ele já tinha dormido com outra.

Mas pode ser traição quando ele achava que tudo havia acabado entre nós? Quando eu mesma falei isso para todos?
Agora vejo que não, mas quando descobri e o sangue ferveu... eu coloquei ele pra fora de casa.
A culpa, na verdade foi minha.

Ele poderia ter esperado? Poderia.
Ele poderia ter desistido na porta do motel? Poderia (e deveria, afinal, quem esta sofrendo por um amor perdido a menos de 2 meses não deveria conseguir entrar num lugar desses. Eu não conseguiria...)
Ele poderia ter ficado com alguém que eu não conhecia pelo menos? Poderia, mas não fez.

Eu avalio que quem ama não trai. Mas se estavamos separados (na cabeça dele, pois na minha, meu pedido de perdão deixava claro que estava querendo uma reconciliação) ele tinha o direito de dormir com quem quisesse.
Eis a quarta lição: Não coloque suas expectativas em outra pessoa. Você não sabe com quais demônios ela esta lidando. 

No texto original (publicado na newsletter deste canal no ínicio do ano), eu dizia que quem ama não tem vergonha. É verdade.
Quem ama não tem. Mas quem trai, deveria ter.
E logo após a publicação deste texto, eu descobri que meu ex-marido não só estava comendo uma vagabunda que frequentava a minha casa (ex mulher de um amigo dele), como o fez na minha casa e na minha cama. Dando até a minha toalha (acho que isso é o mais imperdoável) para ela usar.
Obviamente, eu taquei fogo em tudo. 

Eu pelo menos tentei. 
Tentei conseguir uma vida melhor e um plano B para nós.
Tentei seguir um sonho de adolescente e quando cheguei lá, vi que não era mais a menina de 18 anos que queria uma aventura na Europa, mas sim uma família feliz e segura.

Descobri o que causava a minha infelicidade e me libertei. 
Se em 2018 eu foquei em descobrir meu propósito neste mundo; este ano eu estou focada em ter uma vida mais feliz, rodeada de coisas que me façam feliz; de pessoas que me façam feliz; e trabalhar a minha positividade.

Meu mantra este ano é: "Confia. Respira. Vai dar tudo certo."
A vida escreve certo por linhas tortas. Eu precisava passar por isso para me libertar, amadurecer e conseguir seguir em frente.
Eu precisava de um tempo longe de tudo para reavaliar minha vida; minhas prioridades e acalmar a minha alma.
Eu precisava de um tempo.

Errei na forma como saí do Brasil, queimando tudo que deixava pra trás.
Errei em não ter estrutura psicológica para seguir o caminho que meu coração mandava e não conseguir dar apoio ao meu marido que sofria (horrores) enquanto eu me preparava.
Errei em não ter deixado BEM CLARAS as minhas intenções; meus sentimentos; minhas angústias.
Errei em me comparar com outras pessoas que nem conheço. Booktubers; Pessoas que moram na Europa; Colegas de trabalho; Colegas de infância.
Eu errei.
Errei muito.
Mas também aprendi muito. E em muito pouco tempo, não é? Menos de 2 meses...
Eis minha última lição para você: Esta liberado falhar. 
Errar é humano. Todos erramos. Fracassar faz parte do processo de amadurecimento. Mas como eu já disse no meu mantra... confia... respira... vai dar tudo certo. Uma hora vai dar certo.

Confia. Respira. Vai dar tudo certo.  


.........................................................................................................


Dia das mães. Meu primeiro dia das mães COMPLETAMENTE sozinha. 

Esse dia sempre foi sinônimo de reunir a minha família em volta da mesa para um belo almoço (afinal, somos italianos! Tudo tem que ter comida!) celebrado com minha mãe e minha avó (que me introduziu neste mundo da literatura), enquanto meu avô e eu assistiamos a corrida de fórmula 1 na televisão.

