Perdido no Cinema: O Doador de Memórias

10 março 2017


Há muito tempo atrás, eu li uma distopia que achei muitíssimo interessante, onde a sociedade tinha se organizado de forma a não permitir diferenças entre seus cidadãos. Uma tese louvável, visto que muitos dos problemas sociais que temos hoje vem justamente das diferenças de classes, credo e da cor da nossa pele.


Para acabar com essa segregação, o governo passou manipular certas substâncias nas pessoas de forma que elas passaram a ver to mundo todo em preto e branco. Afinal, se todos nós usamos a mesma roupa, não precisamos cobiçar a roupa alheia.
As pessoas também passaram a ter seus trabalhos determinados pelo governo de acordo com as aptidões deles ao longo da infância, já que eles são monitorados o tempo todo (no melhor estilo Big Brother) e até mesmo suas famílias eram formadas de acordo com suas personalidades, já que algumas mulheres eram escolhidas especificamente para serem as procriadoras.
Essas procriadoras passavam a vida inteira sendo muitooooo bem cuidadas e gerando filhos. Esses filhos eram cuidados pelo cuidadores (dãaaa) que depois enviavam a criança para a sua nova "unidade familiar". Ou seja, a sua mãe é sua mãe porque ela cuida de você, não porque ela gerou você. Na verdade, você não faz ideia de quem é a sua mãe biológica.

Olha gente! Descobri de onde surgiu o Coringa da série Gothan! 

Jonas é aparentemente um adolescente como outro qualquer desta comunidade, porém, ele às vezes acha que vê as coisas de forma diferente. Na verdade, ele não sabe muito bem como explicar isso...
No dia da designação dos cargos, ele recebe a responsabilidade de ser o Guardião das Memórias da comunidade.
Mas que raios é isso?!

Bem...ele logo descobrirá que o trabalho dele é essencial para o bem estar da comunidade e para a preservação do conhecimento, visto que ele se tornará o Recebedor de Memórias. 


Continuou sem entender? 
Bem, digamos que ele será a única pessoa a saber a verdade sobre tudo que aconteceu na Terra (seja bom ou muito...muito ruim) e a única pessoa a conhecer a dor, o sofrimento, a tristeza, mas também o amor, a saudade, e tantos outros sentimentos que apenas o Doador de Memórias tem e cuja função neste momento é passar para ele. 

Se a gente parar pra comparar essa distopia com outras, como Jogos Vorazes por exemplo, esse mundo até que é "tranquilo", mas a grande sacada (pelo menos pra mim) dessa história não esta no mundo construído, mas sim no por quê

Em Jogos Vorazes, ou em qualquer outra distopia que me lembre (se eu estiver enganada, me corrijam), os cenários são sempre formados após uma grande devastação devido a uma guerra, revolução ou uma epidemia mundial. Ai o lado vitorioso impõe seus termos e vira o governo autoritário típico das distopias. Certo? 

Neste caso, a comunidade, os anciões, ou seja, as pessoas mais velhas e, teoricamente, sábias ESCOLHERAM viver dessa forma. Eles perceberam que o mundo tava perdido, que a causa de todo o sofrimento era a desigualdade e resolveram acabar com isso para promover o bem estar social geral. 
Perceberam a diferença?! 

Esse livro foi adaptado em 2014, mas eu só assisti agora. #vergonha
O que mais achei interessante é que o filme começa em preto e branco, e conforme Jonas vai adquirindo o conhecimento, nós vamos tendo pinceladas de cor na imagem, como se nós fossemos adquirindo o conhecimento e a habilidade de ver as coisas como elas realmente são junto com Jonas. 


Posso dizer que o filme foi bem fiel ao livro. Uma das adaptações mais fiéis que eu vi nos últimos tempos no cinema, para ser bem exata, terminando no mesmo ponto do livro e lhe deixando intrigado pela continuação da história como aconteceu quando li o primeiro livro. Mas ai, veio se segundo livro...


Já adianto que se você acha que encontrará as respostas ou a continuação de O doador de memórias no segundo livro - A Escolhida - sinto-lhe informar que esta imensamente enganado. O segundo livro tem uma história completamente diferente. Eu sei. Eu li, fiquei frustada e com ainda mais perguntas do que quando terminei o primeiro livro. 
Dizem que o terceiro livro é a mesma coisa e só no quarto livro desta série é que a autora junta tudo, faz uma salada mista e explica alguma coisa pra você, então, confesso: desisti de ler os livros. 
E como o filme não foi um grande sucesso de bilheteria, não há nenhuma especulação por uma continuação. 


O filme conta com a participação de Taylor Swift no papel da antiga Recebedora, fazendo algumas aparições rápidas apenas para humanizar o Doador e talvez alavancar as bilheterias (parece que não deu muito certo....). 

Os três primeiros livros foram ganhadores da Medalha de Newbery em 1994, concedido anualmente pela Association for Library Service to Children ("Associação de Serviços Bibliotecários para Crianças) da American Library Association (ALA) ("Associação de Bibliotecas Americanas") para o autor da mais distinguível contribuição à literatura americana para crianças.

E vocês? O que acharam dessa história? Assistiram o filme? Leram os livros? Se você já leu o último livro, me conta em privado o final? Pleaseeeeee!!! 
=) 

19 comentários:

  1. Oi.
    Eu ainda não li o livro, mas esse já está na minha lista a bastante tempo.
    Eu adorei saber que o filme foi fiel ao livro, e concordo com você, na maioria das distopias tudo está devastado por guerra e etec.
    Enfim já gostei.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é?! A fórmula já foi tão usada que esta degastada. E aí, quando vem algo diferente disso, você se surpreende!

