Destaques

22 julho 2020

Procrastinação


Guia científico sobre como parar de procrastinar (definitivamente)



Está difícil manter a produtividade nos últimos meses não é? 

Se antes você já era um procrastinador, agora, você tem a desculpa perfeita para não fazer nada. 

E se não era, percebeu que até a mais produtiva das pessoas, pode passar por momentos de procrastinação quando enfrenta uma pandemia mundial. 

Se você quer mudar isso, este livro é para você! 

POR QUE PROCRASTINAMOS?

Você já deve ter ouvido alguém falar que “funciona melhor sob pressão”, e por isso, deixa tudo para a última hora. Resumindo, procrastina até não ter mais jeito. 

Embora exista esse tipo de relato, os estudos científicos mostram que deixar as coisas inacabadas favorece a inércia e indolência, além de intensificar o estado de desconforto psicológico, traduzido em emoções e sentimentos negativos, como a culpa e a vergonha.

O adiamento de um tarefa pode até trazer um bem estar momentâneo, visto que o seu sistema límbico (a área do seu cérebro responsável pelo prazer) é fica feliz quando você decide assistir mais um episódio na Netflix ao invés de fazer aquele relatório enorme que precisa ser entregue até o fim da semana, e o resultado é o adiamento para o dia seguinte do que poderia (e deveria) ser feito hoje. Ele impulsiona o indivíduo a correr do cão feroz que se aproxima – e também a fugir de tarefas desagradáveis. Em outras palavras, ele orienta o ser humano a optar pelo "reparo imediato do humor”. 
Por razões evolutivas, nosso cérebro valoriza mais as recompensas imediatas do que as recompensas de longo prazo.

A associação do adiamento de determinada tarefa com algum tipo de bem-estar, ainda que acompanhado de futuras sensações desagradáveis, faz com que você fique mais propenso a repetir o comportamento novamente.

Quando o seu cérebro fortalece as conexões que permitem que esse comportamento “recompensador” ocorra, será cada vez mais fácil repetir toda essa dinâmica de adiamento da próxima vez.

Mas, existe o córtex pré frontal para te ajudar…

DIGA NÃO A PROCRASTINAÇÃO!

O córtex pré-frontal é a área que permite integrar informações e tomar decisões. "Essa é a parte do cérebro que realmente separa os seres humanos dos animais, que são apenas controlados por estímulos", e é a parte do cérebro que PLANEJA AS COISAS! 

Isso quer dizer que ele é a sua “força de vontade”, ou seja, aquela grilo falante que fica sussurrando nos seus ouvidos de que você deveria guardar dinheiro para a sua aposentadoria ao invés de comprar um novo videogame; Ou comer mais salada, para ter uma velhice mais saudável; Ou fazer o maldito relatório enquanto tem tempo. 

Só que ele se cansa rápido, pois ele exige um esforço mental maior. 

Por isso, quando traçamos metas baseadas em nossa força de vontade, elas normalmente não vão muito longe… é preciso que elas se tornem um hábito.

O PODER DO HÁBITO

Sim, isso é um livro sensacional que recomendo FORTEMENTE que você devore. Tem resenha dele aqui, com algumas dicas valiosas que aprendemos neste livro.

Mas o foco é que quando um tarefa torna-se um hábito, o esforço para executar essa tarefa é ínfimo. Quer um exemplo?

Você escova os dentes depois de cada refeição e nem percebe. Por que? Hábito.

E o mesmo conceito pode ser aplicado aos procrastinadores.

Se você criar um hábito, que envolva a sua produtividade, você gastará muito menos energia e procrastinará bem menos.

ROTINA CONTRA A PROCRASTINAÇÃO


Um exemplo disso é o citado pelo autor de Keep Going, Austin Kleon, onde ele dá dicas ao longo de todo o livro de como manter hábitos que ajudam a manter a sua mente ativa (córtex pré frontal) mesmo em dias ruins (que você iria procrastinar). Você pode conferir a resenha deste livro e algumas dicas aqui. 

Existem várias técnicas que são abordadas neste livro, cada um para um tipo de procrastinador. Por que sim, existe mais de um…

Existe o procrastinador que tem dificuldade de COMEÇAR A TAREFA, e para ele, a técnica que é sugerida é a do 3..2..1… agora!, que é abordada no livro “5 Seconds Rule”, que o canal Bruno Nunes explica com mais detalhes aqui. 

Para os procrastinadores, cujo o problema é manter o FOCO por muito tempo, existe a técnica Pomodoro. 

Para os que não conseguem definir qual tarefa deve ser feita primeiro, ou seja, a PRIORIDADE, há a matriz de Eisenhower. 

E por aí vai…

PERFEITO PRA COMEÇAR 



O legal deste livro especificamente, é justamente isso: um compilado de estudos científicos, com inúmeros livros associados para você descobrir qual o seu problema, traçar uma estratégia e aprofundar se achar necessário nos livros das técnicas que ele sugere para o tipo de procrastinador que você é. 

Precisa ler os outros livros? Não. Ele já lhe dá um belo panorama do que fazer, e tem uma linguagem bem fluída. Mas se quiser aprofundar… melhor para você. 

E você passa a entender o quanto a psicologia e a química do seu cérebro influencia em tudo isso, sabe? 

É um livro super curto, com pouco mais de 150 páginas, mas te garanto que você irá fazer uma marcação em CADA PÁGINA, pois é informação útil que não acaba mais. 

Então, agora faça o seguinte exercício: 

Faça a pergunta: Eu devo ler este livro? Essa análise crítica ajuda a despertar o seu pré cortex; depois use a técnica do 3..2..1…. e clique neste link para comprar o livro e começar a parar de procrastinar. 

Até a próxima resenha.


ADQUIRA O LIVRO


Reações: 

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Naty!
    Bem bacana esse livro e muito producente para quem tem o hábito de procrastinar.
    São dicas muito boas e o livro deve ser lido por todos, mesmo quem não tem esse hábito.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha... eu desafio alguém ter a coragem de afirmar que não esta procrastinando nessa pandemia. Hahahahahahaha
      Então, acho que esse deveria ser o livro de cabeceira de todo mundo neste momento. Depois, pode mudar pra outro... mas neste momento, acho que todos somos procrastinadores.

      Excluir

Instagram

© Perdida na Biblioteca – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in