Passarinha

26 outubro 2019


Eu estou ao mesmo tempo apaixonada e embasbacada com esse livro.
Esse é aquele típico livro que todo mundo deveria ler. E não é porque tem uma história que te prende do início ao fim, que você não consegue parar de ler enquanto não souber o final. Não. É porque é genial. Simples assim...

A autora conseguiu juntar dois temas muito sérios e tratá-los com muita sutileza e de uma forma linda e tocante.
A cada página que eu virava, eu ficava mais impressionada com a delicadeza da história e com a maestria que a autora conseguiu abordar dois temas muito complicados: o autismo e os ataques em escolas que acabam vitimando inocentes, e normalmente, crianças.

O irmão de Caitlin foi uma dessas crianças inocentes...

Caitlin tem um modo muito peculiar de ver o mundo, afinal ela tem Sindrome de Asperger, uma forma mais branda de autismo, onde a pessoa tem dificuldade de interação social, mas não possui um atraso mental. Na verdade, muitas vezes, crianças que tem essa síndrome são tidas como gênios, pois eles se focam tanto em uma coisa que acabam desenvolvendo talentos especiais muito cedo. No caso de Caitlin, seu foco são os desenhos. Mas só em preto e branco! As cores são muito confusas para ela...

Caitlin é extremamente racional, por isso, ela não entende "O Sentido das Coisas", como metáforas... sarcasmos... etc.
Ela também tem dificuldade em captar as emoções das pessoas, e como todo mundo que possui alguma forma de autismo, tem dificuldade de manter o foco nas pessoas. Mas ela vem "Trabalhando Nisso" com a psicóloga do colégio em que estuda.

Vocês devem estar se perguntando por quê eu estou escrevendo algumas coisas em letras maiúsculas e entre aspas, certo?
Bem... essas são coisas que Caitlin repete pra si mesma o tempo todo para tentar "Captar o Sentido" das coisas e se integrar a sociedade.

O livro é a visão dela do mundo em que vive. Ela é inocente, fofa e prestativa. Porém, ela precisa lidar com pessoas (crianças) que não entendem o problema dela, e com a perda de seu irmão, uma das poucas pessoas com quem ela se sentia segura e que era seu companheiro. O pai, coitado, acaba de perder um filho! Tem coisa pior do que perder um filho por um ataque na escola? Eu acho que não... então, por mais que o pai dela cuide dela, neste momento ele também precisa de cuidados especiais...

Alguém já havia se perguntado como essas pessoas, que são de alguma forma autistas, enxergam o mundo?
Eu achei sensacional a premissa desse livro por isso. Ele consegue fazer com que você entre na cabeça de Caitlin.

Alguém já leu algum livro que trate sobre os ataques que aconteceram nas escolas americanas na década de 90, como o massacre de Columbine? Eu nunca vi nenhum livro que se proponha a contar a história... ou o que aconteceu depois... nada!
Esse foi o primeiro livro que li, que teve a coragem de chamar a atenção do leitor para uma reflexão sobre esse assunto. Por esse motivo eu bato palmas para a autora e agradeço imensamente a editora Valentina por proporcionar essa preciosidade ao público brasileiro.

Eu preciso dizer mais alguma coisa? Acho que não.

Quem quiser se aprofundar no tema e saber mais sobre Columbine, eu sugiro o documentário "Tiros em Columbine" de Michael Moore.

COMPRE O LIVRO 

Editora: Valentina
ISBN: 978-8565859134
Paginas: 224
Ano: 2013

10 comentários:

  1. Li esse livro alguns anos atrás e adorei. Gostei demais da maneira como a autora conseguiu falar de uma síndrome de maneira tão peculiar, mostrando a verdade e fazendo com que o leitor se apaixonasse pela personagem e seu irmãozinho. E ainda mais abordando essa violência que temos visto repetidamente dentro das escolas, desde Columbine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei muito surpresa com a delicadeza que tiveram ao abordar temas tão pesados e tão complicados através do olhar de uma criança.

