No início do mês de Abril, esta que vos escreve completou a fatídica idade de 30 anos. Na época, eu publiquei aqui alguns livros que poderiam ajudar a passar pela crise dos 30, e este exemplar estava na listinha. 

Como eu ainda não aceitei muito bem o fato de que sou a nova balzaquiana do pedaço (mesmo já tendo se passado mais de um mês...), aqui estou eu caçando os livros que eu mesma recomendei para ver se tomo jeito na vida, e se eles realmente prestam. 

Se você não conferiu a resenha de Enfim, 30 - o primeiro livro a figurar na tal lista antidepressiva - sugiro que você reserve alguns minutinhos e vá assistir esse vídeo. Eu lhe garanto: é hilário. 
Depois disso, você pode voltar a ler esta resenha. Eu espero...

É galera... os 30 anos chegaram, e com eles aquelas preocupações que você jura que nunca vai ter que se preocupar quando tem 20 anos...
Obesidade; pressão alta; diabetes; tudo que a PVC (porra da velhice chegando) presenteia você. 
E é por isso que a titia aqui está numa vibe de "leituras para melhorar a qualidade de vida e tentar ter uma velhice decente". Então, vamos começar a nossa "rehab". Diga adeus ao Mc Donalds e venha comigo...

Confesso que nunca tive vontade de ler Rainbow Rowell, pois na minha cabeça essa autora esta na categoria de "autoras de chick lit" e minhas experiências com esse gênero até hoje, nunca foram boas.