Porém, há uns 3 anos atrás, a minha família inteira foi embora. 
Os que restaram.
O que quer dizer basicamente a minha mãe e meu irmão mais novo. 
Os outros morreram, em sequência em apenas 2 anos. Sim, em 2 anos eu enterrei todos os meus avós maternos e paternos, além do meu pai. 
Quando isso ocorreu, eu tinha um irmão pequeno (que não tava entendendo ainda muito bem o rolê) e uma mãe desamparada. Mesmo com apenas 20 anos na época, eu era a pessoa mais forte e mentalmente saudável para lidar com toda a situação. Visto que além de ver o marido morrer, a minha mãe ainda teve que lidar com um filho bastardo (da minha idade) descoberto 1 semana depois do enterro. 
Mentira... ela já sabia, Só confirmou, né? 

Nesse momento, eu precisava ser a base da minha família. 
E fui. 
Por muitoooooos anos. 

Enquanto minha mãe redescobria a vida de solteira, eu estava lá cuidando dela e do meu irmão. 
Enquanto meu irmão não conseguia escolher a faculdade, eu estava lá para lhe aconselhar. 
Enquanto minha mãe confiava em todo mundo, eu desconfiava de todos para resgarda-los. 
Enquanto todos os meus amigos pulavam carnaval, eu trabalhava na cobertura do evento na Globo. 
Enquanto todos os meus amigos pegavam geral, eu me envolvia em um relacionamento sério. 

Eu precisava de algo sólido. 
Eu precisava de alguém do meu lado. 
Mas eu não percebi que esse alguém, era mais problemático do que eu.
Minto. Na verdade, eu sabia. Mas aceitei, pois ele preenchia um vazio que havia em mim. 
O fato de me sentir sozinha. 

Quando você só pode contar consigo mesma, qualquer pessoa que fique ao seu lado se torna uma benção. Mesmo que seja o diabo. 

Mas mesmo uma rocha como eu, às vezes precisa de colo de mãe. 
Porque quando uma rocha se quebra, ela nunca mais será a mesma. Por mais que você tente remenda-la. Sempre terá uma lasquinha faltando. O encaixe nunca mais será perfeito. 
E eu quebrei. Em vários pedaços. 
Pedaços que eu acho que nunca irei reencontrar para um dia tentar colar novamente. 
Mesmo que falte uma lasquinha...

E nessas horas, você percebe que por mais dura que você seja, tem horas que tudo que você quer é o colo da sua mãe. 
Quando o mundo resolve desabar na sua cabeça, tudo que você precisa é sentir o corpo da sua mãe colado ao seu, dizendo no seu ouvido que "calma... vai passar... amanhã não vai doer mais"

Algumas dores não são como um machucado, que no dia seguinte realmente não doem mais e já até fazem uma "casquinha"
Algumas feridas nunca cicatrizam...
E quando você é uma rocha.... e quebra.... é desse tipo de ferida que estamos falando. 

Eu sei. 
Por mais que minha mãe dissesse que "vai passar", não iria necessariamente passar pois ela é mãe, não feiticeira! 
Mas tudo que eu queria nesse momento era ter ela me abraçando e falando no meu ouvido "calma... vai passar... amanhã a dor vai passar"

Muitas pessoas não possuem mais suas mães para lhe dizerem que vai ficar tudo bem. 
Só posso lhes dizer que eu sei bem qual é essa sensação. De se sentir sozinho no mundo. 
É uma sensação horrível. De desamparo.
É você acordar todos os dias e sentir que é você contra o mundo. 
E é exatamente essa sensação que vivo agora.
É exatamente essa sensação que vivo há anos. 
A diferença é que antes eu tinha o diabo ao meu lado. 
Agora, até ele eu mandei embora. 

Se você ainda tem uma mãe, agarre ela e não solte. 
Se você não tem agarre seu travesseiro. 
Chore.
E peça a Deus que esse dia acabe logo. 
Porque eu tenho certeza, que assim como eu, você gostaria muito de voltar a ser criança e ouvir:
"calma... esta tudo bem... vai passar.... essa dor vai passar... mamaãe vai dar beijinho no dodói e ele vai sarar". 
Só que não vai...