      Excluir
  2. Olá!
    Pelas temas retratados na obra dá pra perceber que trata-se de uma leitura densa, que faz o leitor refletir profundamente sobre o espectro do autismo, bem como a dor de uma perda injustificável.
    Caitlin parece ser uma protagonista extremamente cativante, e acompanhar essa jornada da protagonista, com todos os problemas que a mesma enfrenta, faz com que o leitor passe a torcer para que haja um final feliz.
    Coincidentemente, acabei de ler um livro que aborda a Síndrome de Asperger e o recomendo muito. Se chama O Projeto Rosie, uma das minhas melhores leituras de 2019.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Nat!
    Gosto demais de livros que abordam problemas psicológicos de uma forma correta e sem estardalhaço.
    Há muito escuto falar do livro,, mas ainda não tive oportunidade de ler.
    Tão bom quando um livro nos mostra que nosso ponto de vista não é o único certo e que podemos ver as situações de formas diferentes e ir em busca de novas soluções.
    Imagina isso em uma criança autista? Deve ser fantástico!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Oiii ❤ Eu já tinha ouvido falar de Passarinha antes, mas não sabia sobre o que o livro se tratava e nem que era uma leitura tão maravilhosa assim.
    Gosto muito de livros que tratam de temas importantes, mas com a delicadeza que eles demandam. O autismo e os ataques que acontecem em escolas precisam mesmo ser abordados.
    Caitlin parece uma criança incrível, deve ser uma experiência única poder entrar em sua cabeça. É uma pena que ela tenha que lidar com a morte do irmão, com crianças que não a compreendem e com a dor do pai, sendo tão jovem.
    Espero que as coisas melhorem para Caitlin.
    Eu simplesmente preciso ler esse livro!
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  5. Olá! Mais uma preciosidade que editora nos traz hein! Trabalho em uma escola, onde temos alunos com Autismo (em vários graus, leve, moderado e até já tivemos um severo) e é muito importante uma atenção especial a esses pequenos e também fazer com que os outros aceitem essa diferença e convivam todos em harmonia, por isso, gostei muito de conhecer esse livro e acho que vou aprender mais algumas coisas em relação ao tema.

    ResponderExcluir
  6. Olá! ♡ Quero muito fazer a leitura desse livro, parece um livro bem marcante e que toca o leitor.
    De fato, a autora trabalhou temas bem sérios e que precisam ser trabalhados com muita responsabilidade.
    Acho maravilhoso quando o autor consegue fazer com que o leitor entenda bem o personagem e consiga enxergar o mundo através dos olhos dos personagens. A autora parece ter feito um trabalho incrível.
    Muito obrigada pela indicação, esse livro vai direto para minha lista de desejados.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  7. Só pela capa já temos uma ideia da delicadeza desse livro. Acompanhar esse enredo do ângulo e forma que Caitlin enxerga o mundo deve ser uma experiência que realmente mexe com o leitor. Livro mesmo não li nenhum sobre os assuntos que a autora explora. Imagino que deva ser daquelas leituras que ficamos com o coração apertado. Quero ler, com certeza.

    ResponderExcluir
  8. Eu participo de um clube de leitores online, a cada 15 dias é sorteado um livro e debatemos sobre ele ao final do prazo. O último debate foi justamente sobre esse livro. Infelizmente não tive tempo de lê-lo, portanto, fiquei apenas observando o debate. Foi incrível como as pessoas falaram que se emocionaram e adoraram essa história pela sua delicadeza. Alguns até se identificaram em alguns aspectos. Acredito que o fato da história ser narrada pela própria criança dá um toque especial. Ao final do debate, eu senti que deveria ter tentado ler o livro.

    ResponderExcluir
  9. Já ouvi falar muito desse livro, tenho muita vontade de ler, não li nenhuma historia de autismo e nem de ataques a escola, deveriam ter mais livros com os temas. Fiquei imaginando como esse pai se sente, perder um filho ainda mais desse jeito é horrivel, deve ser uma leitura que mexe muito com as nossas emoções, e deixando a gente refletindo sobre os dois temas.

    ResponderExcluir