Destaques

11 abril 2020

Orgulho e preconceito


"Mas confesso que a mim nada disso me encanta. Prefiro infinitamente um livro."
Percebi que nunca falei, sobre nada dela.

Então, decidir resenhar sobre o livro mais famoso e um dos meus preferidos.

Pegue o seu chá, e uns biscoitos amanteigados, e vamos resenhar!!!! 💙😉


SINOPSE:

A história de um amor improvável em uma época em que sentimentos poderiam não ser suficientes.

Quando Elizabeth Bennet conhece o cobiçado Fitzwilliam Darcy, não hesita em julgá-lo arrogante e presunçoso, afinal ele parece desprezar sua companhia, assim como a de todo mundo, demonstrando um temperamento rude e orgulhoso, impossível de agradar.

Após descobrir o envolvimento do detestável cavalheiro nos eventos que separaram sua querida irmã, Jane, do jovem Bingley, Elizabeth está determinada a odiá-lo ainda mais.

Uma surpreendente reviravolta, porém, poderá provar que as primeiras impressões nem sempre são incontestáveis.

A escrita irônica e inteligente de Jane Austen perpetua-se pelos séculos, encantando geração após geração, e coroando-a uma das autoras mais lidas, admiradas e amadas de todos os tempos.
"A reflexão deve ser reservada para momentos solitários; assim que fico sozinha eu volto a refletir; e não passo um dia sem meus passeios solitários, durante os quais posso me permitir toda a delícia das recordações desagradáveis."
Quem nunca escutou, em um filme ou de um(a) amigo(a) ou alguém da família, sobre os personagens Mr. Darcy ou Elisabeth?!?!?! Impossível, né?!?!? kkkkk 

Tá bom ... Tá bom ... Pode ser, que tenha escutado e não se lembra ou ... Que não tenha escutado mesmo. Mas...

Independente se escutou ou não, venha resenhar. Afinal, é sempre bom ler sobre personagens fortes, humorados e "diferentões";)
"O meu amor e os meus desejos permanecem inalterados.

Mas basta uma única palavra sua para que nunca mais lhe fale no assunto."
Em orgulho e preconceito, Jane nos trás a personagem Elizabeth Bennet, irmã de mais quatro meninas (Jane - a mais velha, a Lizzy, Mary, Kitty e Lydia). Uma mulher inteligente, sagaz, a frente de seu tempo , satisfeita com quem era, teimosa e muito orgulhosa.

Essa história se passa no início do século XIX. E o enredo se apresenta com a chega de dois cavalheiros solteiros na região. Mr.Bingley e Mr.Darcy, se tornam o objetivo da mãe de Lizzy, para casar a sua filha. Mais diretamente a Jane (Doce, sonhadora e apaixonada) com o Bingley.

⇠⇢

Falaremos um pouco sobre sobre quem são estes personagens:

-> Mr Darcy, nosso queridíssimo protagonista. Romântico? Nem um pouco. Tradicional? Completamente. Porém, possuí um coração gigante, leal e digno. Nada como um carinho, com força de uma patada de cavalo ... uahuahuahaua. Ops. Nem tudo seria como flores ... o cara, sabe ser arrogante e uma mula, às vezes.

-> Já o Mr. Bingley é um fofo. Digamos que ele é movimento a sentimento. Exala alegria. Um ótimo amigo, amoroso, ingenuo, honrado e fiel. 

Agora, retornando ao que estava falando ...

⇠⇢

Como perceberam, há uma pressão para que as mulheres se casem logo. Entretanto, nossa protagonista, como já falei, sabe quem é e o que quer para si. E nunca aceitaria uma união que não fosse por amor e cumplicidade. Assim como espera um relacionamento de amor, para qualquer uma das irmãs.

Infelizmente, não é assim que a sociedade, incluindo sua mãe, pensavam. E este posicionamento, acaba passando mal impressão na família de Bingley e tanto ele, quanto o Mr Darcy, vão embora da região. Levando sonhos, esperanças e corações confusos. 
"Por mais amável que seja o seu gênio, seu coração não é dos mais fáceis de atingir."
Neste romance, aonde existem diversos tipos de preconceitos, nascem variados amores. E cada um, precisa lutar com aquilo que lhe foi imposto e com aquilo que querem. E escolherem o que que realmente vale a pena.

O incrível, é que sentimos as faíscas que ocorre entre Lizzy e Darcy, desde o início. Assim, mesmo nos personagens secundários, percebemos a conexão que existe entre Jane e Bingley

Todavia, também percebemos o quanto ambos os casais  precisam amadurecer, para que os relacionamentos ocorram.

