Reconstruindo minha Biblioteca

24 setembro 2019


No início do ano vocês acompanharam a minha saga para vender toda a minha biblioteca na minha mudança para a Europa. 
Eu possuia mais de 600 livros, muitos deles raros (como a minha coleção da Agatha Christie) e outros que nunca foram vendidos no Brasil. 
Consegui vender quase todos, restando uns 30 livros que ficaram no Brasil na casa de amigos, e que um dia espero conseguir resgatar. 

Com a mudança eu aprendi a desapegar muito. MUITO MESMO! 
E a parte que mais doeu foi me desfazer da coleção da Agatha Christie, uma coleção que levei uma vida inteira para montar e que tinha um significado muito especial para mim. 
Essa eu nem consegui vender, pra vocês terem ideia...

Mas agora, do outro lado do oceano, eu preciso reconstruir minha biblioteca. E como não tenho uma residência fixa ainda (e não devo ter pelos próximos 5 anos) eu acabei transformando o kindle no meu melhor amigo. 

Sim, eu vou reconstruir a minha biblioteca. Mas vou reconstrui-la digitalmente. 
E vou lhes dizer que estou conseguindo fazer isso com algumas dicas que vou passar para vocês. 

1. USE CUPONS
Quando você precisa comprar muitas coisas em uma loja só, como é o meu caso com os ebooks na Amazon, a melhor coisa que existe são cupons de desconto. A Amazon divulga alguns cupons para os associados, porém, se você não é uma associado Amazon, você pode recorrer a sites como o Cupom Válido que possui parceria com várias lojas e disponibiliza vários cupons no Submarino, Saraiva e Amazon. 
Basta procurar o melhor cupom pra você, usar e abusar. 

2. PARTICIPE  DE GRUPOS DE LIVROS
Se você tem um grupo de família no whats app que fica compartilhando apenas gifs com glitter e dando Bom Dia até o meio da tarde, por que não pode ter um grupo para receber todos os livros que estão em promoção? 
Eu sei... para bookaholics isso pode ser uma faca de dois gumes pois pode acabar promovendo um consumismo desenfreado, mas a regra do grupo de família também se aplica aqui. 
Mantenha o grupo no silencioso e só entre quando tiver algo para fazer mesmo; ou neste caso, quando quiser realmente comprar um livro mesmo. 

3. LIVROS GRATUITOS DO DIA
Isso minha gente é uma perdição. Se você achava que os grupos de promoções eram ruins para a sua saúde financeira, fique longe da aba de ebooks gratuitos do dia. É sério, é um caminho sem volta. Porque o negócio tá lá... de graça... tem uma história mais ou menos... ou uma capa cativante... e você pensa: Por que não? Afinal, tá de graça! 
E quando você percebe, acaba de baixar mais de 200 livros no seu kindle e nem percebeu. 
#truehistory

4. FAÇA UMA LISTA
Quando eu vim para a Europa, eu crie uma lista separada na Amazon só com os livros que eu possuia na minha biblioteca e que eu gostaria de ler algum dia, e que se eu tivesse espaço na mala, teria trago comigo. Por isso, sempre que sobra uma grana para comprar um livro, eu PRIMEIRO olho esta lista. Dessa forma, eu vou reconstruindo a minha biblioteca aos poucos. E o melhor é que eu me dou um livro desta lista de presente sempre que eu termino uma leitura do kindle. 

5. VERIFIQUE SUA WISHLIST TODA SEMANA
Se você der uma olhada em todos os livros que estão na sua wishlist pelo menos uma vez por semana irá descobrir que os preços variam bastante de uma semana para outra, chegando a ter até 50% de desconto. Principalmente em ebooks (o que é o meu caso), logo, aquele livro que custava 30 reais pode estar custando 15 reais ou menos. E quando isso acontece... VOCÊ COMPRA! Para quem ama livros, acompanhar a subida e descida de preços dos livros de uma wishlist é tão excitante quando acompanhar a subida e descida da bolsa de valores. 

Dessa forma o meu kindle já conta com absurdos 400 ebooks esperando na fila para serem devorados. E se formos analisar os títulos, veremos que são BEM DIFERENTES dos que compunham a minha biblioteca física no Brasil. Mas estou satisfeita como esta no momento. Estou descobrindo novos autores, novos títulos e não preciso carregar nenhum peso extra na bolsa. Esta sendo uma experiência transformadora. 
E estou até lendo mais, acreditam? 

Mas me contem. Quais as técnicas que vocês utilizariam se precisassem se desfazer da sua biblioteca e depois reconstrui-la toda novamente? Escolheria os mesmos títulos? Daria uma chance a coisas diferentes? 
Deixem nos comentários. 

