Biblioteca de Calouste Sarkis Gulbenkian

06 setembro 2019


Se você não conhece Calouste Sarkis Gulbenkian , não se preocupe. Eu também não conhecia até visitar a Fundação Calouste Gulbenkian, localizada no coração de Lisboa, que abriga um museu e uma biblioteca com um grande acervo bibliográfico referente a arte. 

Na biografia "O homem mais rico do mundo", publicada em Portugal e sem previsão de lançamento no Brasil, o biógrafo Jonathan Collin conta a tragetória deste magnata do petróleo, responsável pelas empressas Shell e Esso (se você tem mais de 30 anos, você lembra delas no Brasil...)

No Brasil ele é completamente desconhecido, mas em Portugal ele é conhecido como "Sr. 5%" devido a porcentagem que ele possuia na industria do petróleo. Quando ele morreu em 1955, com 86 anos de idade, ele era considerado o homem mais rico do mundo. 
Como um homem que possuia só 5% conseguiu se transformar no homem mais rico do mundo? 
Ah... isso é uma longa história... que você encontra nos livros que estão no final desta postagem. rsrs

Preparados para conhecerem a Fundação e Biblioteca de Calouste? Então vem comigo! 


COMPRE OS LIVROS 

15 comentários:

  1. Nat!
    Nossa! Babando aqui, tanto com o lugar como a coleção e livros e toda história dele.
    Quando for em Portugal, terei de ir lá.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá Rudy! É um local lindo e cheio de história. Aproveite para fazer piquenique nos jardins se o tempo estiver agradável.
      =)

      Excluir
  2. Olá! ♡ Ainda não conhecia a Calouste Sarkis Gulbenkian, mas que lugar maravilhoso! Já quero conhecer esse lugar tão cheio de cultura!
    Agora fiquei curiosa sobre como ele se tornou o homem mais rico do mundo kkk.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele se tornou o homem mais rico do mundo porque investiu em um setor em expansão e pouco explorada na época (o petróleo no oriente médio) servindo de mediador entre as grandes industrias petrolíferas europeias e o Oriente. Ao fechar esses acordos, ele não só levava uma comissão como ainda ficava com parte das ações da nova companhia, como a Shell.

      Excluir
  3. Oiii ❤ Uau, que acervo incrível! Eu adorei a Biblioteca de Calouste Sarkis Gulbenkian, não conhecia sua história e nem sabia que ele tinha uma fundação, mas gostei de saber sobre.
    Fiquei impressionada que ele começou só com 5% e conseguiu ficar rico. Legal saber que ele era dono da Shell e da Esso e já foi considerado o homem mais rico do mundo.
    Se um dia puder visitar Portugal, vou adorar conhecer esse lugar.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito a pena conhecer a história dele. Apesar de ele ter se tornado bilionário com a ajuda de uma industria que eu não gosto muito... é inegável que ele pelo menos usou a fortuna para promover a cultura, a arte e a ciência como pode.

      Excluir
  4. Ai que delícia, que lugar maravilhoso.
    Eu vou ter que ir para Portugal e conhecer todos esses lugares de conhecimento que encontramos por lá. Quem sabe um dia! Mas já vou deixar na listinha de lugares para conhecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na barra lateral do blog tem o "Literatura pelo mundo" com dicas de vários passeios literários que venho fazendo pelo mundo e separado por países. Quando for viajar, basta seguir o que esta ali.
      =)
      PS:. Eu sou uma ótimaaaaa guia turística, não sou?

      Excluir
  5. Considerando que eu não tenho nada na indústria de petróleo, to achando 5% muito rsrs. Porém é muito impressionante que ele tenha se tornado o cara mais rico do mundo com uma quantidade tão prquena de porcentagem. A Fundação é muito bonita com toda essa natureza ao redor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você for pensar em 5% de uma empresa, é pouco... mas 5% de várias empresas de petróleo em uma época que estava em franca expansão este setor e onde o mundo demandava constantemente por mais petróleo para a revolução industrial... 5% de sei lá... 3...4... empresas como essa corresponde a 20% do mercado mundial.

      Excluir
  6. Oi Natália,e mais uma vez fico aqui impressionada com tantos lugares lindos que está nos mostrando como o Fundação e Biblioteca de Calouste. A natureza é belíssima nesse lugar!
    E quanto ao "Sr. 5%", acredito que a cada porcentagem a que tinha direito arrecadada em vários cantos do mundo, dá para se ficar bem rico...
    Acho que eu ficaria satisfeita até com 2%.rsrs
    Eu também não conhecia nadinha sobre esse magnata. Mas me lembro bem das empresas Shell e Esso .

    Um pouco de história e uma viagem pelos os seus vídeos. Gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se eu não estiver enganada a Shell ainda existe na Espanha até hoje. A Esso é que faliu ou foi comprada na época e se fundiu com outra empresa (não lembro).
      Eu também ficaria satisfeita com 2 a 5% de uma empresa altamente lucartiva como essa. Acho que eu vou começar a comprar 5% de ações na bolsa de valores de várias empresas. Vai que eu viro Calouste um dia?

      Excluir
  7. Olá! As empresas eu até conheço, agora o empresário, para ser bem sincera nunca ouvi falar! Mas é claro que já bateu aquela curiosidade em saber mais sobre sua história, afinal ele conseguiu um feito e tanto. Quanto a essa bela biblioteca, fiquei aqui só na vontade de conhecer pessoalmente, quem sabe um dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade é que tirando os portugueses e o pessoal que tem alguma ligação com a industria do petróleo... eu acho que ninguém conhece realmete Calouste. Não conheço ninguém que eu diga algo sobre ele e que falem: "Ah sim! Já ouvi falar sobre esse cara! rsrsrs"

      Excluir
  8. Conhecia as empresas Esso e Shell quer dizer pelo menos via por aí rs. Mas quanto a esse homem que conseguiu uma proeza e tanto nunca tinha ouvido falar, é de ficar impressionada com tão pouco ele conseguiu se tornar alguém tão rico assim, deve ter sido uma trajetória e tanto que desperta curiosidade em saber mais. Gostei de saber sobre ele, conhecer essa biblioteca e sua fundação que lugar belíssimo e parece ser muito tranquilo para relaxar.

    ResponderExcluir