* Este texto foi escrito no dia 02/05, próximo ao primeiro dia das mães que passei sozinha, mas publicado apenas agora para não deixar a minha mãe desesperada (por estar no auge de uma crise de depressão e ela a kilômetros de distãncia, e para servir como alerta para o setembro amarelo.)
É exatamente assim que uma pessoa em depressão pensa nestas datas comemorativas. 
...................................................................................................


Ah... como dói.
Dói saber que você fez tudo por uma pessoa; ajudou ela a seguir seus sonhos; alimentou cada um deles; e no momento em que você queria os seus sonhos, essa mesma pessoa lhe pagou com ingratidão.

Casamento é companheirismo, e essa relação nunca foi de companheirismo.
Isso foi uma relação parasitória.

Enquanto eu servia a seus propósitos, você me mantinha ao seu lado. Alimentava meus sonhos, mesmo sem nunca ter a intenção de seguir com eles ao meu lado...
Afinal, por que outro motivo em sã consciência, alguém iria estudar holandês, não é mesmo? E por que outro motivo uma pessoa iria incentivar a outra a fazer isso, se não tivessem um mesmo propósito?
Mas você não tinha.

Ah... como dói.
Dói saber que durante todo esse tempo eu não conhecia meu próprio companheiro. Que todo aquele amor e desespero que ele demostrava em dezembro de 2018 era teatro. Afinal, ninguém consegue ir pra cama com outra pessoa após apenas 1 mês de separação. Quer dizer... consegue... se já houvesse algo antes.
Era tudo mentira. Descobrir que a pessoa que você amou era na verdade uma pessoa extremamente manipuladora, dói.
O amor cega as pessoas, mas perceber que você sempre foi manipulada por quem sempre amou... isso dói demais.

Ah... como dói.
Dói saber que mesmo depois de tudo que passamos juntos; da amizade que viviamos dizendo que tinhamos,  e que manteríamos mesmo se algo não desse certo, você não teve um pingo de respeito por mim.
Um pingo de respeito pela minha casa ao trazer uma vagabunda para o meu apartamento. Não é a carne que é fraca, mas sim o espírito. O motel existe para os que tem a carne fraca.
Mas você.... você fez isso só porque sabia que iria me ferir...

Dói, você não ter tido um pingo de respeito pela nossa cama. Que dividimos por tantos anos. Aonde me fez juras de amor.

Dói, você não ter tido um pingo de respeito pelas minhas coisas pessoais, pois até minha toalha você deu a ela.

Quando os gatos saem, os ratos fazem a festa. A casa era sua, né? Mas NÃO.
A casa NUNCA foi sua. Pois assim como um rato, eu lhe tirei do esgoto que você vivia e lhe dei um LAR. Você não percebeu, que NADA ERA SEU.

Ao longo de 36 anos anos de existência, o que você construíu?
Uma família que destruíu em apenas 1 mês de separação. E que enganou durante todo esse tempo.
Uma amiga que você desrespeitou tanto que ela nunca mais será capaz de lhe perdoar
Uma inimiga para a vida inteira
Um emprego que só conseguiu porque paguei um curso para você.

Onde estava sua família quando você mais precisou?
Onde estava sua família quando você foi posto pra fora de casa por fumar maconha?
Onde estava sua família quando você nao tinha emprego e vivia de bar em bar por não conseguir viver em casa com seus parentes?

Eu estava ao seu lado
A minha familia estava ao meu lado. Ao NOSSO lado.
Você foi acolhido e não soube dar valor.
Como diz a música, "Você pagou com traição, a quem sempre lhe deu a mão."

Até seu "sonho" de reunir os amigos para falar sobre a sua paixão, só existe por minha causa.
Porque eu fui lá e disse: "Faça! Divirta-se"
Esse era o seu sonho. Não o meu. Mas eu ajudei, até onde pude.

Você chegou aos 100 videos! Parabéns!
Mas você esqueceu que 98 deles foram feitos comigo.
Você olha para sua nova companheira com olhar apaixonado e agradece a ELA, mas não a mim.
Que passei horas editando; montando; resolvendo os problemas quando você se desesperava por algo não funcionar; preparando tudo para receber seus convidados...
Você é grato a quem "incentivou" o canal no ínicio.
Mas é a ELA que você agradece.

