Por que as editoras não divulgam livros antigos?

08 junho 2019


Vocês já devem ter percebido que as editoras em sua grande maioria não falam dos livros antigos, ou de catálogo, em suas redes sociais. 

POR QUE? 

Primeiro porque a equipe de marketing das editoras vem sendo reduzida ano após ano devido a crise no mercado editorial. Às vezes o departamento de marketing da editora é composto por uma única pessoa! Como, seria humanamente possível, que ela divulgasse todos os lançamentos e novidades da editora e ainda trabalhasse os livros de catálogo? 
Não dá, né? 

Segundo porque é exatamente isso. As editoras lançam vários livros por mês. E eles precisam divulgar esses livros, para que o investimento deles voltem para a editora de forma a continuar a movimentar o mercado editorial. 
Os livros antigos, teoricamente, já estão pagos. Mesmo os fracassos editoriais. Pois a editora sempre vai ter um livro que vende mais que o outro e acaba "pagando" a conta do amiguinho também.  
Os lançamentos, ainda são uma aposta da editora e precisam se pagar...

Por isso é tão importante para a editora a pré-venda. 

PRÉ-VENDA?

Sim, a Pré-venda!!! É na pré-venda que a editora tem um termômetro da expectativa do livro para o mercado. Se o livro é um sucesso na pré-venda, a editora já tem um "dinheiro garantido" e sabe se pode ou não investir na compra do segundo livro (se for uma série); mandar imprimir mais exemplares (alguns livros saem com uma tiragem mais baixa do que outros); se o público esta ansioso por aquele novo autor... entre outras coisas. 
Por isso, se vocês puderem, comprem os livros na pré-venda, COMPREM!
Sem contar, que algumas editoras colocam o livro na pré venda com um kit (um brinde exclusivo) para agregar valor ao produto e/ou com um preço mais baixo. 

MAS OS LIVROS ANTIGOS TAMBÉM PRECISAM VENDER, NÉ?

Sim, os livros antigos também precisam vender. E é por isso que o influenciador digital (seja blogueiro, booktuber ou instagramer) é tão importante para as editoras. Porque são ELES que vão ajudar determinados livros a continuarem se vendendo. 

Veja o caso de O Milagre da Manhã, que já é um livro de catálogo do Grupo Editorial Record, mas que se mantém na lista de mais vendidos há semanas (senão anos!) por conta de diversos influenciadores de diversas áreas (coaching, celebridades, booktubers, etc). Quer outros exemplos? A sutil arte de ligar o foda-se da Intrínseca; e não vamos esquecer o caso Jout Jout e o livro "A parte que falta", né? 

ENTÃO POR QUE AS EDITORAS NÃO INVESTEM NOS INFLUENCIADORES PARA DIVULGAREM LIVROS ANTIGOS, ENQUANTO ELAS TRABALHAM OS NOVOS?

Porque caro jovem padawan, a verba que elas tem para trabalhar livros esta alocada para os lançamentos! Não existe uma verba publicitária destinada a contratação de um digital influencer para trabalhar livros antigos. 
Temos um caso, muito específico e recente, que faz com que eu queime a minha língua...
Trata-se do livro "Use-me" da The Gift Box Editora, onde à convite da editora a booktuber Beatriz Paludetto refez a capa do livro (algo comum de acontecer no canal dela) e a editora passar a produzir os próximos exemplares com a capa da Beatriz. Nós falamos deste caso neste post aqui. 

Esse e um exemplo de um case de sucesso, em que a editora usou um influenciador para alavancar as vendas de um livro antigo e trabalhar de uma forma que não ficasse massivo ou com muita cara de propaganda. 

É muito comum (pelo menos pra mim) abrir os vídeos do Youtube e perceber que TODOS os canais de booktubers que eu sigo estão falando DO MESMO LIVRO. As vezes, chega ao cúmulo de todos postarem o vídeo no mesmo dia, deixando bem claro que trata-se de uma estratégia de marketing da editora, que pagou ou solicitou que todos os influenciadores ou parceiros fizessem aquela ação de marketing coordenada. 

Eu, por ser profissional da área (publicitária e jornalista) e do mercado editorial (booktuber também faz parte do mercado editorial, ok?) passo batida por todos esses vídeos. Não assisto nenhum mesmo!
Porque eu sei que trata-se de uma ação de marketing, e a real é que ninguém gosta de assistir propaganda. 
Se você pudesse pular os comerciais na televisão aberta, você pularia. 
Você pula a propaganda antes dos vídeos do Youtube após os 5 segundos que eu sei...

Da mesma forma que os anuciantes passaram a inserir seus produtos dentro do script da novela das 20h (vai dizer que nunca achou estranho de repente as personagens começarem a falar muito de um produto específico numa cena), as editoras encontraram a forma de fazer isso com os influenciadores colocando eles para falarem do mesmo produto, todos ao mesmo tempo, no maior número de canais possíveis. 

Eu, particularmente, não gosto dessa estratégia. Mas não posso negar que funcione, pois na cabeça do leitor (afinal, eu sou leitora também) fica a impressão que TODO MUNDO TÁ LENDO AQUELE LIVRO, MENOS EU! 

E leitor é um bichinho competitivo, né? É só ver quantos vídeos de metas literárias tem no início do ano (vou ler 100 livros este ano! Vou ler mais clássicos em 2019! Vou ler toda a bibliografia de Agatha Christie! Rá! Tá bom...) 

Freud explica!
Tá bom, não sei se existe algo entre os trabalhos de Freud que explique isso, mas fato é que essa estratégia desperta o lado competitivo do leitor e o sensação de urgência em se atualizar. 
Já ouviu falar em FOMO? 
Fear of missing out, ou para os íntimos (oi, olha eu aqui, super íntima!) significa síndrome de estar perdendo alguma coisa. 
É por isso que você vive com a cara enfiada nas redes sociais enquanto assiste o último lançamento da Netflix. 