Nada é tão simples, quando se trata de pessoas e com a imaginação delas. Dependendo do angulo visto, temos um tipo diferente de verdade. Então, precisamos estarmos abertos e dispostos a conhecer a verdade do outro. 

É interessante como a nossa escritora, faz com que o leitor queira o feliz para sempre, mas também anceia para os crescimentos dos personagens. E é sutil e formidável, como ela vai os ligando e os recriando. Até que todos estejam preparados, para o próximo passo.
"Eu não teria dificuldade em perdoar o orgulho dele, se ele não tivesse ferido o meu.[...]"
Jane Austen, foi completamente revolucionaria. Ela conseguiu enxergar traços que precisavam evoluir e escreveu sobre eles de uma forma gentil, astuta e fina.

Enganasse quem pensa que as obras de Jane são inocentes. Assim, como em orgulho e Preconceito, ela vem exibindo vários aspectos, que ainda são atuais, que precisamos refletir. (Eu reflito, ao ler orgulho e preconceito, sobre: amor, união, diversos estilos de relacionamentos, como amamos de diferentes formas - até mesmo uma mesma pessoas - em várias etapas da vida, família, amigos e valores).

Não só refletir, como começar a escolher ações diferentes. Afinal, teremos um final diferente se começarmos a agir de uma nova forma.

Então, esta é a deixa para me despedir... Até a próxima leitura!!! Beijooos

Parece que não consigo ir embora. Mas, eu precisava comentar três pontos com vocês antes:

-> Primeiro: Falei mais sobre o que eu vi e sentir, pois acredito que existam diversas resenhas deste livro por aí. E quis compartilhar, mais a minha emoção.

-> Segundo: Eu fui viciada no filme adaptado do livro, aos 21 ...22 anos. E ainda hoje, aos 31 anos, ainda o considero um belo e fascinante filme. Me encanto ao assistir, tanto quanto ao ler o livro. Quer assistir ao trailer? Dá um click no nome:  Orgulho e Preconceito.

-> Terceiro: Como a zueira não pode acabar, em 2016, fizeram outro filme baseando na obra. Então, assista ao trailer, também, do: Orgulho e Preconceito e Zumbis.

Agora, estou indo mesmo ... Beijoooos 💙💙💙


"[...]Um só passo falso acarreta uma série de desgraças[...]"
Título:Orgulho e preconceito
Escritora: Jane Austen
Editora: José Olympio

Sobre a escritora:


Jane Austen (1775-1817) nasceu em Steventon, Hampshire. Nasceu em uma família religiosa e era filha de um reverendo anglicano.

Em 1797, já tinha escrito “Razão e Sensibilidade” e “Orgulho e Preconceito”, seu pai chegou a levá-los a um editor. Porém, foram rejeitados.

Estes só foram publicados em 1811 e 1813, sob o pseudônimo de “Uma Senhora”. 

Jane publicou um total de oito livros:

*06 finalizados por ela:

-> Razão e Sensibilidade (1811);
-> Orgulho e Preconceito (1813);
-> Mansfield Park (1814);
-> Emma (1816);
-> Persuasão (1818 - publicado um ano após a morte de Jane);
-> Lady Susan (1871)

*02 finalizados por um sobrinho da escritora, em 1871:

-> Os Watsons”;
-> e “Sanditons”.

A casa em que morou com as irmãs e sua mãe, atualmente é uma casa museu. 

Jane, faleceu aos 42 anos, em Winchester, Inglaterra.

Reações: 

Comentários via Facebook

3 comentários:

  1. Lays!
    A Jane Austin foi uma precurssora de seu tempo, relatando as história da corte no século em que vivia.
    Clássico imperdível de ser lido.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Olá! Ahhh eu amo tanto esse livro que tenho 3 versões dele (risos), não tive como resistir a essa história tão linda, o filme também é maravilhoso e já perdi a conta de quantas vezes assisti. Acho que o que mais impressiona é a maneira como a história foi escrita e saber que saiu da mente de uma mulher a tanto tempo atrás, mas nunca deixa de ser atual. Definitivamente uma história atemporal que nós faz suspirar, sorrir, refletir, torcer, amar e odiar, um misto de sentimentos que aquece o coração.

    ResponderExcluir
  3. Orgulho e Preconceito de Jane Austen sempre foi e sempre vai ser um dos meus romances favoritos e a engraçado porque agora pouco eu estava organizando meus livros na estante e parei para encarar um rede são bem pequena que eu tenho que me foi dado pela minha professora de literatura o laço emocional e afetivo que eu criei com esse livro é inexplicável e eu amo a senhora bennet desesperada para casar as filhas

    ResponderExcluir

Instagram

© Perdida na Biblioteca – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in