Destaques

28 abril 2020

Livros Neerlandeses sobre a Segunda Guerra Mundial


Quando pensamos na Segunda Guerra Mundial, do que lembramos? 

Lembramos de Hitler e dos alemães dominando toda a Europa e exterminando os judeus; 
Lembramos da importância de Churchill, o primeiro ministro inglês, ao alertar do perigo de Hitler e da sua articulação política para a formação do Eixo contra o nazismo;
Lembramos na participação decisiva dos Estados Unidos no confronto, que na época tinha como presidente Franklin Roosevelt, e que culminou no famosos Dia D. 

Porém, poucos lembram que foram os holandeses que seguraram as tropas de Hitler no continente europeu, dando tempo para que as tropas americanas chegassem até a Normandia (França) e que foram eles que impediram que as tropas alemães chegassem ao Reino Unido.

Ninguém lembra que a cidade de Rotterdam foi completamente destruída pelo exército alemão depois de meses de trincheira com os soldados holandeses. Os soldados alemães só conseguiram avançar quando jogaram uma bomba na cidade que destruiu completamente Rotterdam. 

A cidade teve que ser toda reconstruída praticamente do zero, e hoje é uma das cidades mais modernas da Holanda, com uma arquitetura totalmente diferente de todo o resto do país. 

E devemos lembrar que uma das histórias mais icônicas da Segunda Guerra Mundial, se passa em território holandês. 

No dia 05 de maio, os Países Baixos celebram 75 anos do fim da ocupação nazista. E nós vamos conhecer alguns livros que retratam a história da Segunda Guerra Mundial pela ótica desse povo que teve fundamental importância para o encerramento da disputa, mas que não tem as devidas glórias atribuídas. 
Preparados? 

Clique nas capas para conferir a sinopse

Dutch Girl: Audrey Hepburn and The Second World War 


Existem vários livros contando a história da eterna Bonequinha de Luxo de Hollywood, Audrey Hepburn, mas nenhuma cobriu suas intensas experiências em cinco anos de ocupação nazista na Holanda. Segundo seu filho, Luca Dotti, 'a guerra fez minha mãe quem ela era'. 

Audrey Hepburn trabalhou como assistente de médico durante a batalha 'Bridge Too Far' de Arnhem, passando fome no inverno de 1944. O livro, ainda sem tradução no Brasil, também inclui fotografias da coleção pessoal da atriz.




Arnhem: the Battle for the Bridges, 1944


Lembram da batalha que a Audrey participou no livro que falamos anteriormente? Então... O fascínio pelo fracasso heróico obscureceu a história de Arnhem em mitos. Antony Beevor, usando muitas fontes esquecidas e novas de arquivos holandeses, britânicos, americanos, poloneses e alemães, reconstruiu a terrível realidade desse confronto épico. Um verdadeiro relato de uma batalha épica em uma guerra sangrenta. 

 

The Hunger Winter: Occupied Holland, 1944-1945

A Alemanha invadiu a Holanda na primavera de 1940. No inverno de 1944-45, quando outras partes da Europa estavam sendo libertadas, os holandeses pareciam abandonados pelos aliados, que ignoravam a Holanda em sua viagem para Berlim. Este livro narra o último inverno da guerra e a morte de 18.000 civis devido à severa escassez de alimentos e combustíveis. 


Irmãs em Auschwitz 


Primeiro representante da nossa lista que foi traduzido para o português, "As irmãs de Auschwitz" conta a história das irmãs judias Janny e Lien Brilleslijper, que tiveram uma infância comum em Amsterdã. Quando jovens, elas administraram um dos maiores refúgios judaicos da Holanda - The High Nest, uma vila na área de Gooi - até serem traídas por um vizinho e pararem em um dos últimos comboios para Auschwitz.
Roxane van Iperen tropeçou na história da casa enquanto a restaurava com o marido e sentiu-se compelida a colocar a história no papel. O resultado é um livro vívido e emocionante

O Diário de Anne Frank

Nenhuma lista de livros sobre a Segunda Guerra que se preze estará completa se deixar de fora "O Diário de Anne Frank", e apesar de Anne ter nascido na Alemanha, sua família se mudou para Amsterdam pouco antes da guerra. O que torna o diário de Anne particularmente ressonante é a voz real de um adolescente comum em uma situação extraordinária.

