Destaques

19 janeiro 2021

A Noiva Caveira e outras Histórias Antigas

 

Livro A Noiva Caveira e Outras Histórias da Editora Wish

A Noiva Caveira e Outras Histórias Antigas é um e-book disponibilizado gratuitamente pela Editora Wish contendo pequenos contos de diversas partes do mundo. 

A Editora Wish é conhecida por publicar livros contendo histórias raras e inéditas no Brasil, tais como os contos de fadas nórdicos e celtas, bem como as penny dreadfuls da era vitoriana. 

Como todos os contos antigos, as histórias selecionadas sempre trazem alguma "moral da história", com um ensinamento que devia ser passado oralmente para educar os jovens sobre os perigos do mundo antigo. Um exemplo claro é logo a primeira história e que dá título a essa publicação, onde a donzela acaba se envolvendo com um ser sobrenatural (uma caveira disfarçada de um homem lindo) e sai da casa dos pais para viver com esse ser, descobrindo seu infortúnio tarde demais e arrependendo-se de não ter escutado os conselhos de seus familiares. 

A moral aqui é: Quando a esmola é demais (no caso a beleza); desconfie. 

A publicação conta com os seguintes contos: 

A Noiva da Caveira - 1910 - Nigéria

por Elphinstone Dayrell

Afiong é uma mulher muito bonita, recebe vários pedidos de casamento. Porém sempre recusa todos, para a decepção de seus pais, pois ela quer casar com alguém tão ou mais belo do que ela.  Sua beleza ficou tão famosa que chegou até a cidade dos espíritos atraindo a atenção de uma caveira que pega partes de diversos cadáveres/espíritos para se tornar o melhor espécime humano e conquistar a mão de Afiong. Ela, fica encantada ao ver um homem tão belo e contrariando as ordens dos pais, decide ir embora com o desconhecido. Só que quando ela chega na cidade dos espíritos, as partes emprestadas retornam a seus respectivos donos e ela se vê presa com uma caveira. 

Cinderela Italiana - 1634 - Itália

por Giambattista Basile

Apesar da versão mais famosa do clássico Cinderela ser o da Disney, ele é uma versão repaginada e amenizada do original dos Irmãos Grimm. Esta é a versão italiana desta história, e não é a mesma dos Grimm, o que é muito interessante, pois mostra que existem várias versões da mesma história para ada cultura, e que os irmãos apenas escolheram uma entre várias para acrescentar em seu famoso livro. Enfim... 
O que importa é que a moral da história é a mesma, tem um pouco menos de sangue do que a versão Grimm, e o enredo principal esta presente. 

A Amizade dos Anões - 1887 - Alemanha

por Marie Jeserich Timme

Uma condessa é despertada no meio da noite por um anão para salvar a rainha dele que esta morrendo. Ela é levada até o reino dos anões, e consegue salvar a rainha apenas tocando-a. Como forma de agradecimento, os anões prometem que cuidar do filho dela quando ela morrer. Passa o tempo, a condessa morre, e o filho acaba virando uma Cinderela na versão masculina, tendo uma madrasta e um meio-irmão para infernizar a vida dele. Porém, todas as noites o anão vem até o menino para leva-lo ao reino mágico subterrâneo e diminuir o sofrimento do rapaz. O final tem um plot twist, mas é um final feliz tipo Disney

Fada do Mar - 1877 - Alemanha

por Marie Jeserich Timme

Um rapaz esta perambulando pela enseada quando vê uma linda mulher. Ele se aproxima e descobre que ela é a Fada do Mar, e encantado com sua beleza, pede que ela o leve para seu reino. Ela avisa que se ele for com ela, não poderá mais voltar. Porém, ele decide segui-la mesmo assim e fica encantado com a beleza e a paz do fundo do oceano. Um dia, ele esta andando pelo oceano, e encontra diversos corpos submersos de pessoas que morreram em naufrágios. Elas estão perfeitamente conservadas, e isso o entristece muito, quebrando o encanto que sentia pelas profundezas até então. Ele decide então ir embora, mas precisará convencer a Fada do Mar 

O Caçador de Focas e o Sereiano - 1910 - Escócia

por Elizabeth W. Grierson

Um caçador de focas acaba sendo "sequestrado" por um sereiano e levado até o reino das focas, sendo transformado em uma foca também, e sendo obrigado a nunca mais caçar nenhuma foca para poder voltar ao reino dos homens. 