TÁ BELEZA! E COMO A GENTE REVERTE ISSO?
Pra começar valorizando os influenciadores digitais para que eles possam receber por essa divulgação, pois a verdade é que sem eles muitos livros antigos estariam no limbo.
Depois você segue pra terapia pra cuidar da sua FOMO.
E por último abra espaço na sua lista infinita de leituras para os livros antigos.
Eu vi uma ideia genial (não sei de quem é a ideia, se você souber deixa nos comentários).
Ela tem duas versões:
Mas basicamente consiste em você pegar todos os livros que você tem encalhados na sua estante ou a lista de livros para comprar da sua lista de desejados na Amazon, e escrever em vários papeis do tamanho de um post it.
Coloca tudo dentro de um pote, com os papeis dobradinhos, e sorteia a sua próxima leitura/compra na Amazon.

Ah Natália! O nome disso é TBR! Ou para os íntimos (desse eu não sou íntima não) TO BE READ!
É uma versão do TBR sim, mas voltada a diminuir o consumismo e ajudar você a dar uma chance a livros que não são mais trabalhados nas mídias sociais, mas que em algum momento despertaram a sua curiosidade.
Afinal...
Livro antigo também ajuda a pagar as dívidas das editoras quando o mercado esta em crise.
Livro antigo tende a ser mais em conta do que os lançamentos.
Livro antigo irá te entreter do mesmo jeito que um livro que esta bombando, pois ele entrou na sua lista
Então prepare a sua TBR; seu potinho de post it; sua listinha... como você quiser. Por aqui, nós vamos colocar as resenhas em dia de váaaaaarios livros que lemos a long time ago, mas que não tomamos vergonha na cara para fazer a resenha até hoje.
Veja isso como um TBT de resenhas! Hahahahahaha

O que você acha de tudo isso que eu falei? Qual será a sua técnica para dar uma chance aos livros antigos? Deixe aí nos comentários e até a próxima! 

7 comentários:

  1. Olá! Seu post me fez pensar bastante sobre os livros que estão encalhados na minha estante. Adorei a ideia de sortear a minha próxima leitura com base nesses livros mais antigos ainda não lidos.
    De fato os influenciadores ditais são muitooo importantes para que vários livros antigos ainda sejam comprados e lidos. Eles merecem ser super valorizados com toda certeza! ❤
    Adorei o post! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ah, eu pratico isso. Sempre deixo passar a modinha dos livros e depois compro. Eu sempre estou lendo os livros antigos. Por exemplo, minha leitura atual é A Rainha do Castelo de Ar do Stieg Larsson, foi lançado em 2009. A minha TBR serve exatamente para desencalhar os livros da estante.

    ResponderExcluir
  3. Oiii ❤ Sempre achei chato essa coisa das editoras deixarem de divulgar livros antigos, pois eles são tão bons quanto os lançamentos. Mas agora que li o porquê disso, até que consigo entender melhor a editora.
    Nunca tinha parado para pensar no quão importante é a pré-venda pra editora.
    Concordo que muitas vezes lemos/assistimos algo por causa que todo mundo está falando sobre isso. Antes eu fazia muito isso, mas hoje não tanto.
    Adorei a ideia dessa TBR diferenciada. Seria uma boa eu fazer isso, pois tenho muitos livros antigos pra serem lidos, que não saem da minha lista de leituras e que estão abandonados na estante.
    Gostei muito do post, soube de algumas coisas que eu não sabia antes ❤

    ResponderExcluir
  4. Concordo com quaseeeee tudo. A bem verdade é que alguns livros antigos, podemos tomar como exemplo os que você citou no post, se vendem sozinhos. Exatamente por serem exemplos utilizados fora do meio da literatura como modelo de estímulo. A bem verdade é que não ficção se vende muito bem sozinho e sem digital influencer, exatemente por ser muito difundido fora do meio literário.
    E sim, as pré vendas são termômetros e parâmetros financeiros importantíssimos para as editoras. Se um livro vai mal na pré venda, não existe sentido em insistir nele, e muito em continuá-lo em.caso de séries. Porque a ideia de filantropia atribuída as editoras é linda, mas a veedade é que editora é uma empresa como qualquer outra e precisa ter lucro com seu produto.
    Ameiiiii o post.

    ResponderExcluir
  5. Gostei do texto, diz muito a verdade, eu já fiz isso faz um tempo de sortear a próxima leitura para poder ler os encalhados, mas depois desisti e fui escolhendo o que queria ler, mas não fico nessa de ler lançamentos, pois geralmente são caros, leio mesmo os antigos e até compro, não tenho nada contra eles rs. Acho legal os blogs indicarem os antigos as listinhas de compra só aumentam RS.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Chegar a ser desestimulante (pelo menos, para mim), ver tanta gente falando do mesmo livro. Eu sou daquelas que amo uma pré-venda (principalmente quando temos brinde exclusivo), mas também sou daquelas que coloco o nome na lista de desejados e espero até que o preço fique mais acessível. Apesar disso, tenho sim alguns livros ainda não lidos e que já estão para fazer aniversário de anos na minha estante, por isso, a ideia veio em um ótimo momento e já vou preparar a lista para encher meu potinho e começar os sorteios.

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre tive essa constatação, eu sei que eles têm um limite de gasto para publicidade de tal livro e sempre direcionado a material de divulgação e a contratação de parceiros para isso. Foi um post bem útil e se você ver eles sempre vão disponibilizar esses livros por um preço mais em conta em sites literários como Saraiva e Amazon

    ResponderExcluir