Propósito: A coragem de sermos quem somos

22 setembro 2018



Qual é o seu propósito? 
Você já deve ter se perguntado isso em algum momento da sua vida, e se assim como eu, a sua resposta foi: "Não tenho a mínima ideia", pega na minha mão e vamos tentar descobrir juntos através dos ensinamentos de "Propósito: A coragem de sermos quem somos" de Sri Prem Baba. 


Antes de mais nada.... O que é o propósito? 

Na cultura Ocidental, propósito significa o seu objetivo. Se você tem como objetivo emagrecer, por exemplo, seu propósito é ir pra academia todos os dias; ter uma dieta balanceada. etc. 

Porém, na cultura Oriental o propósito não é apenas o seu objetivo. Trata-se de descobrir qual o motivo real para você fazer as coisas que faz todos os dias. Além de um objetivo claro, você precisa dar um sentido aquilo. 
"Saber qual o propósito é saber o que viemos fazer aqui. E o que viemos fazer aqui esta intimamente relacionado àquilo que somos em essência".
Você trabalha com o objetivo de ter dinheiro para pagar as contas no fim do mês, mas isso não necessarioamento faz sentido pra você. Tanto que muitas pessoas preferem ter uma vida dedicada a ajudar outras pessoas; viver isoladas da sociedade; e ganharem pouquíssimo (ou nenhum) dinheiro para viverem fazendo isso. Por que? Porque elas entendem que o trabalho delas tem sentido. O dinheiro é uma consequência, e não a causa do trabalho. 

"Sabemos que estamos alinhados com nosso propósito quando encontramos um motivo real para acordarmos e vivermos o dia com alegria"

Então, achar seu propósito é encontrar o que lhe faz feliz? 

De certa forma, sim. O ser humano vive numa busca incansável pela felicidade. O problema é que procuramos uma falsa felicidade.
Falsa felicidade?

Sim. Queremos ter a casa dos sonhos; ter uma vida traquila  e ainda ganhar muito dinheiro. Algumas pessoas até conseguem isso, mas existem milhares de casos de pessoas sem todas essas características que se declaram extremamente felizes. Por que?
Porque a felicidade esta dentro de cada um de nós e não nas coisas que possuímos. Clichê?
Sim, mas é verdade.

A população mais feliz do planeta são os dinarqueses segundo dados da ONU. E sabe por que? Porque eles cultivam um método chamado HYGGE (acho que não tem tradução para o português) que consiste em investir tempo no simples.
"Hoje sofremos com uma profunda doença chamada egoísmo."

Basicamente é fazer bem a si mesmo e aos outros sem cobrança. 

"Nós, seres humanos, estamos caminhando para um grande fracasso. Até este ponto da nossa passagem aqui na Terra, não fomos capazes de encontrar essa tão desejada felicidade. E isso ocorre pelo fato de estarmos buscando no lugar errado - fora de nós. "

Como assim? Quer dizer que devemos ser altruístas? 

Mais ou menos...
Eu estou desempregada. Deveria passar o dia todo procurando emprego frenéticamente; arrancando os meus cabelos pensando em como pagar as contas do próximo mês. E até faço isso. Mas ás vezes eu me sinto tão cansada e desanimada, que tudo que quero é dormir à tarde. Mas imediatamente eu penso:
"Espera! Você esta indo dormir tendo tanta coisa para fazer?" 
E me sinto culpada. Me sinto infeliz.

Ir cochilar e entender que meu corpo precisa de descanso naquele momento, mesmo que não esteja já anoitecendo, é "fazer bem a mim mesma sem cobrança". 

Ajudar um idoso a empacotar as compras no caixa do mercado sem pensar que o mercado deveria disponibilizar empacotadores para esse tipo de serviço, é fazer bem aos outros sem cobrança. 

Os dinamarqueses não ficam se lamentando pelo que esta errado na situação. Se alguém precisa de ajuda, ou se eles querem fazer algo, eles simplesmente fazem/ajudam e pronto.

Mas por que eles pensam tão diferente de nós? A culpa esta no nosso modelo educacional. 