      Excluir
  2. Oi Nati, tudo bem?
    Já assisti a este filme, adorei, e não fazia ideia de que era uma adaptação de uma série de livros. Agora fiquei super curiosa para saber o que acontece na sequencia já que no final do filme ficamos com um grande ponto de interrogação. Muito obrigada por essa informação muito útil, vou correndo ver onde acho os livros para comprar.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando terminar de ler todos os livros me diz se vale à pena eu ler também. Rsrsrs

      Excluir
  3. Estou bem animada pra assistir o filme e ler o livro.
    Parece ser uma história e tanto, muito bem construída.
    E quando a adaptação é fiel ao livro, curto ainda mais haha
    Espero conferir essa obra em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Nat!
    Sinto dizer que li apenas o primeiro livro, justo esse que originou o filme que por sinal assisti também e concordo com você, é uma das adaptações mais fiéis que vi.
    Gostaria de poder ler os outros livros da série, porque achei uma das distopias mais diferentes que já li e bem criativa.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu queria outro filme para saber o final dessa história, mas teriam que ser 3 filmes...mais fácil ler o livro mesmo...

      Excluir
  5. Oi Natalia, tem tempo que assisti a esse filme e confesso que já tinha esquecido de algumas coisas, como a participação de Taylor Swift rsrs. O que me lembro bem é que o final é de continuação e achei isso chato, porque não sou chegada a cliffhangers e em um filme que não me parecia na época que teria continuação menos ainda, ai vem os livros com histórias independentes e que tem conclusões só no quarto livro, então, sei lá, ainda nem tive vontade de ler a série de livros e o filme eu classificaria só como bom :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o filme é apenas bom. Mas a ideia de fazer preto e branco e ir colorindo ao longo da história eu achei bem diferentona!

      Excluir
  6. Achei a capa do segundo livro feia, sei lá achei tão ZZZ
    Eu adorei saber que o filme foi fiel ao livro, já que vir apenas o livro
    Ainda tenho curiosidade em ler livros, porém saber que foi fiel achei que tem tanta necessidade. Exceto ser for ler o segundo livro.

    ResponderExcluir
  7. Devo admitir que estou um pouquinho cansada de Distopias, mas essa parece bem diferente do que andei lendo e bastante criativa. Mesmo com ressaca desse estilo de livro ou procurar pelo filme, já que você disse se tratar de uma adaptação bastante fiel.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Ainda não assisti o filme, mas li o livro e adorei a história, é realmente uma forma de pararmos e pensarmos nos erros que são existentes nos dias atuais, não acho tão difícil chegarmos ao ponto de termos que viver em uma mundo em preto e branco por causa da cobiça e das diferenças de classe, indico essa leitura para todo mundo, conheço a pessoa, falo "oi, tudo bem? Sou Giulianna e lê o livro O Doador de Memórias", é mais ou menos isso, super amo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu já vi esse filme e ainda não tive a oportunidade de ler o livro, esse livro realmente chama atenção pelo fato que nada aconteceu depois de guerras e epidemias na verdade as pessoas so chegaram a conclusão " se todo mundo for igual e se enxergar da mesma forma não haverá problemas" ... o que na verdade eu não sei se foi uma solução ideal ou mal formulada. Bem eu ainda tenho muita pretensão de ler esse livro e devo dizer obrigada pela ótima resenha.

    ResponderExcluir
  10. Oi Naty, eu nem sabia que existia adaptação desse livro. Se você não tivesse falado aqui, acho que nunca iria assistir. Eu ainda não li os livros, embora tenha muita curiosidade em relação a história. Mas confesso que saber que as coisas ficam meio soltas, sem respostas em tantos volumes, dá uma desanimada né.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  11. Oi, Nat!!
    Adorei a postagem!! Não conhecia o livro mais descobri que esse filme tem na Netflix!! Agora posso pelo menos assistir o filme!! Mas também fiquei bem curiosa para ler os livros.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  12. eu fiz o contrário eu assisti o filme e ainda não li os livros
    eu tb achei bem legal a ideia de ser preto e branco e aos poucos ganhando cor, como filme eu adorei
    não sei se ficou uma boa adaptação pq não li os livros
    acho que não sai continuação dele, que nem o bússola de ouro

    ResponderExcluir
  13. Afff eu achava que só tinha dois livros e terminava por aí, por saber que a autora fica enrolando até o último livro desanimei um pouco... tenho o primeiro aqui na estante e estou curiosa pra terminar de ver o filme (quando eu tentei eu dormi hehee) mas é ruim começar a ver algo sabendo ou prevendo que ele não terá continuação :/
    Legal que os tons vão aparecendo de acordo com o conhecimento do protagonista!

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Quando vi o livro O doador de memórias, fiquei bem curiosa para poder ler, mas acabou que não li o livro e depois de assistir ao filme gostei da historia, mas ela não me conquistou e deixou aquela curiosidade para ler o livro, e lendo a resenha e vendo que os livros enrolam muito também acabei desistindo dessa serie, mas quero assistir ao filme novamente, não vi já que não lembro muito da historia e realmente não tinha reparado na Taylor Swift no filme !!

    ResponderExcluir