Percebo agora que eu nunca fui sua companheira, mas sim sua mãe.

Você nunca pagou uma conta em casa, pois se fizesse pagaria errado. Como fez nas poucas vezes que lhe pedi esse favor.

Mercado? Era sempre eu que fazia. Do contrário compraria tudo errado e mais caro.

Flores? Nunca recebi.

Festas com os amigos? Eu poderia ir para as feijoadas nas escolas de samba... mas você nunca nem sentava na sala para conversar com meus amigos quando eles se reuniam aqui. Preferia se trancar no quarto para fumar mais um baseado e assistir qualquer coisa na televisão.

Café da manhã na cama? Era sempre eu que comprava e preparava o seu café. E o meu.

Passear com o cachorro? Eventos raros. Sempre com a desculpa de estar cansado do trabalho; do calor; ou não ter tempo. Mas você agora não esta cansado para viajar para a região dos lagos e tirar fotos na praia com ELA, não é mesmo? Onde estão as reclamações de calor?

Praia? Eu sempre fui sozinha ou com amigos enquanto você ficava em casa vendo a fórmula 1.

Viajar? Apenas uma vez ao ano, pois nunca tinhamos dinheiro. Mas se eu pagava as contas de casa, pra onde ia todo o seu dinheiro? Para o VGBL que EU insisti que você fizesse, já que EU pensava no nosso futuro?
Agora, vejo que você viaja constantemente com a outra. Até para Amsterdam você a levou... para comemorar o MEU aniversário. Pois Amsterdam sempre será isso. O LUGAR ONDE EU COMEMORO O MEU ANIVERSÁRIO!

O problema não era o dinheiro. O problema era nós.
Alías, dinheiro não é mesmo problema, né? Afinal você foi promovido!
Não vou lhe dar parabéns ou dizer que espero que você permaneça muitos anos na empresa, pois não sou hipócrita.
Pelo contrário. Sou verdadeira demais e isso é meu grande problema.

Algo dentro de mim se quebrou. E nunca mais será consertado.
Você conseguiu fazer isso. Meus parabéns.
Você não construíu nada, mas destruíu muita coisa.
Na verdade... destruíu tudo.

Quando conto tudo que aconteceu, as pessoas pensam que estou magoada pela traição. Por você ter comido outra mulher! E que tudo isso vai passar...
Não vai.
Porque não é mágoa. É desprezo.
Eu nunca vou conseguir perdoar a falta de respeito e a ingratidão.
Eu nunca vou conseguir me livrar desse desejo de justiça.
Espero mesmo que a lei do retorno exista. E se existir, farei pipoca para assistir.
O mundo dá voltas...

Sobre a vagabunda eu não precisava falar, mas vou.
"Mulher de amigo meu, pra mim é homem", ou pelo menos é assim o ditado. Deveria ser extendido para ex mulheres também, mas quem sou eu para modificar um "bro code"?

Existem quantas mulheres no mundo? No Brasil?
E você escolheu uma pessoa que frequentava a minha casa. Mais uma vez...ou já rolava há muito tempo...ou fez unicamente para me ferir, pois sabia que não haveria perdão.

Uma mulher que no MÍNIMO deveria ter tido um pingo de sororidade. Que se já não estivesse interessada, deveria pelo menos ter sido SUA amiga e lhe dito que estava cedo demais para se envolver com outra pessoa.
Tudo isso, só demonstra que as coisas já estavam acontecendo há muito tempo.... eu que não havia percebido. Ou você que ainda não tinha sido homem suficiente para pegar as suas coisas e seguir a sua vida.
Afinal, ter casa...comida... roupa lavada... tv o dia todo e poder fumar sua maconha em paz sem ninguém encher o saco... não é de se jogar fora, né?

Como um bom parasita dependente emocional, você encontrou um belo bote salva vidas e agarrou ele.
Vamos ver quanto tempo ela levará para perceber quem você realmente é.
Eu preciso lhe agradecer na verdade.