 

The Assault  


"The Assault" de Harry Mulisch se passa nos últimos dias sombrios da guerra na Holanda ocupada. Um colaborador nazista, famoso por sua crueldade, é assassinado enquanto anda de bicicleta. Os alemães retaliam matando uma família inocente, onde apenas o filho mais novo, Anton, de doze anos, sobrevive. O assalto traça as complexas repercussões desse pesadelo na vida de Anton. Determinado a esquecer a tragédia, ele opta por uma existência cuidadosamente normal - um casamento prudente, uma carreira de sucesso e passividade incolor. Mas o passado continua aparecendo, em lembranças implacáveis ​​e em encontros fortuitos com os outros atores do drama, até Anton finalmente entender o que realmente aconteceu naquela noite de 1945 e por quê. 


Seduzindo e matando nazistas: Hannie, Truus e Freddie


Esta é a história verdadeira de três adolescentes holandesas, Hannie Schaft e as irmãs Truus e Freddie Oversteegen. Quando a Alemanha nazista invadiu a Holanda, essas meninas, então com 18, 16 e 13 anos, pegaram em armas contra o inimigo, inclusive seduzindo oficiais nazistas de alto escalão, atraindo-os para a floresta e matando-os. Spoiler que não é spoiler: nem todas sobrevivem pra contar essa história...

 


NOTA DA REDAÇÃO

Esta jornalista esteve na "Casa" de Anne Frank em Amsterdam e saiu de lá aos prantos e esqueceu de comprar seu exemplar em holandês devido as lágrimas, mas já colocou isso na lista para a próxima visita a cidade e, colocou na lista do kindle, os livros "Dutch Girl" e "Irmãs em Auschwitz"
Conhecia esses livros? 
Sabia da importância dos Países Baixos na Segunda Guerra Mundial? 
Qual livro mais te interessou? 

Fontes: 

Reações: 

Comentários via Facebook

6 comentários:

  1. Naty!
    Conhecia alguns e li O Diário de Anne Frank.
    Tem um livro muito bom dessa época também: A garota do casaco azul, vale a pena a leitura.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima dica Rudy! Obrigada por acrescentar mais infos. =)

      Excluir
  2. Eu sempre gostei muito de ler livros que se passavam durante Segunda Guerra Mundial e contassem a história de pessoas que vivenciaram ela por isso que eu gostei muito desse post mas eu fiquei um pouquinho chateada pois ver que alguns desses livros não são publicados no Brasil mas por enquanto vou dar uma lida naqueles que já são ponto final e não preciso nem dizer que eu sou uma fã da Anne Frank

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, vivendo aqui fora, eu percebo como o nosso mercado é minúsculo comparado com o mercado inglês. Porque se você for analisar as livrarias gringas, encontra muitos títulos em inglês e espanhol, pois o mercado é alimentado tanto pelas editoras americanas, quanto pelas inglesas (ou pelas editoras da Espanha no caso do espanhol, quanto pelas editoras argentinas, mexicanas e etc). O mercado de livros em português, SÓ TEM O BRASIL E PORTUGAL, sendo que o público é MUITO DIFERENTE. Eu vou fazer um post sobre isso pra explicar direito... é mais fácil

      Excluir
  3. Olá! Confesso que não sabia da importância dos Países Baixos nesse momento tão triste da nossa história. Já conhecia o Diário de Anne Frank, que aliás, chorei horrores durante a leitura e Irmãs em Auschwitz, esse ainda não li, mas já está na lista. Uma pena que os outros títulos não tenham em português, pois acaba dificultando um pouco para colocar na lista, mesmo assim, fiquei interessada em Seduzindo e matando nazistas e The Hunger Winter. Livros que abordam esse enredo sempre aguçam minha curiosidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou lendo muito mais livros em inglês agora, então TALVEZ eu leia algum desses. Talvez porque meu kindle já tem tanto livro, que estou achando que ele vai explodir e por isso vou dar prioridade ao que já tenho nessa pós pandemia. Mas, quem sabe...

      Excluir

Instagram

© Perdida na Biblioteca – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in