"Nosso sistema educacional esta baseado nisto: ensinar a criança a ganhar dinheiro e a ter poder, justamente porque, na fundação da nossa sociedade, existe essa crença de que dinheiro é sinônimo de felicidade. Nada pode ser mais ilusório do que isso. E é por causa dessa grande ilusão que a depressão se tornou a doença do século e que nos tornamos dependentes de remédios para dormir e atenuar a ansiedade. Estamos criando uma humanidade dependente de terapia. E mesmo com terapia, não há garantia de que resolveremos o problema."
O sistema capitalista busca sempre a obtenção de mais dinheiro; em países capitalistas e desenvolvidos, isso não se mostra um problema para a felicidade dos habitantes, pois eles sabem que tem uma economia sólida e emprego para todos. Eles não precisam se preocupar com as contas do próximo mês e em colocar comida no prato. 

Porém, quando nos voltamos para sociedade em desenvolvimento ou sub-desenvolvidas, isso se transforma em uma competição e posteriormente em ansiedade, que culmina em infelicidade. 

Para tentar "equilibrar" essa balança (e não surtar) passamos a desenvolver amortecedores, que nos trazem peqeunos momentos de prazer imediato, como drogas, bebida, cigarro, comida. Daí vem os transtornos da nossa sociedade moderna, como os transtornos alimentares e o uso de drogas lícitas ou ilícitas. Uma pesquisa realizada em 2017 mostrou que o consumo de antidepressivos aumentou 74%. 

"A cada situação, temos a chance de escolhermos se vamos usar o que a vida está nos oferecendo como um amortecedor ou como um despertador da consciência. Sempre temos a escolha de cultivar o sofrimento ou de aproveitar a situação para crescer e nos libertarmos dele.
"Num mundo em que a corida pelo sucesso e a competição tornaram-se comportamentos normais, o fazer compulsivo tornou-se uma virtude. Neste mundo, a pessoa que não tem essa compulsão é muitas vezes vista como preguiçosa.
E qual é a solução? 
A solução é você realmente colocar propósito em todas as suas ações, como pregam os orientais. Já ouviu falar em mindfullness? É mais ou menos a mesma coisa...

No mindfullness, ao preparar uma xícara de café, você se questona por que esta fazendo aquela xícara; por que esta usando aquela cafeteira; agradece as pessoas que lhe proporcionaram ter aquele café; você toma consciência de tudo que esta envolvido no processo de fazer café, de forma a estar presente (centrado) na ação que esta executando. 
"Se você não colocar a alma naquilo que esta realizando, essa ação se torna um passatempo. Não importa qual seja a atividade, se não estiver total na ação, ela será apenas uma distração. Quando digo colocar a alma na ação, quer dizer que essa ação precisa ser movida por um propósito."

Seu propósito na vida deveria ser da mesma forma. Ao ir pro trabalho, se pergunte por que você esta fazendo aquilo? Coloque sua alma no trabalho que esta executando, e se isso se mostrar muito difícil, pergunte-se se você acredita que o que esta fazendo tem um por que. Tem um sentido?

Se você estiver fazendo o que esta fazendo apenas por dinheiro, provavelmente este não é o seu propósito.
"As pessoas vivem para ganhar dinheiro, enquanto deveriam ganhar dinheiro para viver."

"Sugiro que você se pergunte: Se eu não tivesse que ganhar dinheiro nem agradar alguém, o que eu faria da minha vida? O que eu faria com o meu tempo?"
Esse, provavelmente será o seu propósito. E se não for, pelo menos você estará fazendo algo em que realmente acredita e gosta. 

Agora me diga. Qual é o seu propósito nesta vida?

Para lhe ajudar, elaborei um workbook com alguns exercícios que lhe ajudarão a tentar descobrir o seu propósito. Para baixar, basta clicar aqui, e se inscrever na newsletter do Perdida. Você terá acesso a esse workbook e muitos outros já disponibilizados em outras postagens do blog.

0 comentários:

Postar um comentário