Se eu não tivesse tomado a atitude que tomei, continuaria vivendo uma farsa por anos e anos...
Achando que estava construindo um projeto de vida com uma pessoa que nunca nem soube o que era um projeto de vida.
Desde que tenha cerveja, televisão, samba e maconha.... tá tudo certo pra você.
Eu quero mais. MUITO MAIS.

Você atrasou meus planos de vida por tempo demais.
Eu sempre disse que eu era a base do nosso relacionamento, e quando eu rachei, você não se deu ao trabalho de tentar me remendar. Eu fui ao inferno e voltei. Não se preocupe, já que carimbei seu nome lá nesta breve visita.

Mas mesmo assim, é impressionante como eu ainda não consigo acreditar como deixei isso acontecer.
Há 4 anos atrás, quando tentei a terapia pela primeira vez, eu li um livro: Como enfrentar a violência verbal.
Lembro que procurei por todas as livrarias até encontrar. Li... marquei várias coisas no livro... e mesmo na capa tendo escrito "Aprenda a se defender de relações abusivas", eu li mas não percebi.

Você nunca me bateu
Mas palavras ferem mais do que tapas.
E suas palavras sempre me feriram.

Você acha normal, você sair pra comprar algo e perceber que esqueceu uma coisa que você havia pedido, e voltar pra casa com medo da reprimenda que você iria me dar? De que não presto atenção em nada? Que sou imatura?

Eu gerenciava uma casa, um cachorro e um filho de mais de 30 anos sozinha, enquanto trabalhava, estudava (já que você nunca quis fazer isso) e planejava nosso futuro.
Eu tinha coisas muito mais importantes na minha cabeça.
Sabe qual o nome disso: RELACIONAMENTO TÓXICO

Você nunca me bateu
Mas ações ferem mais do que tapas.
E suas últimas ações doeram muito mais do que qualquer surra...

Todos os meus amigos que me conhecem antes e depois de você, são unânimes em duas coisas:
1. Eu não sou uma pessoa fácil (meu temperamenteo é forte e difícil), mas eu cuido de TODO MUNDO.
2. Eu sou uma mãe. Não há nada que eu não faça por quem eu amo. Eu coloquei você dentro da casa da minha mãe, quando nem juntos nós morávamos ainda. Eu briguei com seu pai por você, pois não concordar com a forma que ele tratava o próprio filho.
Eu cuidei de você.

Mas... quem cuidou de mim?
Esse deveria ter sido o seu papel, né?

Tudo que me resta dizer é:
Todos os dias eu agradeço a Deus por não ter tido filhos com você.
Todos os dias eu agradeço a Deus por não ter comprado nenhum imóvel com você.
Todos os dias eu agradeço a Deus por ter amigos maravilhosos que me aparam e me mantém afastada de você.
Todos os dias eu agradeço a Deus por não dependender de você

Meu único arrependimento é ter assinado um maldito papel dizendo que nós tinhamos uma união estável. Ela nunca foi estável, não é mesmo? O que mais houve nesse relacionamento foi instabilidades. Desde o início.... e sabe? Quando uma coisa começa de forma errada, ela tende a continuar errada.

Você pode estar feliz agora.
Apaixonado.
Mas continua fazendo tudo errado...
E o mundo dá voltas.
Mas quando ele virar novamente, por favor, não conte comigo para lhe ajudar a se levantar.

Antes de ir embora, você me disse que se esta vivo hoje, é por minha causa. Que eu lhe salvei. E que você sempre será grato por isso.
Então seja grato ficando bem longe de mim e da minha família e parando de me enviar ameaças veladas. Eu sou jornalista, sei muito bem ler nas entrelinhas...
Você tem mais 36 anos para construir uma nova família com a vagabunda. Ou não, já que você mesmo disse que não pretendia ficar velhinho dando bengaladas na minha perna.
O tempo esta correndo para você.

tic...tac...tic...tac...

Já eu, estou começando a redescobrir o que é viver.
E você, espero que aprenda o que é o inferno.

...................................................................................................................