15 comentários:

  1. Só de imaginar em desfazer dos meus livros, dá um aperto no coração, alguns até conseguiria me desapegar, mas outros não consigo nem imaginar isso rs. Não sei como faria se tivesse que recomeçar, pois não gosto de ler em e book que seria mais acessível e mais em conta, acho que começaria a comprar tudo de novo o físico, mas seria difícil a decisão de quais comprar, pois quando leio um livro não pretendo reler, então teria alguns que não compraria partiria para novos livros, mas tem uns que queria guardar o exemplar mesmo já tendo lido e que não sei se releria um dia. Esses cupons de ofertas são tudo de bom, compro muitos livros com eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, não foi nada fácil. Tive que trabalhar muito na técnica de Marie kondo para fazer isso, mas no final eu percebi que não precisava de nada além do que estava na minha mala de fato.
      Em relação a comprar tudo novamente, você precisa pensar em algumas coisas:
      1. Os livros que você tinha, você pode não encontrar no novo local para onde você esta indo. Eu, por exemplo, não tenho como comprar os livros se não forem em inglês.
      2. Você acaba sendo apresentada a vários livros que ainda não tinham no seu país, por isso, acaba meio que "esquecendo" o que deixou para trás.
      3. A não ser que seja um livro que você acessa com frequência, tipo... pensamentos budistas... ou um livro da sua área de atuação no trabalho... dificilmente você irá reler. Marie Kondo fala isso no livro dela, que livros de história em geral, dificilmente serão lidos pois você já sabe a história e já vivenciou o que ela tinha para lhe oferecer. Você guarda o livro como um lembrete daqueles momentos prazerosos, mas dificilmente irá revivê-los pois estamos sempre a procura de novas sensações.

      Excluir
  2. Olá! ♡ Acho que no seu caso o Kindle é mesmo a melhor opção, devido a praticidade dele. Eu também percebi que com o Kindle eu acabo lendo mais, adorei isso! ♡
    Acho que se eu fosse reconstruir minha estante, eu compraria novamente apenas os livros favoritos, aqueles que eu gostei muito, que foram leituras agradáveis e claro também iria dar uma chance a novos autores e títulos.
    Eu vivo indo na parte dos gratuitos do dia, encontrei muitas histórias que me cativaram, conheci vários autores talentosos, a maioria nacional. Tenho gostado muito da minha experiência com o aplicativo do Kindle.
    Essa coisa de verificar a wishlist toda semana, tem me ajudado bastante! É uma ótima dica com certeza!
    Adorei o post! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tenho descoberto novos autores muito interessantes. Não vou mentir dizendo que estou gostando de todos os livros novos que estou tendo acesso agora, mas esta sendo uma experiência nova e enriquecedora. O fato de não ter que me preocupar em encaixotar tudo e como transportar tudo para outra casa... ou outro país... é libertadora. Eu até tenho alguns livros comigo, normalmente os de capa dura que ficam bonitos de colocar em exposição. OU os que eu acesso com frequência para consultar algo. Mas o resto... vai tudo pro kindle.

      Excluir
  3. Fiquei com uma dor no coração quando você teve que se desfazer da sua biblioteca. Mas pensando bem agora, mudanças são necessárias,e dá para recomeçar... No Kindle por exemplo como bem disse, é uma ótima ideia! Já que dá para levar para onde quiser.
    E quanto a cupons?
    Sou a louca deles... Uso para tudo que posso. ☺️
    Recentemente comprei o livro "Orgulho e Preconceito" de capa dura por 7 reais ,com frete!!!!! Graças a um cupom.

    Bem Natália, não tenho tantos livros assim,mas não imagino me desfazer de nenhum deles. Mas caso precisasse, compraria novamente os títulos preferidos e compraria outros que nunca li. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus! Orgulho e Preconceito em capa dura a este preço é realmente um achado! Sim, doeu bastante na época, mas hoje eu olho pra trás e vejo que eu não precisava de tudo aquilo, sabe? Ainda me dói em relação a minha coleção da Agatha, mas um dia eu irei reconstrí-la. =)

      Excluir
  4. Só de pensar em me desapegar dos meus livros me dá um aperto no peito. Mas eu acho que vou ter que fazer isso porque tenho a pretensão de me mudar do Brasil, então, os livros eu não vou conseguir levar na mala. Vou tentar aplicar a técnica da Marie Kondo. Mas não é fácil, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... se sua ideia é sair do Brasil sinto lhe informar que os livros não caberão na mala e transporta-los de navio ou com alguma transportadora é absurdamente caro. A não ser que você já vá transportar a sua casa inteira na mudança... mas normalmente não compensa. Pretende ir para onde? Vamos trocar figurinhas, ja que eu já passei por isso. Talvez, eu possa lhe dar alguma dica. =)

