Destaques

25 maio 2020

O Guia do Mochileiro das Galáxias - Edição Definitiva



NÃO ENTRE EM PÂNICO


Ele é o livro mais cultuado entre os nerds; Tem um dia inteiro dedicado a ele: O Dia da Toalha; Já foi adaptado para os cinemas, e é considerado um dos livros de ficção científica mais inteligentes de todos os tempos.

Não é pra menos. Com um humor inteligente, Douglas Adams consegue fazer com que conceitos, até então compreendidos apenas pelos acadêmicos da ciência, passem a ser discutidos pelos "meros mortais".

E tudo isso começou com uma casa.


Arthur Dent não é um espécime muito evoluído de humano. Na verdade, ele é bem comum. Mas, Arthur Dent esta para ter sua casa demolida devido a construção de um desvio; Desvio esse que ficou exposto em um canto bem remoto da prefeitura e no qual ele não foi informado, não protestou e portanto perdeu o prazo para recorrer da decisão.

Enquanto Dent esta preocupado em salvar a sua casa, Ford Perfect, um alienígena que vive disfarçado há 15 anos na Terra, colhendo informações para a atualização do mais maravilhoso e completo livro já escrito na história do universo: O Guia do Mochileiro das Galáxias, percebe que a Terra esta prestes a ser destruída e decide salvar Dent da morte eminente.

Quando naves espaciais da Frota de Construção Vogon chegam a Terra para destruí-la com o intuito de construir um desvio hiperespacial (percebam a ironia, é a mesma situação vivida por Dent), Ford e Dent pegam uma carona na nave minutos antes da destruição e assim, se salvam.

Mas isso, é apenas o começo de uma muito louca aventura pelos confins do universo. 


Apesar de Dent ser o personagem principal, é Marvin quem rouba todas as cenas do livro. Marvin é um robô maníaco depressivo, com uma cabeça enorme, que foi desenvolvido para ser o mais humano possível, porém, com um intelecto muito acima de qualquer forma de vida orgânica. Logo, ele vive "deprê", pois suas funções são constantemente sub-utilizadas. Pra ter ideia, ele é tão depressivo, que consegue fazer com que uma nave (todas as naves possuem uma inteligência artificial, portanto, é possível bater um papo com elas) cometa suicídio ao tentar conversar com ela!!!



A história é muito louca! E conforme lemos, temos certeza que ela foi escrita sobre efeitos de drogas ou muito alcool, pois não tem como alguém ter escrito isso sóbrio... mas isso não altera o fato de que é genial!


NOTA DA REDAÇÃO: 

Após ler essa série, fui ler a "A Expetacular e Incrível Vida de Douglas Adams" e confirmei as minhas suspeitas. Na verdade, ele teve o insight para escrever O Guia do Mochileiro das Galáxias enquanto estava muito bêbado, deitado no meio da grama em um campo de Innsbruck, na Aústria, em 1971. 

Coisas como a resposta para as questões essenciais da vida, do universo e tudo mais ser o número 42, e o fato de uma toalha ser o objeto mais importante na vida de um mochileiro só dão mais charme a história (e fazem os seus neurônios entrarem em colapso). Eu levei um bom tempo para processar a explicação do que é um gerador de improbabilidade infinita, que é o responsável pelo deslocamento das naves espaciais...

Uma das minhas partes preferidas desta história é quando eles chegam no Restaurante no Fim do Universo. Basta você saber que existe uma vaca neste local, e eu nunca ri tanto com UMA VACA! E sim, os RATOS são geniais!
Não falo mais nada...

A leitura é rápida, apesar de todas as informações novas que são apresentadas para Dent, e consequentemente para você, e quando o livro termina, você fica pensando: "Cara... esse livro é muito doido, mas eu preciso saber como essa história vai terminar."

Se você curte clássicos da ficção científica, ou ficou intrigado com o por quê do número 42 e da toalha, você terá que ler este livro para descobrir as respostas.
Mas lembre-se: aconteça o que acontecer... Não entre em pânico!


NOTA DA REDAÇÃO

Depois de muito confabular comigo mesma, eu cheguei a conclusão que Douglas Adams estava realmente certo: A toalha é o objeto mais útil, versátil e essencial do universo. Se você não entendeu, é porque não leu ainda o livro.



Editora: Sextante
ISBN: 9788580415544
Ano: 2016
Páginas: 672

Reações: 

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Olá! É com muita vergonha que preciso confessar que não li essa série! Em minha defesa não sou muito fã de ficção científica, mas sua resenha me convenceu a dar uma chance a essa leitura, ainda mais que estamos falando (escrevendo) de um clássico neh e não posso deixar de mencionar que minha curiosidade gritou aqui em relação ao número 42 e a importância da toalha (risos).

    ResponderExcluir
  2. Naty!
    É verdade, a toalha é bem versátil e serve para diversas coisas.
    Sempre achei essa série muito louca, mas também, traz grandes risadas. Parece um pouco sem nexo, mas depois, tudo vai se encaixando.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

Instagram

© Perdida na Biblioteca – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in