Eu acredito que nós só amamos uma vez na vida. 
Pois o amor real, ele é irracional. 
Quando amamos uma pessoa, somos capazes de abdicar de nossas vidas por aquela pessoa. Às vezes literalmente falando..
Eu abdiquei da minha vida por ele. 
Eu o amei. 
Muito. 
Mais até do que a mim mesma. 
Foi um amor completamente irracional. 

Quando você esta com uma pessoa que fuma maconha todos os dias da hora que acorda até a hora de dormir, você sabe que isso não é normal... não é saudável.... mas você continua com ela.
Pois você a ama.
Irracionalmente

Quando você esta com uma pessoa que não tem a mínima força de vontade de fazer nada para que vocês cresçam, melhorem e vida; não corre atrás dos seus sonhos junto com você, mas fica puto se você não ajuda-lo a realizar os sonhos dele.... isso não é normal...isso não é saudável.... mas você continua com ela. 
Pois você a ama. 
Irracionalmente. 

Quando você esta com uma pessoa que bebe todos os dias. Que se tiver uma caixa de cerveja na geladeira, fechada, vai acabar com ela em apenas 24h; sozinho pois você não bebe cerveja; você precebe que ele é um alcoólatra e precisa de ajuda. Isso não é normal... isso não é saudável... mas você continua com ela. 
Pois você a ama. 
Irracionalmente 

Quando esse amor acaba. Seja de forma trágica, ou não. O sentimento que você sente, mesmo sabendo que era uma relação tóxica, abusiva e completamente irracional, é de um luto profundo. 
Não de uma providência divina que lhe livrou de um fardo. 
Pois você amava aquela pessoa. 
Irracionalmente, mas amava. 

E por mais que você encontre outros parceiros ao longo da sua vida, você nunca mais amará ninguém. 
Pois você nunca mais se permitirá doar-se tanto quanto se doou para este amor irracional. 
E você tem consciência de que não quer passar por isso de novo. 
Pois você sabe que era irracional. Era tóxico. 

Mas sem doação, você não permite que o amor floresça novamente. 
E por isso, você nunca amará novamente. 
Você irá gostar de outras pessoas. 
Talvez até se case com elas. 
Mas aquela sensação de que você seria capaz de fazer qualquer coisa pela outra pessoa, você nunca mis sentirá. 
Porque agora você sabe que isso, era completamente irracional. 
Mas como eu disse, o amor não anda de mãos dadas com a racionalidade. 

E é por isso que você sabe que nunca mais amará ninguém. 
E aí vem a pergunta: 
É melhor viver em um grande amor irracional? 
Ou viver uma vida racional ao lado de outra pessoa que você nunca irá realmente amar? 

O ser humano não foi feito para ficar sozinho. Só chegamos ao estágio de evolução que estamos hoje, se é que podemos chamar uma raça que destroi o meio ambiente em que vive de evoluída, pois em algum momento da história da humanidade decidimos que juntos erámos mais fortes. 
Mas quando você perde o seu grande amor, e começa a perceber que nunca amará ninguém daquela forma novamente, é como se você percebesse que na verdade, você agora estará sozinho... pelo resto de sua vida.

E aí vem todas aquelas frases de efeito dizendo que você precisa aprender a se amar.
Mas a real, é que você precisa aprender a ficar sozinho.
Na verdade, a ser sozinho.

Amor.
Casamento.
Relacionamento.

Tudo isso esta associado a uma outra palavra. 
Companheirismo. 

Companheirismo significa saber que você não esta só nesse longo rolê que é a vida.
Companheirismo é saber que você não esta sozinho.

Você pode estar rodeado de pessoas, mas mesmo assim sentir-se sozinho.
Você pode ter um cachorro, que irá lhe amar incondicionalmente e ser um companheiro, mas na hora da merda, você continuará tendo que resolver tudo sozinho.
Você pode ter um filho, que será a luz dos seus dias, mas uma hora ele irá seguir em frente com a vida dele, e você estará mais uma vez... sozinho.

Amor é companheirismo. 
Amor é irracionalidade. 
Mas você nunca mais conseguirá ser irracional dessa forma. 
E é por isso que eu nunca mais amarei ninguém. 



0 comentários:

Postar um comentário