      Excluir
  5. Oiii ❤ Parabéns pela coragem para se desfazer de tantos livros, não é qualquer um que conseguiria rsrsrs. Você aprender a desapegar, foi algo bem positivo, queria me tornar mais assim também.
    Cupons são incríveis, no entanto que nem me lembro qual foi a última vez que eu fiz uma compra sem usar um. É incrível como conseguimos economizar bastante os utilizando.
    Já conheci a escrita de muitos autores através dos Gratuitos do dia e, realmente, eu baixo mais e-books do que eu realmente vou conseguir ler na minha vida toda rsrsrs.
    Eu acho que a técnica que eu mais usaria seria essa dos Gratuitos do dia, já que dá para ler muita coisa boa sem gastar nada. Acho que eu daria chance a coisas diferentes.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você quer aprender a desapegar, deixo a dica de se inscrever na newsletter do blog pois vou compartilhar como coloquei minha vida em 32kg de mala esta semana e teremos workbook. =)

      Excluir
  6. Olá! Engraçado, pois essa semana acabei dando uma limpa na minha biblioteca e separei alguns títulos para doar para a sala de leitura das escola na qual eu trabalho, confesso que não foi fácil, mas numa discussão comigo mesma, percebi que eles ficariam bem melhores passando de mão em mão (afinal essa é a finalidade dos livros) e foi muito gratificante saber que já tem até fila de espera pelos títulos. Mas confesso que sempre tem aquele título, aquela edição que eu não me desfaço de jeito nenhum (risos). Adorei a sua ideia de reconstruir sua biblioteca, eu também sempre aproveito os gratuitos do dia (com moderação).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu antigamente doava os livros para a biblioteca do SESC perto da minha casa, mas depois percebi que ninguém vai as bibliotecas no Brasil. Então, eu comecei a "esquecer" meus livros pelo Rio de Janeiro. Em praças, transportes públicos e até no meu trabalho. Colocava um post it dentro do livro como se fosse o próprio livro pedindo para a pessoa adota-lo e um marcador do blog para a pessoa já começar a leitura (sem desculpa para dobrar as páginas do livro! Haahhahahahaha). Teve gente que chegou a entrar em contato comigo depois dizendo que achou o livro e agradecendo. =)

      Excluir
  7. Nat!
    Primeiro quero dizer que acho você uma mulher mais que corajosa, porque apesar de tudo que já passou e dos problemas psicológicos que ainda passa, conseguiu se desapegar de muita coisa e foi enfrentar a vida em outro país, acho isso fantástico e tenho de parabenizá-la.
    Bem, infelizmente já tive de me desfazer de uma imensa biblioteca que tive com mais de 800 títulos, porque nos mudamos para cá e onde morávamos era impossível abrigar tantos livros, daí começou meu desapego dos livros físicos... Fato é que aos poucos fui recomeçando minha biblioteca física, porque na época ainda nem existiam ebooks. Na verdade não busco mais meus livros antigos, os que já tinha lido, procuro sempre renovar e procurar por mais novos e atuais, embora tenham alguns que sinto falta mesmo...
    Aqui nesse novo apartamento consigo manter uma faixa de 500 exemplares, mas fico sempre renovando, fazendo oações, sorteios, presenteando e sempre tem novos para ocupar os lugares vazios.
    Quanto a biblioteca do Kindle... nossa, estou com mais de 300 livros por lá e não cheguei a ler 10% deles, mas tenho fé que conseguirei ler todos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós sempre temos fé que conseguiremos ler todos os nossos livros, né Rudy? Mas a verdade é que isso é utopia! Hahahahahahaha
      Eu sinto falta de alguns livros sim, mas como a grande maioria tenho como adqurir no kindle, a sensação de perda fica menor.
      Muito obrigada pelas lindas palavras e por todo o apoio.
      =)
      Beijinhos

      Excluir
  8. Eu to precisando mesmo de um Kindle, viu. É muito mais prático, ainda mais quando se não muita condição para os físicos.
    Eu sempre uso cupons, mas as vezes perco alguns preciosos por falta de tempo.
    Eu acheei muito proveitosa essas dicas, acho que a única que não siguia era a da whilist toda a semana. Sério, vou aderir.

    ResponderExcluir