Baba Yaga e Vassilissa, a Bela - 1855 - Rússia

por Alexander Afanasyev

Uma outra versão do clássico, mas com um desenvolvimento um pouco diferente, com a madrastra e as irmãs tentando se livrar de Vassilissa através da bruxa Baba Yaga. Mas o plano acaba se voltando contra elas, pois Conderela tem uma bonequinha que a ajuda com a bruxa. 

A Lenda de Yara - 1917 - Brasil 


por Affonso Arinos

Olha o representante nacional aqui gente! Nesta história conhecemos Jaguarari um jovem guerreiro, que se apaixona por uma mulher muito bela que vive nas águas. Sua mãe logo descobre que trata-se de Yara, e manda ele se afastar, pois ela é perigosa. Mas, já era tarde demais, e o guerreiro acaba se rendendo aos encantos de Yara e tragado pela águas.  

Extra: Trolls, Elfos e Nokkens - 1851 a 1909


 por Sir Willian A. Craigie, Benjamin Thorpe e Hélène Guerber

Essa parte foi produzida a partir de três livros, pertencentes aos autores mencionados acima, e é um verdadeiro glossário de como surgiram as diversas criaturas que hoje estão presentes em diversas obras da literatura e do cinema.
E percebemos que os seres mudam de nome, mas as características se repetem, portanto, temos relatos ou histórias de anões em diversas partes do Norte da Europa; mitos sobre cobras gigantes nas águas em diversas épocas; lendas nórdicas com, trolls, gigantes e elfos... isso não é uma coincidência... 

"O que pode ter dado origem a, e indelevelmente ter imprimido e desenvolvido na imaginação das pessoas, uma superstição, que é muito memorável, quando opiniões parecidas são encontradas entre a maioria das pessoas no Norte da Europa? É provável que a falta de familiaridade com a natureza e seus poderes, combinada com o desejo inato de encontrar um motivo e explicar os diversos fenômenos naturais, que todos os dias e todas as horas atraem a atenção da humanidade, os tenha levado a ver as causas desses fenômenos no poder dos seres que, como eles acreditavam, os havia produzido, e depois se ocuparam com e em suas próprias produções. Esses fenômenos eram muito numerosos e diversos para permitir a imputação deles a um único ser, e assim, vários seres sobrenaturais foram imaginados, cuja perigosa influência e perniciosa ira tentaram eliminar com sacrifícios e outros meios. (...) tudo o que em nosso tempo é facilmente justificado com causas naturais, pode, para o camponês simples, totalmente alheio aos conhecimentos acerca da natureza e de seus poderes secretos, parecer sobrenatural."

Porém, as notas de rodapé com as informações de onde foram tirados alguns nomes e de qual livro veio aquela informação são extremamente confusas. A navegabilidade esta ok, é uma questão de norma mesmo. Pois a informação catalográfica dessas notas foi condensada e... ficou confuso. Essa é a melhor palavra para definir mesmo. 

Outra coisa interessante que traz esse bônus é percebemos como esses mitos ajudaram na construção da nossa linguagem e nos diferentes idiomas. 

"A origem das montanhas, de acordo com lendas alemãs, e sua superfície desnivelada da terra é porque os gigantes foram pisando enquanto ela ainda era macia e recém-criada. Essa crença fez com que eles dessem o nome Montanhas dos Gigantes (Riesengebirge) a uma das principais cadeias de montanhas. Os escandinavos também tinham essa mesma crença, e até hoje os islandeses dão aos picos mais altos o nome de Jokul, uma modificação da palavra “Jotun”. Na Suíça, onde a neve não para de cair e se assenta nos topos das montanhas altas, as pessoas ainda contam histórias antigas da época em que os gigantes andavam por lá." 
A palavra dinamarquesa para fantasmas é Gjengranger, ou Gjenfaerd, relacionada exatamente ao francês revenant." 

O que vocês acharam dessa seleção de contos? Gostaram? 

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Instagram

© Perdida na Biblioteca – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in